;
quinta-feira, 26 de novembro de 2020 - 18:34 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Cida Diogo fala de sua pré-candidatura a prefeita

Cida Diogo fala de sua pré-candidatura a prefeita

Matéria publicada em 25 de junho de 2020, 18:32 horas

 


Cida Diogo é pré-candidata a prefeita de Volta Redonda

Volta Redonda – A ex-deputada federal e ex-deputada estadual Cida Diogo é pré-candidata a prefeita de Volta Redonda pelo PT. Médica, ela também foi secretária municipal de Saúde no governo Paulo Baltazar, entre 1993 e 1996. Exerceu dois mandatos como deputada estadual (1999 a 2006) e foi deputada federal de 2007 a 2010, além ter sido vice-prefeita no governo de Antônio Francisco Neto, em 1997 e 1998. Petista desde o início da carreira política, ela é a pré-candidata de seu partido à prefeitura de Volta Redonda e falou ao DIÁRIO DO VALE.

DIÁRIO DO VALE – Como a senhora avalia o cenário politico atual de VR e como a sua candidatura se insere nele?

CIDA DIOGO- É um cenário que reflete o resultado de políticas públicas municipais equivocadas, não valorizam a vida e o futuro das pessoas.

A cidade está sem perspectiva de futuro, sem planejamento estratégico. Isso leva automaticamente a uma paralização das pessoas, das entidades representativas, dos movimentos sociais e da atividade política como provedora do bem comum.

É uma pena isso acontecer com uma cidade que sempre foi efervecente, de lutas, de debates e participação ativa da população.

Sou pré-candidata a Prefeita por estar determinada a transformar como Chefe do Executivo Municipal, a participação de cidadãos e cidadãs; o controle social; o fortalecimento dos conselhos municipais; o Orçamento Participativo e Territorializado; enfim, o estímulo ao exercício pleno  da cidadania num grande instrumento de discussão e mobilização para todos os setores da cidade pensar, discutir e planejar o seu futuro.

Um grande passo com esse objetivo, será a realização ao longo do primeiro ano de governo de Conferências Municipais Temáticas (Saúde, Educação, Assistência Social, Cultura, Meio Ambiente, Étnico-racial, Mulher, Idoso, Deficiente, LGBTI+, etc.), concluindo com uma Grande Conferência Municipal no final do ano, buscando aprovar propostas para a elaboração do Orçamento Municipal para o ano seguinte, definir critérios para composição do Conselho do Orçamento Participativo e traçar um planejamento para a cidade que vamos construir juntos.

Quero ver a cidade fervilhando de ideias, projetos e ações de toda a sociedade, quero chamar todo mundo que queira contribuir com esse novo momento que vamos vivenciar em nossa cidade.

DV – Em que proporção sua candidatura representa um projeto para a cidade ou uma peça da estratégia do PT para recuperar protagonismo no cenário político nacional?

CD – Acho que as duas coisas, vamos fazer história e transformar Volta Redonda em referência nacional, ao eleger pela primeira vez na cidade uma chapa majoritária composta por duas mulheres, porque a nossa  pré candidata a Vice-prefeita é a companheira Nena Duprre, atual presidente do PV de Volta Redonda.

Vamos desenvolver na cidade um governo inovador, inclusivo, transparente, participativo, desenvolvimentista, construindo assim, uma cidade sustentável, democrática e com politicas públicas exitosas, que se tornarão referência no estado e no país.

Isso irá contribuir no fortalecimento da atuação do PT no enfrentamento às políticas do Governo Federal de retirada de direitos, de destruição da saúde publica e da educação pública, servindo como exemplo concreto de que um poder público forte pode melhorar a vida das pessoas e ser um indutor do desenvolvimento econômico e social.

Irá também fortalecer a luta contra o fascismo, o racismo e por democracia, promovendo um processo de construção de uma sociedade mais tolerante, mais solidária, que respeite as diferenças, com menos ódio, que saiba ouvir e entender que as pessoas podem ter livre arbítrio para pensar, se expressar, de ir e vir; muito diferente do que tem feito o governo Bolsonaro.

DV – A senhora foi Secretária de Saúde entre 1993 e 1996; acredita que essa experiência pode ser útil no cenário de 2021, com a Covid-19 ainda presente e, provavelmente, ainda sem vacina?

CD – Eu assumi a Secretaria de Saúde após o governo Wanildo de Carvalho, a cidade estava destruída e na Secretaria de saúde faltava tudo, era um verdadeiro caos. Tive que pedir emprestado materiais  e medicamentos  a vários Secretários de Saúde da região e até do município do Rio de Janeiro.

Mesmo com esse quadro, conseguimos junto com uma equipe de profissionais de saúde extremamente competentes e com uma forte adesão e comprometimento dos trabalhadores da saúde dar a volta por cima, com várias ações e programas que desenvolvemos, que se transformaram em referência estadual e nacional.

Já no início do nosso governo, iremos fazer um balanço do quadro municipal com relação aos números e a verdadeira estrutura existente para o combate a Pandemia.

Independente do resultado deste levantamento, iremos implementar seis ações imediatas:

Educação Sanitária – Trabalhar com comunicação em massa, por diversos meios de comunicação(não apenas por Lives e pelo Portal da PMVR ), utilizando rádio FM e AM, imprensa escrita, outdoor, carro de som, etc.

