>
domingo, 7 de agosto de 2022 - 19:13 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Mais de 300 recém-nascidos do Hospital São João Batista já foram alimentados pelo Banco de Leite Humano de Volta Redonda este ano

Mais de 300 recém-nascidos do Hospital São João Batista já foram alimentados pelo Banco de Leite Humano de Volta Redonda este ano

Matéria publicada em 6 de julho de 2022, 14:56 horas

 


Atualmente o Banco de Leite Humano conta com o empenho de 55 mães doadoras ativas

Volta Redonda – A cada gota de leite que é doada, uma pequena vida se transforma em uma grande esperança. É essa a missão do Banco de Leite Humano do Hospital São João Batista (HSJB), que atua protegendo, promovendo e apoiando o aleitamento materno. Garantindo a segurança alimentar para bebês prematuros e de baixo peso que estiverem internados na UTI Neonatal do hospital, reduzido assim a mortalidade infantil.

Este ano, entre janeiro e junho já foram processados no Banco de Leite 80.400 ml de leite humano, alimentando mais de 300 recém-nascidos até o momento. O local é referência no Médio Paraíba, recebendo doações dos 24 municípios que compõem a região. Atualmente, o Banco de Leite Humano conta com o empenho de 55 mães doadoras ativas e com um cadastro de 400 doadoras, que foram realizados de janeiro deste ano até agora.

A gerente de Enfermagem do Hospital São João Batista (HSJB), Glauciléia Rodrigues de Souza, destaca que não há uma quantidade de leite humano específica para se tornar doadora.

“Um litro de leite materno doado pode alimentar até dez recém-nascidos por dia. Dependendo do peso, se o bebê for prematuro, 1 ml por mamada já é o suficiente para nutri-lo. Vale ainda salientar que o leite humano doado, antes da distribuição, passa por um rigoroso processo de controle de qualidade. Sendo aprovado, o leite fica armazenado no banco”, explicou a gerente.

Sala de Ordenha

O Banco de Leite Humano de Volta Redonda conta ainda com a Sala da Ordenha. O local recebe mães que fizeram o parto pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e as que tiveram seus filhos na Rede Privada de Saúde. O objetivo é tirar dúvidas sobre o aleitamento materno.

Este ano foram realizados 470 atendimentos às mulheres que procuraram a sala de ordenha e outros 1074 atendimentos às puérperas internadas no hospital, no mesmo período.

De acordo com a equipe do banco diariamente são necessários de 6 a 8 litros de leite para suprir a demanda do HSJB. Todos os recém-nascidos internados na UTI Neonatal, que faz uso do Leite Humano Pasteurizado (LHP), recebe em média 8 refeições a cada 24h.

Incentivo ao aleitamento materno

As abordagens às puérperas internadas e seus acompanhantes são realizadas nas enfermarias, e tem como principal objetivo conscientizar e orientar quanto a importância do leite materno, amamentação e sobre a importância sobre o ato de doar o leite materno para os recém-nascidos que precisam.

Qualquer mulher pode ser doadora. A candidata realizará um cadastro e receberá todas as informações necessárias. Será feito uma coleta dos dados pessoais e da gestação. Estando liberado pela médica, o Banco de Leite Humano entrará em contato com a doadora para agendar a visita domiciliar, capacitação para ordenha e armazenamento do leite humano.

Outras orientações sobre como se tornar uma doadora podem ser obtidas no Banco de Leite Humano do hospital São João Batista, através do telefone: (24) 3339-4242, ramal- 248.

“A recomendação é que a amamentação ocorra até os dois anos de idade ou mais, e que nos primeiros seis meses, o bebê receba somente leite materno, sem necessidade de sucos, chás, água e outros alimentos. Depois dos seis meses, a amamentação deve ser complementada com outros alimentos saudáveis e de hábitos da família”, ressaltou a gerente de Enfermagem do Hospital São João Batista (HSJB)”, Glauciléia Rodrigues de Souza.

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document