>
segunda-feira, 15 de agosto de 2022 - 18:28 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Estudante de Direito de Paraty tem se dedicado em ações junto à comunidade

Estudante de Direito de Paraty tem se dedicado em ações junto à comunidade

Matéria publicada em 19 de janeiro de 2021, 11:24 horas

 


Seu interesse na segurança pública chamou a atenção do comando militar

Seu interesse na segurança pública através de artigos científicos junto a atividade policial, chamou a atenção do comando militar – Foto: Divulgação.

Paraty- Estudante de direito de uma faculdade federal e pesquisadora de segurança pública e ações sociais à cidadania, a jovem Thalía de 23 anos é daquelas pessoas que se preocupa em ajudar a comunidade a todo o momento.

Estudante de escola pública a sua vida inteira, a jovem vem de uma família de pescadores artesanais, filha de mãe solteira camareira e criada juntamente por sua mãe e seus avós.

A preocupação com os direitos sociais e em desenvolver ações junto as comunidades é um dos motivos que levou a estudante de direito a ir levantando a bandeira da Polícia Comunitária.

“Baseia-se na premissa de que a polícia e a comunidade devem trabalhar juntas para poder resolver problemas tais como o crime, drogas, medo do crime e desordens físicas e morais, em geral a decadência do bairro, o objetivo é de melhorar a qualidade geral da vida nos bairros que ficam à mercê da vulnerabilidade social, criminalidade e violência”, explicou a estudante.

A jovem que é bailarina e dá aulas de ballet voluntariamente na favela no Rio de Janeiro ressalta a importância dos projetos sociais: “Sou cria de um projeto social de Paraty, o educar pela dança e ele transformou a minha vida em todos os sentidos. Projetos sociais são essenciais para dar oportunidades as crianças e jovens e o incentivo à leitura é primordial pois através da educação e da arte transformamos vidas”, declarou.

A dedicação junto à comunidade através do incentivo as ações da polícia comunitária, e o seu interesse na segurança pública através de artigos científicos voltados para as precariedades da atividade policial, chamou a atenção do comando militar, fazendo com que a estudante de direito fosse contemplada com o   título de amiga do 5° Batalhão Coronel Assunção.

A estudante também já esteve no Degase (Departamento Geral de Ações Socioeducativas), acompanhado o cotidiano dos menores infratores.

Cheia de coragem, Thalía prefere uma mediação de conflito no diálogo ao invés do uso da força, luta pelas causas das mulheres e faz ações sociais voluntárias nas favelas.

Thalía foi homenageada com o Brasão da Polícia Militar pelas mãos do Comandante Geral da Polícia, na época, Coronel Laviano.

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document