Visando conscientizar a população sobre as medidas de prevenção ao contágio como: higiene, distanciamento social, uso correto de máscaras não profissional, comportamento de etiqueta respiratória, higiene e desinfecção de ambientes;

EPI para os Profissionais de Saúde – Aquisição de EPI em quantidade e qualidade suficiente para a rotina de atendimentos, tanto nas unidades básicas como na urgência e emergência;

Aquisição de Kit testes e testagem da população que pode ser avaliado como melhor organizar por grupos mais vulneráveis, etc;

Exames diagnósticos por PCR – Não se conhece a realidade sanitária de um local com resultados de exames tardios de 15 a 20 dias, como é hoje;

Reforço do serviço de vigilância epidemiológica – Para melhorar o monitoramento de casos e acompanhamento dos contaminados, dos resultados, da notificação e outros;

Desinfecção sistemática e rotineira dos espaços públicos com circulação aumentada de pessoas – Praças, Calçadas, Centros comerciais, etc.

DV – O PT não elegeu nenhum vereador em 2016. Qual será sua perspectiva em termos de eleições proporcionais, e qual sua estratégia caso seja eleita e precise governar com minoria na Câmara?

CD – Conseguimos construir uma excelente chapa de vereadores e vereadoras, com importantes lideranças da nossa cidade, com uma mulherada como candidatas que irão surpreender. Vamos fazer uma bela bancada.

Sendo eleita, irei construir um diálogo franco e aberto com o legislativo municipal.

Vamos atuar com muita transparência, debater o presente e o futuro da nossa cidade, buscando de forma coletiva, com planejamento, encontrar as soluções e absorvendo todas as boas sugestões, visando o melhor para a nossa cidade.

Acho que a minha experiência no poder executivo como Vice-prefeita e Secretária de Saúde e no poder legislativo como Deputada Estadual e Deputada Federal, me ajudarão a construir uma boa relação como a Câmara de Vereadores por ter vivenciado os dois lados desse processo político.

DV- Que canais de diálogo a senhora vai abrir com os eleitores de Volta Redonda?

CD – Nos próximos dias vou realizar três Lives pelo Facebook que considero importantes e gostaria de solicitar a divulgação das mesmas:

Dia 28/06, sábado, às 18:00 horas, com a Deputada Federal Benedita da Silva, para debatermos os efeitos da pandemia em bairros populares e na população negra;

Dia 30/06, terça-feira, às 18:00 horas, com o Prefeito de Maricá Fabiano Horta, para falar das experiências exitosas do seu governo.

Dia 02/07, quinta-feira, às 18:00 horas, com o ex-Ministro da Saúde Arthur Chioro, a situação atual da pandemia no Brasil.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Avatar
    mediador de conflito

    Primeiro dizer que a ex deputada é bonita e o Clodovil não entendia nada de mulher. Segundo, tenho visto as lives que ela faz e acho que é meio insonsa, não consegue ser natural, ri atrasada, enfim: um Picolé de Chuchu! Mas tem que reconhecer que se algum partido está de fato na oposição ao Samuca, Witzel e Bolsonaro é o PT, acho difícil mas se ela conseguir juntar os votos da oposição em torno dela, vai ter segundo turno.

  2. Avatar

    guto – Se espelhando na prática e no exemplo do PT nos útlimos quinze anos, a senhora pretende estabelecer o maior esquema de corrupção que a cidade de Volta Redonda já teve ou pretende contruir a maior crise econômica que a cidade de Volta Redonda já teve?!
    O que dizer de uma candidata que não responde uma única questão de um eleitor ?!
    Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”

  3. Avatar

    É aquela que chorou após o Clodovil chamar de feia??? Se for a mesma já deu P.T. há muito tempo igual meu carro enferrujado!!! Uashuashuash!!!

    • Avatar

      Neto pelo jeito não terá adversário a sua altura essa daí Furtado e companhia não terão nem 10% dos votos de Volta Redonda devido ao péssimo currículo como deputado federal

  4. Avatar

    Nada contra Cida Diogo.
    Mas toda vez que a vejo me lembro do episódio com o Clodovil.
    Que descanse em paz!

  5. Avatar

    Metade das promessas não vai cumprir .
    Quando fala que vai criar fórum disso ou aquilo. É porque não sabe o que vai fazer sobre os assuntos elencados . Imagina o secretariado lotado de petista que não sabe nada de administração pública. Todos devendo contribuindo com salário para o partido .
    Depois de 04 anos , Volta Redonda estará pior que antes .
    Dureza .
    Quando fala que pegou material de secretaria de saúde de outros municípios. Só pode ser lenda urbana . Os municípios da região são uma porcaria em termos de saúde.
    Futuro tenebroso

    • Avatar

      Ela sumiu de Volta Redonda… Agora q viu q a cidade está sem prefeito quer tentar voltar ao cenário político. Não vai dar nada essa candidatura.

  6. Avatar

    TEM HISTÓRICO DE LUTA SOCIAL E TEM CAPACIDADE PARA ADMINISTRAR. NÃO É AVENTUREIRA E NEM UMA ICOGNITA.

Untitled Document