segunda-feira, 6 de dezembro de 2021 - 14:49 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Claudio Castro confirma licitação de mais de R$ 66 milhões em obras para Volta Redonda

Claudio Castro confirma licitação de mais de R$ 66 milhões em obras para Volta Redonda

Matéria publicada em 22 de outubro de 2021, 09:37 horas

 


Governador telefonou ao prefeito Antonio Francisco Neto para avisar sobre concorrência que acontece no dia 19 de novembro

Volta Redonda – O governador do Estado, Claudio Castro, telefonou ao prefeito Antonio Francisco Neto para confirmar a licitação da primeira etapa do projeto de mobilidade urbana, que será feito em Volta Redonda. Somente nesta fase, serão mais de R$ 66 milhões investidos na construção de um viaduto, de ciclovias, corredor estrutural de transporte público de passageiros, nova sinalização vertical e horizontal, novas calçadas e novo sistema de iluminação pública. O pregão está marcado para o dia 19 de novembro, às 11h, e ficará a cargo da Secretaria de Estado das Cidades.

Castro e Neto também confirmaram que a segunda e terceira etapas das obras e serviços estão com os projetos em fase final de análise para resolução de pendências (como licenças ambientais e outros protocolos). Desta forma, outras licitações deverão ser marcadas em breve, com valor próximo ao desta concorrência. Isso vai garantir a execução do maior projeto de mobilidade urbana já idealizado para permitir o desenvolvimento de Volta Redonda para os próximos anos.

“Nós temos muito que agradecer ao governador e aos secretários de estado em geral, pela atenção e apoio que temos recebido. Volta Redonda hoje só pode vislumbrar um futuro melhor graças a esta parceria com o estado. Na saúde, na infraestrutura ou onde nossa população ver algum avanço, pode saber que teve a participação do estado. Também temos que destacar o empenho da nossa equipe do município, que tem conseguido montar e viabilizar os projetos em tempo recorde”, disse Neto.

Dentro do chamado “DEMOB1”, que é a primeira parte a ser licitada agora em novembro, está prevista a construção de um novo viaduto para ligar os bairros Jardim Amália e Aterrado. O projeto prevê uma nova ligação entre a BR-393 (trecho próximo ao antigo Casarão) e a Avenida Integração (no limite entre o Aterrado e a Vila Americana, próximo à base da Petrobras). De acordo com relatório da Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade Urbana (STMU), o objetivo é permitir o acesso direto de veículos oriundos das plantas industriais à rodovia federal, evitando o sistema viário utilizado pelo transporte público e demais modais. “Tal intervenção mitiga os efeitos da segregação do território causada pela linha férrea que atravessa o município no sentido Leste-Oeste”, diz o relatório.

Ciclovias no entorno da CSN

Dentro do “DEMOB1” está prevista a construção de um sistema cicloviário no entorno da Usina Presidente Vargas, de forma a promover o deslocamento seguro pelo modal bicicleta, reduzindo os efeitos das dificuldades históricas criadas pela planta industrial, pelo Rio Paraíba do Sul e pela linha férrea operada pela M.R.S ao sistema viário atual. Na verdade, o projeto busca adequar ou atualizar Volta Redonda a estes três fatores (rio, fábrica e trem), que são alguns dos pilares da existência da cidade.

Uma das metas, por exemplo, será promover a inclusão de mais mulheres no uso de bicicletas e também diversificar a faixa etária dos ciclistas. Em pesquisa constante na elaboração do projeto, com uma amostra de 184 ciclistas (que compreende 4,97% do volume diário de ciclistas), ficou mostrado que os homens compõem 87% do público que usa a bicicleta como meio de locomoção. Do total de pessoas que diz usar o veículo, 60% têm entre 35 e 50 anos.

Da mesma maneira, serão feitas ou refeitas 32.500 m2 de calçadas e equipamentos de acessibilidade, para integrar as viagens a pé com modal transporte público nas áreas mais densamente povoadas, garantindo acesso aos equipamentos urbanos de forma plena à população, inclusive e principalmente àquela parcela das pessoas que tem mobilidade reduzida.

Transporte Público

O projeto tem ainda a construção de 15 km de corredor de transporte com faixas exclusivas, o chamado “Corredor Estrutural de Transporte Público”. Essa iniciativa tem principalmente o objetivo de aumentar a velocidade operacional dos veículos que operam no Sistema de Transporte Público de Passageiros (STPP), possibilitando maior oferta de serviço sem implemento de custos operacionais.

Para isso, serão feitas obras viárias para adequar a geometria das vias já existentes ao tráfego de veículos de maior porte, aumentando assim a capacidade de oferta de serviço no mesmo espaço urbano. Há previsão de intervenções maiores em ao menos seis pontos da cidade.

Iluminação e sinalização

Todo esse trabalho será acompanhado de nova pavimentação e da implantação de nova sinalização horizontal e vertical, com o objetivo de atender as determinações do CTB (Código Brasileiro de Trânsito), bem como garantir uma circulação segura de veículos e pedestres.

Além disso, a conclusão da licitação permitirá o avanço das melhorias na iluminação pública. Já iniciada pela Prefeitura de Volta Redonda, a troca de lâmpadas amarelas pelas de LED será ampliada dentro do DEMOB1 para mais de 12 mil pontos da cidade.

“Haverá sensível modernização do parque de iluminação pública, construindo vetores para a segurança, tanto na questão do tráfego de veículos e pedestres quanto na melhoria das condições de segurança pública, incrementando a iluminação das ruas, avenidas, vielas, alamedas, praças, monumentos históricos e demais logradouros públicos. Complementando diretamente os demais projetos a serem implantados, resultando na melhoria da imagem da cidade, favorecendo o comércio, o turismo e o lazer, e o desenvolvimento econômico e social”, aponta um trecho do projeto.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. OBRAS SÓ NO CENTRO DA CIDADE, COM CERTEZA… PERIFERIA NUNCA FOI O ALVO DO PREFEITO.

  2. Precisamos de uma solução para o transito da Ponte Alta.

    É só subir uma alça com acesso ao viaduto a partir da via expressa que vai pra BM, com sentido Siderlândia. Tem espaço suficiente na via pra poder dividi-la e o problema estaria resolvido.

    Basta querer.

    Insuportável passar por ali.

    • Realmente a Ponte Alta é o único local da cidade que de fato existe congestionamento absurdo… Outro seria Retiro mas num nível abaixo… Existe solução mais simples porém impopular politicamente falando… Duvido mexerem nesse vespeiro

  3. Teria que fazer um estudo de uma ciclovia, que ligasse os Bairros Vila Rica, Tiradentes, Casa de Pedra, Siderópolis, Sessenta e Vila Sta Cecília.
    Fica aí a dica!

    • Havia inclusive projeto pronto… Porém cabe aos políticos a coragem para implantação… Como dificilmente os estudos são levados a diante com a troca de governo, duvido que seja implantado

      Perde a população

  4. sobre casas para os sem teto nada será que vão morar debaixo dos viadutos e nas ciclovia.

    • Já falei que lá no parque do contorno tem muito espaço. Muitos terrenos, muito mato, muito bom para construir casas populares. Só o governo querer! Pois na região central, e bairros mais próximos do centro não tem como construir. Tem que ser lá no contorno mesmo!!! É longe, mas dá pra morar!

    • Já deu a dica! Gostei kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

Untitled Document