terça-feira, 25 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Chuva forte causa estragos em cidades da região

Chuva forte causa estragos em cidades da região

Matéria publicada em 7 de fevereiro de 2019, 18:24 horas

 


Angra dos Reis foi a cidade mais atingida, mas Barra Mansa e Volta Redonda tiveram alagamentos

Sul Fluminense- Pelo menos três cidades da região registraram problemas com as chuvas que caíram nos últimos dias. Volta Redonda e Barra Mansa sofreram com alagamentos em vias públicas, enquanto Angra dos Reis registrou dezenas de casos mais graves.

Na cidade da Costa Verde, as sirenes foram acionadas em aproximadamente 20 bairros, com risco de alagamento e deslizamento de terra. Na Avenida Amaral Peixoto, em Volta Redonda, moradores registram imagens de pessoas nas ruas com água na altura dos joelhos. E a inauguração de uma creche em Barra Mansa precisou ser adiada, também devido à previsão de chuva forte.

Costa Verde

Segundo a Defesa Civil de Angra dos Reis, os moradores do município devem ficar atentos, pois a previsão ainda é de tempo instável. O alerta foi reforçado para evacuação no Belém, Gamboa do Belém e Praia do Abraão, na Ilha Grande. Nestas localidades, a orientação é que os moradores que residem em áreas de encostas ou alagamentos procurem um ponto te apoio ou a casa de um familiar, até receberem um SMSs de desmobilização, informando que o retorno é seguro.

A Defesa Civil afirmou que para obter sucesso nas ações é necessário que a população siga as orientações. Assim que receberem o SMS e escutar a sirene, as pessoas devem seguir para locais seguros ou pontos de apoio pré-estipulados pelo governo.

O aviso sonoro é importante para os moradores que moram em áreas de risco. Os agentes da Defesa Civil são orientados a direcionar a população ao ponto mais próximo de suas residências, mas é necessário que fiquem atentos ao toque e procurem pontos de apoio.

Segundo a Defesa Civil, todas as ferramentas de comunicação foram utilizadas: SMSs, as sirenes que foram reativadas pela Prefeitura de Angra, os institutos meteorológicos e as redes sociais. A instituição ressalta a necessidade da população se cadastrar para receber os SMSs. Para isso, basta o morador enviar uma mensagem de texto para o número 40199, informando o CEP de sua residência. Em caso de emergência, os moradores podem entrar em contato com a Defesa Civil através do 199.
Desde segunda-feira (4), foram realizadas 62 visitas de engenharia, que culminaram, até o momento, na interdição de seis residências em diferentes bairros e de uma rua no Parque Mambucaba. Em alguns pontos, ao longo destes dias, houve um acúmulo de 262 mm de chuva.

As sirenes foram acionadas na segunda-feira (4) e SMSs de evacuação para os seguintes bairros foram ativados: Areal, Banqueta, Ariró, Bracuí, Gamboa do Bracuí, Ilha do Jorge, Santa Rita do Bracuí, Sertão do Bracuí, Enseada, Ponta do Sapê, Retiro, Frade, Sertão do Frade, Grataú, Piraquara, Itanema, Sertão de Itanema, Marinas, Praia do Jardim, Sapinhatubas 1, 2 e 3, Gamboa do Belém, Belém, Morro da Boa Vista, Parque Mambucaba, Balneário, Morro da Cruz, Morro da Glória 1 e 2, Morro do Peres, Morro do Tatu, Parque das Palmeiras, Vila Histórica, Serra D’Água e Zungu.

Paraty está em estão de alerta

Até o momento, nenhuma ocorrência grave foi registrada na cidade de Paraty, no entanto a cidade está em estado de alerta. No bairro Patrimônio, na quarta-feira, houve um alagamento, que foi contido.
As equipes da Defesa Civil de Paraty foram encaminhadas para Angra dos Reis para ajudar nas operações.

Barra Mansa registrou alagamentos e até cancelou uma inauguração
(Foto: Divulgação)

Centro de Volta Redonda alaga com chuva forte

Entre a tarde e a noite desta quarta-feira (6), uma forte chuva causou alagamentos em Volta Redonda. A Avenida Amaral Peixoto, no Centro, foi um dos locais que sofreu maiores transtornos. A água se estendeu até a Rua Piauí, que faz a ligação com a Avenida Getúlio Vargas.

