>
quinta-feira, 18 de agosto de 2022 - 09:00 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Delegado de Valença diz que caso de jovem baleada teve um desfecho trágico

Delegado de Valença diz que caso de jovem baleada teve um desfecho trágico

Matéria publicada em 27 de novembro de 2020, 15:14 horas

 


Valença –  O delegado titular da 91ª DP, Carlos César Santos, disse que o caso do sequestro de uma estudante, que foi mantida como refém dentro de um carro e baleada no rosto pelo namorado, um PM, no estacionamento de uma universidade em Valença, foi um caso inusitado na cidade e que teve um desfecho  trágico.

O policial se pronunciou  após o fim do sequestro na manhã desta sexta-feira, dia 27, que terminou com a prisão do policial e a mulher sendo levada para o Hospital Escola de Valença.

O delegado explicou que, além dele,  a negociação com o sequestrador foi feita também por negociador da polícia do Rio de Janeiro, o subcomandante do Batalhão onde o PM é lotado e familiares dele. Mas, segundo César, mesmo fazendo de tudo para que ele se rendesse,  o policial  atirou na vítima.

César disse que a intenção é descobrir o motivo do crime.

A Fundação Educacional Dom André Arcoverde, onde a vítima é aluna de um curso de pós-graduação, divulgou em nota, revelando que o casal foi visto discutindo dentro do veículo do PM. Ainda de acordo com o comunicado, seguranças da faculdade tentaram intervir na discussão, mas se afastaram após notarem que o suspeito estava armado. Em seguida, eles chamaram a polícia no local.

A assessoria da Polícia Militar informou que policiais do 10ºBPM (Barra do Piraí) atuaram no local e agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) também foram deslocadas para Valença.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Os policiais tiveram todo tempo do mundo para abater esse assassino. Mas nada fizeram. Por muito menos, noutros casos amplamente noticiados pela imprensa, o criminoso é abatido e morto.

  2. Se fosse negro ou pobre seria fuzilado imediatamente.

    • Se fosse negro e policial não atirariam.

      Existe uma coisa chamada corporativismo.

      Ali era legitima defesa de terceiro.

      Não precisavam esperar ninguém chegar para exercê-la.

  3. No mundo todo, bandido atirou, não importa em que, a polícia atira de volta. Aqui no Brasil tbm é assim, MENOS quando o bandido é um POLICIAL ou um figurão…

  4. Desfecho trágico e uma polícia que parecia está do lado do bandido de farda pois por que ñ atirou nele quando tiveram chance em 2018 em Valença msm a pm agiu bem quando matou um bandido sem farda no caso do roubo de uma joalheria em Valença será que ñ ouve erro da pm nesta vez em não atirar

  5. Matou a moça e ai se entregou?? Frio e calculista. Tinha intenção de matar e ai depois se entrega bonzinho?? Porque nao eliminaram ele??/

  6. Motivo do crime?

    Não tem motivo.

    O cara é um doido que não soube lidar com um fora e tinha um porte de arma devido a profissão.

    É aquele sujeito que diz se ela não for minha, não será de mais ninguém.

    Como uma pessoa assim passa em um psicotecnico da polícia?

    Só falta o assassino querer por a culpa na vítima.

  7. Desfecho trágico ou previsível?
    O que eu (e todo mundo, imagino) gostaria de saber, é como que em 2h30 de uma situação como essa, com todas essas circunstâncias, o agressor não foi neutralizado?

Untitled Document