quinta-feira, 6 de maio de 2021 - 22:30 h

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Dilma anuncia reajuste de 9% do Bolsa Família e correção de 5% do IR

Dilma anuncia reajuste de 9% do Bolsa Família e correção de 5% do IR

Matéria publicada em 1 de maio de 2016, 22:01 horas

 


Aumento entrará em vigor ainda em 2016; para este ano, o Bolsa Família tem R$ 28,11 bilhões

Mais uma vez: Em evento em São Paulo, presidente chamou o processo de impeachment, que tramita no Senado, de golpe (Foto: Divulgação/Agência PT)

Mais uma vez: Em evento em São Paulo, presidente chamou o processo de impeachment, que tramita no Senado, de golpe (Foto: Divulgação/Agência PT)

São Paulo – A presidente Dilma Rousseff anunciou ontem, em ato promovido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), o reajuste de 9% para os beneficiários do Programa Bolsa Família – o aumento entrará em vigor ainda em 2016. Dilma Rousseff anunciou também correção de 5% da tabela do Imposto de Renda para o próximo ano; a contratação de, no mínimo, 25 mil moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida e a extensão da licença-paternidade de cinco para 20 dias aos funcionários públicos federais. As informações são da Agência Brasil.
“Quero lembrar que essa proposta [de reajuste do programa Bolsa Família] não nasceu hoje. Elas estavam previstas quando enviamos o Orçamento em agosto de 2015 para o Congresso. Essa proposta foi aprovada pelo Congresso. Diante do quadro atual, tomamos medidas que garantam a receita para este ano e viabilizar tudo isso sem comprometer o cenário fiscal”, disse a presidente Dilma, no evento em comemoração ao Dia do Trabalho, no Vale do Anhangabaú, na capital paulista.
O ato é promovido, em conjunto, pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Intersindical. O lema este ano é Brasil: Democracia + Direito, contra o processo de impeachment da presidente. Segundo a CUT, o ato reúne mais de 60 entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo. As centrais sindicais realizam o ato “em defesa da democracia, contra o golpe e contra a retirada de direitos.”
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja presença foi esperada no ato, não compareceu, segundo a assessoria do Instituto Lula, porque está com problemas na voz e permaneceu o dia em sua casa, em São Bernardo. No último dia 25, em evento promovido pela Aliança Progressista, uma rede internacional de partidos e organizações de esquerda, Lula teve seu discurso lido pelo diretor do Instituto Lula, Luiz Dulci, porque estava rouco.

Impeachment

No discurso, Dilma reiterou que não cometeu crime de responsabilidade ao ter emitido decretos com crédito suplementares, fato apontado na denúncia que originou o processo de impeachment. Segundo Dilma, no governo de Fernando Henrique Cardoso foram editados 101 decretos desse tipo. “Para ele [Fernando Henrique Cardoso], não era nenhum golpe nas contas públicas. Para mim, é golpe nas contas públicas. Dois pesos e duas medidas. Eles não têm sobre o que me acusar, é constrangedor”, disse a presidente.
“Não tenho conta no exterior, jamais usei recurso público em causa própria, não recebi propina e nunca fui acusada de corrupção. Eles tiveram que inventar um crime”, disse, em referência ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que responde a processo no Conselho de Ética da Câmara acusado de ter mentido sobre contas no exterior e responde a processo por envolvimento no esquema de propina da Petrobras.
A presidente chamou o processo de impeachment, que tramita no Senado, de golpe. “Não é um golpe com armas, tanques na rua, não é golpe militar que conhecemos no passado. Eles rasgaram a Constituição do país. Fazem isso porque há 15 meses eles perderam uma eleição direta”, disse. “Vou resistir e lutar até o fim”, acrescentou Dilma.

Bolsa Família

O governo adiou no início da tarde a entrevista coletiva de imprensa da ministra Tereza Campello para dar detalhes sobre a correção dos valores do Bolsa Família. Segundo nota do Palácio do Planalto, a entrevista será remarcada para data ainda não definida. Não foi divulgado motivo oficial para o adiamento. No entanto, segundo fonte do Palácio do Planalto, é estudada a edição de um decreto para só depois ocorrer o detalhamento do reajuste.
Para este ano, o Bolsa Família tem R$ 28,11 bilhões. O montante é superior aos R$ 26,41 bilhões gastos em 2015. Durante as discussões do Orçamento deste ano, a Comissão Mista de Orçamento tentou cortar R$ 10 bilhões do Bolsa Família, alegando que o atendimento aos atuais beneficiários não seria prejudicado, mas o governo negociou para reverter a proposta.

