segunda-feira, 17 de junho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Colunas / Deputado Flávio e o ‘seu’ Rachid

Deputado Flávio e o ‘seu’ Rachid

Matéria publicada em 16 de dezembro de 2018, 15:27 horas

 


Movimentações que o Coaf considera suspeitas envolvem assessores de mais de vinte deputados estaduais do Rio

A informação de que o Coaf (Conselho de controle de atividades financeiras) está investigando movimentações de recursos feitas por um ex-motorista do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, agitou os opositores do capitão. A má notícia é que essas supostas movimentações irregulares apontam para algo que se tornou quase um padrão de comportamento não apenas na Alerj, mas em legislativos por todo o Brasil. Uma possibilidade é que essas movimentações estejam relacionadas a uma prática que, de tão antiga, ganhou até apelido: “Rachid”.

Um dos sintomas de que as supostas irregularidades não são apenas do deputado estadual Flávio Bolsonaro é o fato de o Coaf estar investigando mais de setenta assessores de mais de vinte deputados estaduais do Rio.

Muita gente vai entrar no mesmo barco se caso de Flávio Bolsonaro for investigado (Foto: Arquivo)

Em tese, a prática do “Rachid” consiste em funcionários comissionados (de livre nomeação) contratados pelo parlamentar devolverem parte de seus salários. Segundo pessoas que teriam presenciado essa prática, o dinheiro costuma ser usado de diversas formas: para assistencialismo, na forma de cestas básicas, sacos de cimento, uniformes para times de futebol ou coisas parecidas, como contribuição para acumular recursos a serem usados em campanhas eleitorais futuras, ou até para reforçar o caixa pessoal do parlamentar.

E o “Rachid” estaria longe de se limitar à Alerj; há rumores sobre sua adoção em várias outras casas legislativas, por todo o Brasil.
No caso da Alerj, cada deputado estadual tem direito a vinte cargos de livre nomeação em seu gabinete, com R$ 171 mil de salário total. Se, por mero palpite, considerarmos que um determinado gabinete aplique um “Rachid” de 50%, teremos R$ 85,5 mil mensais ou pouco mais de R$ 1,1 milhão por ano, considerando treze salários.

O detalhe é que os funcionários, em tese, não são obrigados a participar do esquema. A alternativa é ser exonerado sumariamente, mas sempre existe o argumento de que o cargo é de livre nomeação e o parlamentar contrata quem bem lhe aprouver.

Um detalhe é que o Coaf, ao colocar sob investigação assessores de cerca de 20 dos 70 deputados estaduais fluminenses, só chegou a gabinetes em que o possível esquema envolva transações feitas através do sistema bancário. Se em outros gabinetes forem usadas fórmulas diferentes, como entrega de valores em dinheiro vivo, fica mais difícil encontrar indícios da prática.

E nós com isso?

Caso fique provado que os recursos movimentados pelo motorista de Flávio Bolsonaro provêm de renúncia de seus próprios assessores a parte de seus salários, ele se equiparará a outros parlamentares que já foram acusados da mesma coisa. Não se trata de propina paga por empresas que estivessem interessadas em obter vantagens indevidas com a conivência do parlamentar.

No fim das contas, quem participa do esquema na condição de contribuinte geralmente está recebendo um salário acima da média do mercado nacional, e mesmo abrindo mão de parte dos vencimentos estará sendo bem remunerado. E provar que o esquema existe não é tão simples, até porque mesmo quem contribui com parte do salário não tem a menor disposição de colaborar com as investigações e colocar em risco o salário inteiro.

É regular? Não, porque parte do dinheiro que seria para pagar assessores estaria sendo usado com outros fins, mas punir o deputado estadual (até o fim desta legislatura) e senador eleito por isso abriria a “porteira” para uma quantidade imensa de processos, que começariam pelos seus colegas da Alerj que também têm assessores investigados pelo Coaf e poderiam se espalhar por câmaras municipais e assembleias legislativas de todo o Brasil, com a possibilidade de atingir ainda a Câmara dos Deputados e ao Senado Federal.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

36 comentários

  1. Avatar

    O outro filho do bolso é vereador pela cidade do Rio,o que ele faz tanto em Brasília?

