domingo, 22 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Cinemas terão de garantir acessibilidade a cegos e surdos

Cinemas terão de garantir acessibilidade a cegos e surdos

Matéria publicada em 25 de agosto de 2019, 08:00 horas

 


Determinação da Ancine passa a valer em todo o país a partir do dia 1º de janeiro de 2020

Cinemas passarão a oferecer aparelhos de audiodescrição e libras para deficientes visuais e auditivos (Foto: Wallace Feitosa – Gacemss)

Volta Redonda –  Os cinemas de todo o Brasil precisam oferecer aparelhos de acessibilidade para deficientes visuais e auditivos, a partir do dia 1º de janeiro de 2020. Essa determinação está na Instrução Normativa 128/2016 da Agência Nacional do Cinema (Ancine), caso as empresas não cumpram a norma estarão submetidas a multas.

Até o dia 16 de setembro deste ano, os exibidores precisam ter atingido a meta de 35% das salas dos grandes complexos e 30% das salas dos grupos menores. A primeira meta da nova norma feita pela Ancine teve prazo até o dia 16 de junho, tendo exigido 15% das salas de grande porte, oferecendo legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras).

O universitário João Vitor Oliveira Sarmento, de 20 anos – que é deficiente visual total – comentou que a medida é um grande avanço para os portadores de necessidades especiais.

– É um grande avanço, principalmente para os fãs de cinema. Quem tem deficiência visual e vai ao cinema sem a devida acessibilidade acaba incomodando o acompanhante, perguntando sobre o que está acontecendo a cada cena – disse, acrescentando que constantemente acessa sites de inclusão, como: Portal Cegos Brasil (cegosbrasil.net) para assistir séries, discografias e filmes em áudio, entre outros conteúdos.

Ele destacou que em 2015 durante uma viagem escolar teve uma experiência num cinema no Rio de Janeiro que possui acessibilidade e se sentiu acolhido através da iniciativa.

João Vitor está no 2º período do curso de Sistemas de Informação no UniFOA (Centro Universitário de Volta Redonda). Ele relatou que leva uma vida normal, e acima de tudo com um bom humor. Através de programas de acessibilidade ele consegue estudar, responder e-mails, ficar conectado nas redes sociais e no WhatsApp.

Apesar do acesso as salas de cinema, João Vitor, frisou que uma dificuldade encontrada pelos deficientes visuais são os semáforos, que deveriam ser sonoros para ajudar os portadores ao atravessar a rua.

– Os semáforos poderiam ser sonoros para ajudar nós (deficientes) atravessar a rua, nem sempre, temos ajuda de pessoas e muitas não sabem como agir ao se aproximar de um deficiente visual – falou.

Cinemas da região

O Cine Gacemss, rede Cine Show e Cine Park Sul foram procurados pela reportagem para comentar sobre as adequações de acessibilidade das salas. O Cine Gacemss comentou em nota que os equipamentos necessários para a inclusão já foram orçados, mas devido ao seu alto custo está planejando como executar. O Cine Gacemss destacou ainda que na sua reforma foi feito um banheiro para PNE (Portadores de Necessidades Especiais). Além disso, há reservado lugares na plateia para cadeirantes e foram instaladas poltronas para quem tem mobilidade reduzida. Da mesma maneira, está sendo providenciada a instalação de um elevador.

Ainda em nota, o Cine Gacemss destacou que a medida é necessária, mas feita sem nenhuma ajuda ou facilidade do poder público. “Dentre todas as exigências feitas nos últimos anos (digitalização, sistemas de vendas e as consequentes manutenções terceirizadas), o Cine Gacemss conseguiu e conseguirá passar com muito esforço e empenho. Mas muitos cinemas que não fazem parte de uma rede, assim como o Cine Gacemss, fecham as portas ou vivem em um constante sufoco financeiro” diz a nota.

Da mesma maneira, o cinema apontou que fará o possível para se adequar. “Estamos fazendo todo o possível para que a maior casa de cultura da região tenha toda a infraestrutura necessária para atender a todos. Fizemos uma grande reforma interna e vamos dando seguimento a caminhada desta senhora entidade cultural que completa em novembro 74 anos”, concluiu.

A rede Cine Show comentou em nota que está ciente da norma e que em algumas salas de cinema há equipamentos que garantem a acessibilidade de deficientes. “A tecnologia que adquirimos é da empresa Riole. Instalamos em Volta Redonda, Barra Mansa, Barra do Piraí e Resende, 1 sala em cada complexo. Em cada uma das salas contamos com 2 equipamentos de áudio descrição e 1 equipamento de libras”, esclareceu.

O Cine Park Sul não respondeu a reportagem até o fechamento desta edição.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    Cineshow esta de parabens pois ja esta dentro das normas e estava na sala com uma pesoa utilizando o equipamento e muito legal mesmo com uma tela para usuario com libras muito legal mesmo Parabens Cineshow o Unico da Regiao com essa tecnologia.

  2. Avatar

    A ignorância alheia só enxerga a deficiência fisica como limitador. Existem outras deficiências que impedem o ser humano de viver dignamente. Surdos, Mudos e Cegos sempres ficam excluidos da ecessibilidade.

    Cadê a FISCALIZAÇÃO?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document