Nas redes sociais, pessoas compartilham imagens da água na altura dos joelhos de quem estava na calçada de um posto de combustível. Lojas que ficam nas proximidades da saída do viaduto foram invadidas pela água. Até veículos grandes, como ônibus, também tiveram dificuldades para circular.

A chuva, que durou cerca de 20 minutos, fez bairros como Conforto, Jardim Normandia e Jardim Belvedere sofrerem com alagamentos. Assim como Via Sérgio Braga, Rodovia dos Metalúrgicos. O volume de água nas ruas começou a abaixar quando a intensidade da chuva diminui.

Prefeitura de Barra Mansa cancela inauguração

A prefeitura de Barra Mansa cancelou a inauguração da Creche José Luiz Vaneli, no bairro Getúlio Vargas, agendada para a noite desta quinta-freira, dia 7. O cancelamento do evento é por conta das chuvas que vem castigando todo o estado do Rio de Janeiro.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, o Instituto de Meteorologia, revela que as chuvas continuam, principalmente, em Barra Mansa. Uma nova data para inauguração será divulgada pela Secretaria de Educação. As obras da creche estão concluídas e a unidade vai atender 80 crianças, de zero a três anos de idade. O espaço terá ainda berçário, maternal I, II e III.

Defesa Civil de BM age em áreas mais afetadas

As fortes chuvas que ocorreram nesta quarta-feira (06) causaram alguns danos em Barra Mansa. Os registros, segundo a Defesa Civil, foram concentrados nos bairros Ano Bom, Barbará, São Judas Tadeu, Nove de Abril e Colônia Santo Antônio. De acordo com o órgão, o pluviômetro do Parque da Cidade Natanael Geremias, no Centro, registrou 37 milímetros de chuva, já o aparelho do bairro Vila Orlandélia chegou a 44 mm. Apesar das ocorrências, a Defesa Civil informou que o trabalho preventivo realizado antes do período chuvoso ajudou a evitar grandes transtornos no município.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Barra Mansa, Sérgio Mendes, o Serginho Bombeiro, a prioridade do órgão neste momento é prestar assistência às pessoas que residem em áreas consideradas de risco. “Nós estamos visitando os locais onde ocorreram alagamentos, assim como área de encostas e avaliando a situação”, informou.

Sérgio ainda completou dizendo que a grande preocupação nesse período de fortes chuvas é para casos de alagamentos e enxurradas. “O aumento no nível da água no prazo de duas horas de chuva registrado na quarta-feira coloca a Defesa Civil em estado de alerta maior, pois os alagamentos registrados não foram por conta de problemas na rede de captação de águas pluviais, mas decorrente do intenso volume de água”, explicou o coordenador.

OCORRÊNCIAS

A Defesa Civil registrou as ocorrências na Via Sérgio Braga, onde houve um alagamento por conta de uma galeria que precisa ser inspecionada; no bairro São Judas Tadeu, em uma área conhecida como Sem Terra, onde a água invadiu as casas; houve também o transbordamento do Córrego Secades, no bairro Nove de Abril, na Região Leste, e o alagamento nas ruas do bairro Colônia Santo Antônio e no Ano Bom.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    “A Avenida Amaral Peixoto, no Centro, foi um dos locais que sofreu maiores transtornos. A água se estendeu até a Rua Piauí, que faz a ligação com a Avenida Getúlio Vargas.”

    Isso nunca aconteceu na cidade antes de destruírem todas aquelas árvores frente ao portal do cemitério Portal da Saudade.

    Na época da destruição publicada eu alertei para as consequências para a avenida Amaral Peixoto.

    VAI VENDO aí o que dá votar em candidatos que NÃO CONHECEM a Administração Pública e NÃO ENTENDEM de Gestão Pública. Eles nada entendem de Meio Ambiente tbm e muito menos de árvores. Árvores para eles são arbustos. Árvores absorvem as águas das chuvas. Arbustos só serve para enfeite.

  2. Avatar

    Por um acaso essa creche que seria inaugurada em bm receberá o nome di ex vereador leiteiro?

  3. Avatar

    E o Prefake PINÓQUIO vive aparecendo na midia informando que a cidade esta limpa e com a manutençao em dia. Só se for nas imediações do palacete dele.
    Os bairros da cidade com matos mas ruas e postes com lâmpadas queimadas.

    VERGONHA!

Untitled Document