  2. Avatar

    Fica mais fácil para a Policia Federal investigar como foi pago o outdoor pelo Brasil a fora com propaganda do então vcs sabem de quem estou falando que quando a imprensa perguntava diziam que era vaquinha de apoiadores!
    Significado de outdoor: anúncio em forma de cartaz, painel múltiplo, painel luminoso etc., ger. de grandes dimensões, exposto à margem de vias urbanas ou em outros pontos ao ar livre destacados para tal.

    Então meus amigos provavelmente veio desta prática em todo país!

  3. Avatar

    Pombo correio e angustiada ,o capitão não gosta deste tipo de relacionamento.

  4. Avatar

    Guto meu herói.

  5. Avatar

    Don Gutito vá para o Paraguai ,seu falsário canastrão.

  6. Avatar

    Vou preencher o vazio que existe dentro de você, angustiada!!!!!

  7. Avatar

    Essa coisa que se denomina Guto ,entrou na fila da imbecilidade e não quer sair,que sujeinho cretino!!!

  8. Avatar

    Vamos ver nos próximos 4 anos o que dirão os relinchandores nas páginas escritas pela dinastia bolsonariana.

  9. Avatar

    O mito devia levar para BRASÍLIA os oniscientes Guto,vai vendo e Anderson como assessores,desse jeito nos livraria destas malas e teriam seus salários rachados com as pessoasde bem deste país .

    • Avatar

      E vocês deveriam ir para a Venezuela assessorar Maduro, desse jeito nos livraria dos imbecis úteis ou vendidos que vocês representam e teriam seus pratos rachados com pessoas de bem daquele país.

  10. Avatar

    A famiglia Buscapé chegou ao poder!!!!!!!!!!!!!!!

  11. Avatar

    @Francisco Pecegueiro O senhor é burro ou se faz? O Coaf foi um dos órgãos que auxiliou nos maiores escândalos de corrupção nesse país: Petrolão, mensalão, lava-jato e afins. PARE DE SER SELETIVO. Já passou da hora do brasileiro entender que enquanto critica o PT os outros partidos estão lá, fazendo o que sempre fizeram. A verdade é uma só: Quem faz errado precisa pagar pelos erros. Não é pedir desculpa e fazer tatuagem com versículo bíblico, feito Lorenzoni. Não é passar pano pra funcionário fantasma (prática que a família já era entendida antes de ser eleita). Dos vinte e poucos ministros , nove são investigados ou réus. A cegueira de vocês é idêntica aos que são cegos pelo Lula. Cambada de hipócritas!

    • Avatar

      pela sua educação e interpretação não vou nem entra em detalhes dever ser um burro petista que idolatra o 9 dedos !

  12. Avatar

    O cara é mesmo mito! Nem assumiu ainda para começar a roubar!Calma ai Bolsonaro….avisa os garotos que estão muito afoitos!

  13. Avatar

    Essa ALERJ é um antro de mafiosos. Seja PT PMDB . A corrupção ali, não respeita, partido, religião, ideológia política, nada. Vejam os q já foram presos. Se a PF quiser, o número aumenta. Deus nos guarde.

  14. Avatar

    O Gugu tem político ladrão de estimação. Só que o dele rouba pouco, tem ministro caixa dois, ministro do meio ambiente condenado… Assim vamos vivendo de paixões cegas e o Brasil cada vez mais na lama.

  15. Avatar

    Revoltada a menina,se até lixo se recicla!!!!!!!!!!

  16. Avatar

    Só para lembrar, “Rachid” é crime.

  17. Avatar

    Lembrando a ex deputada Inês pandeló foi punida por esse motivo, so que no caso dela o rachid era em prol da militância, ja que não havia como nomear a todos.

  18. Avatar
    Com mais barriga com Menas bunda

    O tal de Guto traz uma dúvida atroz,se sabe tudo de nada ou sabe nada de tudo .

