CSN sofre derrota unânime no TRT e trabalhadores serão reintegrados

Demissão ocorreu em 2022; salários devem ser pagos de forma retroativa; decisão cabe recurso em Brasília

by Vinicius

Sul Fluminense  – “Que esta decisão sirva de exemplo para todas as empresas e empresários da região”. Com esta afirmação, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense, Edmar Miguel, desceu as escadas da sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no fim da manhã desta quarta-feira (10), para comemorar a decisão que reintegrou quatro trabalhadores demitidos pela CSN, após uma paralisação (greve), em 2022. Ivair Barros da Silva, Leonardo Junior Rodrigues, Michel Marques Vieira e Everton de Paula Duarte haviam sido desligados do quadro da empresa depois da greve de abril daquele ano. “Foram mais de 27 meses sem salários, plano de saúde, vale alimentação. Eles tiveram que se virar fazendo trabalhos que não eram de suas profissões”, disse Edmar Miguel ao DIÁRIO DO VALE. A decisão foi unânime: 3 a 0.

Segundo cálculos do presidente do sindicato, como a média salarial de cada um é de cerca de R$ 2 mil e foram 27 meses longe da UPV, e sem receber, os salários retroativos podem chegar a mais de R$ 60 mil por trabalhador.

A CSN já havia perdido o processo de reintegração na Vara do Trabalho em Volta Redonda. A empresa recorreu e sofreu nova derrota.

“É uma vitória histórica da categoria e do sindicato, que vem lutando insistentemente contra mais esta arbitrariedade que foi a dispensa destes companheiros, como dos demais, sendo que seguimos na luta por todos os trabalhadores injustiçados pela CSN”, disse.

Edmar Miguel explicou que os trabalhadores terão a dignidade reestabelecida. “Foram perseguidos e humilhados. “A nossa expectativa é de quem 30 dias estejam trabalhando na usina”, disse.

Ivair Barros da Silva é um dos quatro que foram demitidos. Ele disse à reportagem que a sensação de vitória o faz acreditar que ainda existe Justiça no Brasil. “Eu tinha 25 anos de CSN e trabalhei a vida toda na GGFM (Gerência Geral de Folhas Metálicas). Trabalhei um ano no sindicato e estou fazendo Uber. Agora, com esta decisão, terei minha dignidade de volta”, disse.

JUSTIÇA – O advogado Tarcísio Xavier foi um dos advogados do processo. Ele explicou que a decisão desta quarta-feira será publicada nos próximos dias e abre prazo para recurso de embargo por parte da CSN. “Quando saiu a decisão do juízo de Volta Redonda, determinando a reintegração, a CSN tentou efeito suspensivo no TRT, que não acatou. Manteve a liminar da 1ª Instância. Com isso, a CSN entrou com pedido correição parcial no TST contra a liminar. Como agora houve o julgamento do mérito, ele prevalece sobre a decisão liminar”, disse Tarcísio.

A CSN deve entrar com um recurso de revista no Tribunal Superior do Trabalho.

 

 

You may also like

4 comments

Telys 11 de julho de 2024, 14:37h - 14:37

Sindicato só serve para amedrontaredeixar as pessoas mais pobres… Vergonha gostarem de ver a csn se dando mal… Empresários que fazem um país ser rico, sindicato faz empobrecer

Reply
Telys 11 de julho de 2024, 14:35h - 14:35

Sindicato fazendo errado e sindicalista amedrontando empresários. Quem banca um país são os empresários. Tem que deixar demitir… Isso é falta de inteligência pura e simples. Qual país é rico e bem com essas políticas bizonhas de reintegrar funcionário ruim… Vergonha… Parabéns aos envolvidos e sem nenhuma noção de economia

Reply
Silvania 11 de julho de 2024, 08:48h - 08:48

Bom dia.. mas nao goram so 4 pessoas demitidads nao… e os outros ?

Reply
Cumpre o TAC CSN 10 de julho de 2024, 16:11h - 16:11

Hahahaha gosto assim empresa amostradinha!!!!
que acha que manda e desmanda em qualquer mobilização da classe trabalhadora. E tá na na hora de cumprir o TAC…

Reply

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996