Cunha considera ‘irresponsabilidade
fiscal’ reajuste do Bolsa Família

O presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), considerou uma “irresponsabilidade fiscal” a decisão da presidente Dilma Rousseff de reajustar em 9% o valor dos benefícios do Programa Bolsa Família. A medida foi anunciada neste domingo (1º) pela presidente em São Paulo, durante ato promovido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). De acordo com o peemedebista, não há espaço no Orçamento para o reajuste.
“É mais uma enganação do governo. A Dilma quebrou o país e agora está aumentando o buraco”, afirmou o deputado à Agência Brasil.
Cunha lembrou que, no fim do ano passado, o governo propôs a mudança da meta fiscal, alterando a meta de resultado primário do ano, possibilitando o país fechar as contas de 2015 com déficit primário de até R$ 119,9 bilhões.
“O aumento do Bolsa Família agora é sim uma irresponsabilidade fiscal, até porque falar que está no Orçamento é mais uma enganação do governo. No Orçamento tinha, inclusive, receita CPMF inexistente. Vejo como agonia de fim de governo, com irresponsabilidade”, acrescentou Cunha.
Sobre a correção de 5% da tabela do Imposto de Renda para o próximo ano, o presidente da Câmara informou que a medida só terá efeito para 2017 e depende de aprovação do Congresso. “Não vemos nada demais. Porei para votar, como sempre pus, todas as matérias do Poder Executivo”.
Durante o ato organizado conjuntamente pela CUT, pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e Intersindical, Dilma afirmou que a proposta de reajuste do Bolsa Família “não nasceu hoje”. Segundo a presidente, ela estava prevista no proposta de Orçamento, enviada ao Congresso em agosto de 2015.
“Essa proposta foi aprovada pelo Congresso. Diante do quadro atual, tomamos medidas que garantam a receita para este ano e viabilizar tudo isso sem comprometer o cenário fiscal”, destacou a presidente Dilma no evento em comemoração ao Dia do Trabalho, no Vale do Anhangabaú, na capital paulista.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Avatar
    A FAVOR DO BRASIL

    QUE REAJUSTE E ESSE PARA BOLSA FAMILIA? E DE EMPREGO QUE ESSAS FAMILIAS PRECISAM…COM ESSE AUMENTO SO INCENTIVA A POBREZA. OLHA A IRRESPONSABILIDADE COM FINANCAS DO BRASIL! E AINDA AUMENTO DE 5% PARA OS TRABALHADORES…QUE VERGONHA ! FORA DILMA!!!!!

  2. Avatar

    Esse Governo mesmo sabendo q ue ficará apenas 09 dias no governo, vem com esse ar de superioridade, esse será lembrado como o governo da mentira e da corrupção nunca visto em qualquer parte do mundo.

  3. Avatar

    O nome disso é Enterro de Luxo.

  4. Avatar
    Antonio Carlos Peludo

    É uma irresponsável é uma ditadora nata e pior não tem patriotismo esta retaliando o molusco disse que poria o exercito de Stedile nas ruas e o novo governo não teria sossego … Não seria isso uma ameaça? Ameaça é crime

  5. Avatar

    A Presidente da República já está convencida que será afastada do cargo no dia 12 de maio e exatamente por isto ela está tomando decisões que vão provocar mais descontrole nas finanças do Governo Federal e um processo de desgaste no governo que vai se instalar: Aumento dos valores do Bolsa Família, que foi proposto pela oposição e que ela vetou na Lei Orçamentária Anual e a redução do desconto do Imposto de Renda, que sempre foi uma bandeira da oposição! Ela não está nem um pouco preocupada com o Brasil. Ela está preocupada em se manter no poder e não sendo possível, inviabilizar o novo governo e o próprio Brasil! O Jornal “Estado de São Paulo” chama isto de “molecagem”! Vale a pena ler o Editorial!

  6. Avatar

    O PT sempre criticou os candidatos ou presidentes de outros partidos, acusando-os de reduzir ou acabar com os Programas Sociais, o que já vem fazendo em relação a um eventual Governo Temer. O Jornal O Globo, edição de ontem, mostra que os “programas sociais têm cortes de até 87% com Dilma”, exatamente porque o país está no buraco, sem recursos para mais nada, porque gastaram demais nos últimos anos. Mesmo assim, a Presidente anunciou um aumento nas despesas com o Bolsa Família, de 5%, mesmo sabendo que não há condições para fazer isto, já que a própria Presidente vetou um reajuste que havia sido proposto pela oposição, na Lei Orçamentária Anual! O que pretende a Presidente? Se o Temer bancar o reajuste, foi ela que concedeu e se vetar, ele terá o desgaste de ficar contra o reajuste, isto é, o PT vai acusá-lo de ser contra os Programas Sociais! O nome disto é picaretagem e tem tudo a ver com o PT e a Dilma!

    • Avatar

      E o pior é que isso mostra mais uma vez que estão dispostos a tudo, para se manterem no poder. Tal decisão afeta e prejudica a vida de todos, sem distinção, seja os que são contra o governo seja os que são á favor. E mesmo o indivíduo sendo prejudicado pelo governo e, vendo que não se importam com ele, o estúpido continua defendendo esses bandidos.

  7. Avatar

    No dia do trabalho o reajuste vai pra quem NÂO trabalha. Realmente o pt é o partido dos trabalhadores que não trabalham, dos estudantes que não estudam e dos intelectuais que não pensam.

  8. Avatar

    Por isto tem que tirar esta mulher;
    Reajuste de 9% pra quem não faz nada e 5% para os idiotas que trabalham.

Untitled Document