terça-feira, 27 de outubro de 2020 - 00:34 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Chuva segue causando estragos em municípios da região

Chuva segue causando estragos em municípios da região

Matéria publicada em 6 de fevereiro de 2020, 07:58 horas

 


Sul Fluminense – Os municípios continuam sofrendo as consequências das fortes e intermitentes chuvas dos últimos dias na região Sul Fluminense. O volume de água tem superado as previsões e em alguns casos chove num dia o previsto para o mês. Como aconteceu, por exemplo, Barra do Piraí e Valença, cidades que registraram alagamentos e desabamentos.

No distrito de Conservatória, em Valença, foi registrada a queda de uma casa, na Rua Vila Ramos, no Centro. O imóvel ficava próximo a um córrego e devido a forte chuva cedeu por completo. A prefeitura de Valença destacou que a casa foi construída sem licença, em cima de uma servidão de manilhas, o que causou o desabamento, porém ninguém morava no imóvel.

Um muro de uma fábrica de alimentos caiu na RJ-145. A Defesa Civil foi acionada, ninguém ficou ferido. Ainda em Valença, uma barreira deslizou na RJ-143, Estrada Valença-Conservatória, mas a Secretaria de Serviços Públicos já desobstruiu a pista e liberou o local.

Barra do Piraí

Em Barra do Piraí, segundo a Defesa Civil, choveu o equivalente a 73 mm de chuva em 24 horas e três ruas ficaram alagadas: Rua Barão do Rio Bonito (Santana), Rua David Cerqueira (Santo Cristo), e Rua A (distrito de Ipiabas).
Já no bairro São João, uma calçada cedeu e caiu em um córrego, a Defesa Civil isolou o local.

Uma casinha para crianças cedeu no Jardim de Infância Professor Murilo Braga, na Avenida Ernani do Amaral Peixoto, no Centro. A prefeitura afirmou que os danos causados pela chuva ao patrimônio municipal serão arrumados dentro de alguns dias.

Corpo

Moradores encontraram o corpo de um homem, ainda não identificado, no Rio Paraíba do Sul, na tarde de quarta-feira (5), em Barra do Piraí. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada para retirar o cadáver do rio, porém o volume do rio estava muito alto para retirada.

Os bombeiros acreditam que o cadáver foi arrastado para Vassouras, onde o quartel deve ser acionado para acompanhar o caso.

Volta Redonda

Em Volta Redonda, moradores registraram o surgimento de crateras na Avenida Paulo Erlei Alves Abrantes, no bairro Três Poços, local onde fluxo de trânsito é intenso, principalmente no horário de pico.

Moradores do bairro Vila Santa Cecília se assustaram com o córrego que corta a Rua 41-C que na tarde de ontem estava mais volumoso do que o normal.

Angra dos Reis

A chuva dos últimos dias provocou queda de árvores e deslizamentos de terra na RJ-155 (Rio-Santos), em Angra dos Reis. Em conversa com o DIÁRIO DO VALE, a Defesa Civil do município confirmou os transtornos já foram solucionados e que a pista segue com o fluxo normalizado.

No município não foram registrados alagamentos, deslizamentos de terra ou transbordamentos devido a chuva de quarta-feira (5).

Resende

A Defesa Civil de Resende ficou em alerta na madrugada desta quinta-feira (6), pois o Rio Sesmaria ficou 4,49 metros acima do nível de transbordo, que é de 4 metros, por volta das 2h40. Apesar do transbordo, a água não atingiu nenhuma casa. O nível do rio começou a abaixar às 5h e nesta manhã está com 1,18 metros de altura. A previsão de chuva para o dia era de 35mm.

Os agentes solicitaram a redução da vazão da Represa do Funil para que o rio não transbordasse novamente e inundasse as residências.  Ela estava trabalhando com 81% da capacidade.

Com o transbordo, as ruas José Geraldo Coutinho, Rodolfo Pelini Filho, Joaquim de Azevedo Carneiro Maia, Rua 4 e Rua Vereador Richard Rocha de Andrade foram parcialmente alagadas. Ao contrário da Avenida Sesmaria que ficou totalmente alagada.

Piraí

O temporal derrubou muro de uma escadaria, na Rua Joaquim Travesso, no bairro Asilo. A queda bloqueou o acesso a seis casas na rua. Na manhã desta quinta (6), uma equipe da prefeitura foi até a localidade para realizar a limpeza.

Rio Claro

O distrito de Passa Três foi a localidade mais afetada, em Rio Claro. O bairro Água Mineral ficou alagado e um córrego transbordou na RJ-139, na altura do km 7, que liga a Via Dutra à localidade de Pouso Seco. Também foi registrada a queda de uma barreira, no bairro Shumbinho, ainda no distrito.

A RJ-155, Rodovia Saturnino Braga, também registrou queda de barreiras no km 36 e km 37. As estradas foram liberadas para fluxo normal nesta manhã. A Defesa Civil não registrou desabrigados ou feridos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Vejam no vídeo onde as moradias estão: derrubaram as árvores e construíram debaixo do barranco. A natureza dá o retorno pela agressão.

    Em vez de cobrarem os governos para construir MCMV com financiamento acessível preferem investir suas economias em áreas de risco, sujeitando a perderem tudo.

    Estou lembrando aqui dos invasores das margens e do leito do Rio Barra Mansa.

Untitled Document