sexta-feira, 14 de maio de 2021 - 23:07 h

TEMPO REAL

 

Capa / Cidade / Estudantes da região contam sobre a preparação e nervosismo para o Enem

Estudantes da região contam sobre a preparação e nervosismo para o Enem

Matéria publicada em 30 de janeiro de 2020, 07:35 horas

 


Pelo menos seis alunos receberam notas acima de 950 com o tema ‘Democratização do acesso ao cinema no Brasil’

Sul Fluminense – As notas individuais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 saíram e a ansiedade tomou conta dos estudantes que realizaram o exame. Após a tensão e nervosismo que passaram por todo ano de 2019 devido aos estudos e preparações para as provas, o resultado chegou junto com os frutos colhidos durante esta trajetória. Para pelo menos seis alunos de Volta Redonda e Resende, os resultados não poderiam ser mais satisfatórios, ao menos na etapa de redação do Enem 2019, com o tema “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, onde os resultados das notas foram entre 960 e 980.

Para os estudantes Carolina Diogo Sant’Ana, Giselle dos Santos Oliveira, João Pedro de Oliveira Fernandes, João de Campos Coelho Camilher Gomes, Lícia Clara Rocha de Andrade e Mariana Estevão da Silva, os preparativos para o Enem não foram apenas no ano de 2019.

Todos já haviam realizado pelo menos o Enem 2018 como forma de treino, além de estudos intensivos para que possam aprimorar as matérias que possuem afinidade, fora a redação, um dos pontos chave para conseguir vagas em universidades federais, os quais são seus objetivos.

João Pedro tem o sonho de cursar medicina desde quando criança
(Foto: Divulgação)

Pré-vestibular

Os estudantes João Pedro, Mariana e Giselle, de Volta Redonda, se prepararam para o Enem através do “Pré-Vestibular Cidadão” promovido pelo “Movimento Ética na Política” (MEP), em Volta Redonda. Cada um contou sua experiência com a prova e com o pré-vestibular. Mariana, de 17 anos, moradora do bairro Vila Mury e aluna do Colégio Professora Delce Horta Delgado, destacou que sua experiência com o Enem foi boa e que o pré-vestibular contribuiu para sua nota, de 960, na redação.

Com a nota da redação, Mariana estava na dúvida entre cursar Administração e Engenharia de Produção
(Foto: Reprodução)

– A princípio eu estava com receio de não me sair bem, levando em conta que a prova exige muito dos vestibulandos, sobretudo é bem cansativa por causa do tamanho e número de questões. Me preparei o ano inteiro em um pré-vestibular cidadão (MEP) que com certeza foi de grande importância para aumentar meu desempenho na prova. Senti também que as questões objetivas estavam mais conteudistas esse ano em todas as matérias exigidas – relatou Mariana.

Para João Pedro, de 17 anos, morador do Belo Horizonte, que também concluiu os estudos no Colégio Municipal Professora Delce Horta Delgado, demonstrou estar mais preparado ao Enem 2019 graças a sua experiência com a edição anterior e por isso sua nota de 960 na redação foi satisfatória.

– A prova como um todo foi bem cansativa, mas seu conteúdo não estava muito difícil, já sabia como funcionava. Foi meu segundo Enem, pois fiz como treinamento em 2018, quando estava no 2º ano do Ensino Médio. Minha rotina de estudos era estudar de manhã na escola, a tarde revisava as matérias estudadas no dia anterior da escola e ia para o pré-vestibular do MEP a noite. Aos sábados fazia aula de redação e no domingo refazia as provas dos anos anteriores do Enem – contou João Pedro.

Já Giselle, de 18 anos, moradora do bairro Santo Agostinho e ex-aluna do Colégio Estadual Barão de Mauá, destacou que sua preparação foi difícil.

– Chegava em casa todos os dias bem tarde por causa do pré-vestibular. A prova em si também é bem complicada, além da pressão que a gente põe em si próprio, o Enem também foi muito desgastante, cansa muito psicologicamente – disse a jovem, que teve a nota de 960 na redação.

