quinta-feira, 27 de janeiro de 2022 - 17:37 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Defesa Civil de Volta Redonda monitora construções em áreas ribeirinhas

Defesa Civil de Volta Redonda monitora construções em áreas ribeirinhas

Matéria publicada em 19 de junho de 2021, 08:42 horas

 


Volta Redonda – Com o fim do período de chuvas, a Defesa Civil de Volta Redonda prioriza o monitoramento de áreas ribeirinhas durante a estiagem. O objetivo é diminuir riscos, impedindo construções irregulares, escavações e ocupações desordenadas que coloquem em risco a integridade física e patrimonial de moradores.

A ação segue o Plano Municipal de Contingenciamento, criado em 2010 por meio de decreto do prefeito Antonio Francisco Neto, que define estratégias de antecipação, prevenção, mobilização e atuação de secretarias e autarquias do governo – municipal estadual e federal – no caso de desastres naturais na cidade.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Volta Redonda, Rubens Siqueira, as ações rotineiras do órgão visam se antecipar a eventuais ocorrências.

“Neste período, a Defesa Civil prioriza as áreas ribeirinhas e entorno da bacia hidrográfica do Rio Paraíba do Sul. Os técnicos visam evitar atos inseguros de moradores que estão em áreas de vulnerabilidade, como escavações e construções irregulares. A prevenção e orientação é uma garantia de segurança para a população”, frisou Rubens.

O coordenador da Defesa Civil lembrou que apesar de Volta Redonda ser uma cidade resiliente, é muito importante manter o plano de contingenciamento atualizado, visto que problemas como alagamentos, deslizamentos e desmoronamentos não escolhem hora para acontecer.

“A nossa equipe é formada por agentes civis capacitados, motivados, preparados para uma pronta resposta. Cada qual sabe o que fazer e como fazer ao chegar ao local do sinistro: isolar a área; fazer o levantamento de informações fundamentais para um procedimento seguro; verificar a existência de vítimas, adultos ou crianças; se no local tem carga tóxica; evitar aglomerações e curiosidades de terceiros que prejudicam o trabalho. O cenário de riscos deve ser identificado logo para um atendimento com segurança”, disse Rubens, citando o incêndio no início do ano, em uma loja na Avenida Amaral Peixoto, centro comercial da cidade, onde a Defesa Civil ajudou a isolar a área e inspecionar o local, num trabalho conjunto com as secretarias municipais, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

Superando as restrições da pandemia

Acostumada a fazer palestras e debates junto a empresas, associações de moradores, clubes de serviços e escolas, ampliando os programas de conscientização para adoção de comportamentos seguros, que não coloquem em risco a integridade física e patrimonial das pessoas, a Defesa Civil teve também que se adaptar aos tempos de pandemia da Covid 19. Através do uso da ferramenta online com grupos reduzidos, o órgão continua promovendo ações de orientação e instrução. O detalhe é respeitando o distanciamento social, uso de máscaras e álcool em gel.

“Quando são atividades presenciais, elas são realizadas no nosso Centro de Instrução, no qual todos os protocolos são adotados, restringindo o contato pessoal, permanecendo o menor tempo possível em ambientes fechados“, garantiu Rubens Siqueira.

Ele informou que ainda este ano será realizado um seminário da Defesa Civil no auditório da sede, que fica na Ilha São João, com capacidade para 50 pessoas, de forma confortável com distanciamento e uso de máscaras. O evento visa a troca de informações e experiências com integrantes regionais de Defesa Civis na superação de desastres naturais e casos de emergências. O seminário ainda não tem data para acontecer.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document