  19. Avatar

    O que eu acho indefensável é que não se dê a menor importância para todos os outros casos! Até porque o Flávio Bolsonaro é o décimo sétimo na lista do COAF!!!
    O Máximo de Explicação que o deputado estadual André Ceciliano deu, cujos assessores movimentaram 49 milhões e 300 mil reais, é que a assessora que concentra as movimentações atípicas pertence a uma família de empresários da cidade de Paracambi, onde o Ceciliano foi prefeito por dois mandatos!!!
    Só a assessora movimentou 26 milhões e quinhentos mil reais! Então, ainda na hipótese de que a assessora Elisângela movimenta milhões de reais da família dela, ainda sobra os outros três assessores: Carlos Alberto, Benjamim Barbieri e Ana Paula Pereira Alves, que teriam movimentado junto os restantes 22milhões e 800 mil reais!!! Eles não vão explicar?! A imprensa não vai cobrar?! Ninguém vai escrever sobre isso no DV?!
    A imprensa está apontando a família do Fabrício Queiroz, por que não faz isso com o do petista também?! Cadê a imprensa fluminense?!
    Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”….

    • Avatar

      Caia na real, a vida inteira foram pedras, agora serão vidraças, simples assim. É melhor Jair se acostumando.

    • Avatar

      Esse Guto é um idiota mesmo…Sua mulher deve estar com um negão do PT…Acorda meu filho…. Tá na cara que essa família do Bozo nao vale nada…Vai destruir os direitos dos trabalhadores…. Vergonha é vc defender essa corja…. Além de corno é tolo….

  20. Avatar

    Só um petista Ceciliano, que virou presidente da Assembléia, movimentou 30 milhões, e isso não vira assunto… ninguém na imprensa divulgou isso!
    Como diria o jornalista Boris Casoy: “Isso é uma vergonha!”…

  21. Avatar

    Isso deve ser igual “pedalada fiscal”, governadores e prefeitos fizeram também, mas só presidente da república sofre impeachment.
    Quanto maior é o silêncio desse tal Queiroz, maior é a perturbação. A família quase toda na assessoria dos Bolsonaro, com demissão pouco antes da revelação para o povo desse escândalo também é de se estranhar. Outro detalhe: os R$ 24 mil da Sra. Bolsonaro não lembra a história do Fiat Elba que o PC Faria deu para a mulher do Collor? Essa do “não tenho tempo de ir ao banco” não colou.
    E antes que falem, o exemplo: tanto faz se um empregado de supermercado furta uma lata de sardinha ou uma peça inteira do melhor bacalhau da Noruega, se for pego vai ser demitido do mesmo jeito, pela perda de confiança nele. E pode ser denunciado na DP também.

  22. Avatar
    Evangélico sim, trouxa não!

    O que Cuba e o clã Bolsonaro teem em comum? Ambos gostam de se beneficiar do salário dos outros.

  23. Avatar

    Porque o COAF não identificou os milhões e bilhões nas contas dos deputados oresos e procwssados na Lava Jato e dos governadores do Rio presos?

    Eis o mistério!

  24. Avatar

    Onde está o Queiroz? Vivandeira angustiada está de férias.Mourão tá de olho!!!!!!!!!!!!

  25. Avatar

    Assessores e médicos cubanos trabalho escravo .,………kkkkkkkkkk

  26. Avatar

    Que se espalhe para todos os poderes, que se espalhe e se faça justiça! Afinal elegemos esse presidente para o combater a corrupção, e nao compactuar com ela.

  27. Avatar

    Conforme parecer de um oligoide onisciente,o valor é irrisório em relação a quadrilha petista,por este pensamento soltem todos os que estão presos,princípio da bagatela.

    • Avatar

      Que mixórdia! Teratológica esta tua ilação sobre o princípio da bagatela o Boca de sapo!!! De toda forma, concordo contigo no sentido de que não existe falcatrua pequena ou grande, todos devem ser punidos!!!

      Há muito tempos não voto mais no PT, mas o Senador Suplicy, que acho um caro sincero e honesto, disse a um bom tempo atrás que se não mudassem as regras para o caixa de campanha dos políticos, não sobraria ninguém solto, pois a conta não fecha; o que se ganha em 04 anos de mandato (apenas o salário do parlamentar) não paga o custo de uma eleição!!! O sistema cria as condições para a mente “inventiva” dos corruptos de todas as matizes ideológicas..

  28. Avatar

    O governo cubano e os bolsonaros são farinha do mesmo saco.

  29. Avatar

    Hum. Pela opinião do escriba é melhor deixar como está? Teria receio de publicar algo relativo aos vereadores da região que promovem o verdadeiro trem da alegria? Esse país não tem mais jeito não.

Untitled Document