quinta-feira, 2 de dezembro de 2021 - 16:47 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Em Angra, Olimpíadas são encaradas como oportunidades para o Turismo

Em Angra, Olimpíadas são encaradas como oportunidades para o Turismo

Matéria publicada em 18 de outubro de 2015, 09:50 horas

 


Angra dos Reis será uma das cidades sede do revezamento da Chama Olímpica e espera alavancar o setor

angra

No páreo: Angra dos Reis é uma das 82 cidades escolhidas para receber o revezamento da Chama Olímpica (Foto: Divulgação)

Angra dos Reis – A realização da primeira Olimpíada no continente Sul Americano, no Rio de Janeiro, em 2016, é encarada como uma oportunidade para o desenvolvimento do turismo em todo o país. Para algumas cidades, no entanto, será uma ocasião ainda mais especial. Angra dos Reis, por exemplo, é uma das 82 cidades escolhidas para receber o revezamento da Chama Olímpica e pensa grande para o período dos jogos no Brasil.
A prefeitura local quer seguir o recado da presidente Dilma Rousseff, e do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, durante o lançamento do projeto “Ano Olímpico para o Turismo”, realizado nesta quarta-feira, em Brasília. Angra dos Reis, como um dos 82 municípios sede do revezamento da Chama Olímpica, esteve representada no evento por meio do presidente da Fundação de Turismo (TurisAngra), Klauber Valente.
O evento foi uma iniciativa do Ministério do Turismo para potencializar os efeitos dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos para todo o país. Para Dilma Roussef, o evento é um marco na consolidação do Brasil como importante destino turístico mundial.
– O ministro Henrique tem razão de utilizar a Olimpíada como plataforma para alavancar o turismo. Os jogos vão permitir atrair mais turistas internacionais e movimentar o turismo interno.  O turismo tem a capacidade de congregar empresas de todos os portes, gerar emprego e ajudar a construir renda e riqueza no país – defendeu a presidenta da República. Segundo ela, o Brasil passou por dificuldades conjunturais que o turismo, “atividade que contribui para o otimismo no país”, pode ajudar a superar.
O presidente da TurisAngra aproveitou o encontro para contatos estratégicos de promoção do destino Angra durante os Jogos. Desde o mês passado, a Fundação desenvolve, com empresários, um plano de negócios para o período de junho a setembro do ano que vem, período em que a ocupação turística na cidade do Rio de Janeiro estará plena.
Klauber esteve com o secretário de Estado de Turismo do Rio, Nilo Sérgio Félix, e com o secretário municipal de Turismo da cidade do Rio, Antônio Pedro. Ambos veem com otimismo os resultados do esforço dos empresários de Angra.
– Trata-se de uma ação integrada para as Olimpíadas, mas com foco muito além. Estamos tentando criar um plano de negócios para o mercado internacional, que possa ser referência para todos os operadores de turismo. As Olimpíadas são a melhor oportunidade de fortalecer as marcas Angra dos Reis e Ilha Grande – previu Klauber.
Durante o encontro em Brasília, o ministro Henrique Eduardo Alves citou os principais números do setor, como a contribuição direta de 3,7% do turismo para o PIB do país.
– Temos que mostrar que o Brasil não é do mau humor, da crise; turismo gera emprego e renda, é unidade, é sorriso, é emoção. Vamos superar as dificuldades e podemos fazer do turismo um dos motores de desenvolvimento do país – disse ele.
A passagem da Chama Olímpica em Angra dos Reis está prevista para poucos dias antes da abertura dos Jogos. Angra será a primeira cidade do Estado do Rio a receber o símbolo das Olimpíadas. O revezamento da tocha foi apontado pelas autoridades como a principal oportunidade para a divulgação dos destinos turísticos brasileiros.  O ministro do Turismo avalia que o revezamento da tocha será a oportunidade de mostrar cada canto do Brasil.
– O revezamento da tocha vai emocionar ao mostrar ruas, vielas e praças para o mundo ver. Esta é a hora de fazermos o casamento perfeito entre os jogos e o turismo. Um grande encontro de harmonia e paz – acredita Henrique Alves.

O Revezamento

Angra dos Reis será uma das cidades que receberá o revezamento da Tocha Olímpica em 2016, há apenas 10 dias do início dos jogos. O processo de seleção dos condutores da tocha já começou no site dos patrocinadores do evento; a Nissan, o Bradesco e a Coca Cola.
As três empresas selecionarão cerca de 12.000 condutores da chama olímpica, que viajará o país por cerca de 100 dias, percorrendo cerca de 300 cidades nos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Os patrocinadores estão buscando pessoas comuns, que tenham uma boa história de vida nas cidades escolhidas para o revezamento.

Nissan

Para participar da seleção da Nissan basta entrar no site www.quemseatreve.com.br. A Nissan busca histórias de calor humano de brasileiros que se atreveram a fazer algo fora do comum. Os personagens das melhores histórias serão indicados para conduzir a Tocha Olímpica ou Paralímpica em 2016. As inscrições devem ser feitas até as 23h59 do dia 14 de outubro de 2015. O resultado será divulgado em 03 de novembro de 2015.

Bradesco

A seleção do Bradesco será através do site www.revezamentobra.com.br. O banco irá selecionar os condutores através de suas histórias pessoais, contadas por pessoas que as indiquem. Um Comitê Avaliador escolherá os personagens das melhores histórias para conduzir a Tocha Olímpica nas suas cidades de origem. O resultado sai em 15 de fevereiro.

Coca Cola

A Coca Cola estão fazendo a seleção dos seus condutores através do site www.issoeouro.cocacola.com.br. A promoção vai até 25 de outubro e para participar o candidato tem que enviar foto, texto ou vídeo de algum momento que mostre que a pessoa espalhando a felicidade entre seus amigos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Al Fatah, não é só isso! Angra é um dos maiores polos turísticos do Estado e do Brasil como um todo. Turistas brasileiros e estrangeiros enchem a cidade, mas o maior empecilho para o desenvolvimento da cidade é o atendimento ao cliente. Os vendedores e atendentes como um todo são extremamente despreparados. Se não conseguem atender bem o turista nacional, como vão atender bem o internacional? É preciso fomentar esse público com informações e treinamentos, não apenas dentro de Angra, mas também na Ilha Grande. Mas não apenas para receber turistas neste período, mas no dia a dia. Angra é um dos maiores refúgios de turistas mas, na contramão, um dos piores locais para o turista receber um bom atendimento.

  2. Turismo sem água nas torneiras? Não tem água nem para os angrenses, vai ter para os visitantes?…

Untitled Document