O foco de João Coelho é a Engenharia Química
(Foto: Divulgação)

Preparação

Os métodos de preparação dos estudantes João Coelho, Carolina e Lícia foram um pouco diferenciados. A preparação João Coelho, de 18 anos, do bairro Morada da Colina e ex-aluno do Colégio Dom Bosco, em Resende, foram aulas de redação por pelo menos dois anos com o professor Raphael Haussman, que segundo ele, foram cruciais para seu desenvolvimento.

– Da prova, de uma forma geral, achei bem mais conteudista que a do ano passado. No entanto, gostei de ela ter sido mais objetiva também. O método de ensino do Haussman realmente impulsionou minha capacidade de interpretação e de redigir um texto de forma clara e coesa – explicou o rapaz que teve nota de 980 na redação.

Com a nota, Lícia almeja o curso superior de Medicina
(foto: Redes Sociais)

Para Lícia, de 17 anos, que também reside na Morada da Colina e estudou no Colégio Dom Bosco, em Resende, o Enem foi desafiador. Há três anos, ela realizava o Enem como forma de treinamento.

– Temos que, em um período bastante apertado, utilizar os nossos conhecimentos para encontrar as soluções de cada questão. Sempre busquei, desde a minha prática durante os estudos, pesquisar informações sobre variadas áreas do conhecimento. Penso que essa forma de preparo foi muito eficiente para que pudesse alcançar um ótimo resultado na redação de 980 – afirmou Lícia.

Carolina é mais uma das estudantes que deseja cursar medicina
(foto: Reprodução)

Já, Carolina, de 17 anos, moradora do bairro Niterói, fez uma mudança drástica em sua rotina. A jovem, que fazia curso de redação em Volta Redonda, se mudou com seus pais para São José dos Campos, interior de São Paulo.

– Decidi junto com meus pais ir para São José para fazer o último ano do Ensino Médio lá no Colégio Poliedro. O que fez total diferença porque continuei fazendo o curso de redação online, mas ele aliado aos plantões e várias dicas que eu recebi me fizeram alcançar o 980 na redação – relatou Carolina.

Tema

Em relação ao tema da redação do Enem 2019 sobre a “Democratização do acesso ao cinema no Brasil” dividiu a opinião dos seis estudantes que quase gabaritaram na disciplina.

– Não esperava por esse tema, mas apesar da surpresa achei um tema fácil com diversas possibilidades para problematizar e argumentar. Eu apostava em um tema relacionado à saúde – comentou João Pedro.

– Foi uma grande surpresa me deparar com o tema da redação, particularmente eu gostei muito e tentei usar tudo que eu tinha aprendido ao longo do ano e fiquei muito satisfeita com a minha nota final – disse Mariana.

– Para mim, o maior desafio da redação foi sua complexidade: ao refletir a respeito do tema proposto, precisei demonstrar boa articulação de minhas ideias para um texto de sucesso – explicou Lícia.

– Sobre a redação, achei o tema um “tema seguro” porque não é muito polêmico. Não acredito q seja tão complexo quanto outro tema, por exemplo, que discuta o porte de armas, ou até mesmo o acesso à saúde e à educação. Dá até pra dizer que foi um tema ‘neutro’ porque não acredito que nenhum outro candidato tenha defendido menos acesso ao cinema por exemplo. Particularmente, é um tema com qual eu gosto de trabalhar, especialmente por causa dos filmes que tem sido lançado ultimamente, como ‘Os Vingadores’, que quebrou vários recordes. Até usei isso no texto. Daí a importância de estar sempre ‘antenado’ nas notícias mais recentes para escrever um texto mais contemporâneo possível, algo q me ajudou bastante durante a minha preparação para a prova – argumentou João Coelho.

– Fiquei bem surpresa quando abri a prova e me deparei com o tema, mas durante a minha preparação já tinha feito redações com temas parecidos, então isso facilitou pra mim – afirmou Carolina.

– Achei o tema da redação bem inesperado, mas graças a Deus deu tudo certo – concluiu Giselle.

Por Miguel da Silveira


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document