Documentário sobre a vida e a memória no entorno das estações ferroviárias do Vale do Paraíba terá estreia internacional

by Diário do Vale

Sul Fluminense – As icônicas estações de trem das cidades do Vale do Paraíba, em especial Barra do Piraí, são o tema do documentário “Entroncamentos – vida e memória nas estações ferroviárias do Vale do Paraíba”, cuja estreia mundial acontecerá no Festival Internacional de Buenos Aires, que acontecerá em setembro de 2022.

A seleção oficial do filme marcará a sua estreia no circuito internacional de festivais que, nesse caso, tem como característica ser o único festival latino americano a acontecer no continente europeu. Primeiro longa metragem produzido pela Quiprocó Filmes e dirigido por Fernando Sousa e Gabriel Barbosa, a narrativa do filme é construída a partir de entrevistas e vasto material de arquivo de cine-jornais, fotografias, mapas e litogravuras, que contam a história da ascensão e declínio do transporte ferroviário no maior entroncamento da América Latina, no Vale do Paraíba fluminense.

Em meio a esses registros heterogêneos e às ruínas das estações ferroviárias, a narrativa é costurada pela experiência dos personagens, suas reminiscências de relações de amizade, afetos, paixões e tensões forjadas nos trilhos do trem. A trilha sonora do filme conta com composições de Abel Ferreira e Clementina de Jesus, cujas canções imprimem ao documentário o ritmo característico da musicalidade afro-brasileira – com destaque ao jongo – sonoridade marcante e definidora da formação da região do Vale do Paraíba.

As histórias dos personagens envolvidos diretamente com as estações e o vasto material de arquivo são o fio condutor do documentário. A Estrada de Ferro D. Pedro II, uma das primeiras linhas férreas do Brasil, tinha como objetivo inicial escoar a produção de café do Vale do Paraíba e, posteriormente, contribuir para  estruturar a industrialização da região no século XX. Assim, diversas cidades nasceram ao longo do seu traçado, consolidando um estilo de vida intimamente ligado ao trem e às estações.

“Muitos trabalhadores dessas estações – hoje sucateadas e fora de funcionamento – ainda moram no seu entorno, o que nos permite vislumbrar uma forte relação ainda não rompida com esses lugares, que são centrais para a formação social da região do Vale do Paraíba e do Estado do Rio de Janeiro”, afirma Gabriel Barbosa, que assina o roteiro e direção do filme com Fernando Sousa.

Com a finalização do filme, a Quiprocó Filmes aprovou um projeto de Circulação Estadual de Programação na Lei Estadual de Incentivo à Cultura (Lei do ICMS), o que habilita a captação de recursos para viabilizar um circuito de exibições com o filme no interior do Estado do Rio de Janeiro. Os diretores planejam a realização de uma estreia do filme em Barra do Piraí, em março de 2023, quando será comemorado o aniversário de 133 anos da cidade.

“Entroncamentos: vida e memória nas estações ferroviárias do Vale do Paraíba” é apresentado pelo Governo Federal, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro, através da Lei Aldir Blanc. O primeiro longa-metragem da dupla de cineastas contou ainda com recursos de um financiamento coletivo, o apoio da Casa Fluminense, da Fundação Heinrich Böll e do Centro Universitário Geraldo Di Biase.

You may also like

1 comment

Laticinea 2 de agosto de 2022, 08:39h - 08:39

Deram nas mãos da turma Raunet,só quer mostrar o que está bonito,não temos trens para contar as verdades do povo,vi em BM,a estação de Saudade destruída pela MRS.

Comments are closed.

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996