quinta-feira, 14 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Exame de balística deverá apontar de qual arma partiu tiro que matou motorista

Exame de balística deverá apontar de qual arma partiu tiro que matou motorista

Matéria publicada em 9 de novembro de 2019, 12:02 horas

 


Angra dos Reis –  O exame de balística poderá identificar de qual arma partiu o tiro que matou o motorista Wallison de Oliveira, de 24 anos.  Ele foi morto na madrugada de sexta-feira (8), quando conduzia um carro na Rua Júlio Maria, no Centro de Angra dos Reis. A vítima foi atingida na cabeça, por uma bala perdida, proveniente de uma troca de tiros entre policiais militares e assaltantes, que tentaram explodir caixas eletrônicos instaladas na agência do Banco do Brasil.

A intenção da Polícia Civil é confrontar o projétil (bala) retirado do corpo de Wallison, com as armas dos policiais militares que participaram do confronto.

– Caso o projétil não for compatível com o armamento da PM, logicamente, que o tiro que matou o motorista foi disparado de uma das armas usadas pelos criminosos, que trocaram tiros com os agentes – explicou um policial.

Baleado

Ao ser baleado, Wallison chegou a capotar com o veículo, que transportava também outro homem. O passageiro, que  estava no banco do carona, também foi ferido e levado para o Hospital Geral da Japupíba.

Os criminosos conseguiram fugir numa embarcação, que estava atracada no Caís de Santa Luzia a 100 metros do local do tiroteio. A polícia não informou se foi roubado algum valor em dinheiro.

No confronto, o cabo da PM Barcelos baleado no pé e levado para o Hospital Geral da Japuíba, onde foi medicado e liberado.

Os criminosos incendiaram dois veículos, que foram postos no meio da rua, para bloquear a passagem das viaturas da PM. Um transformador localizado próximo ao banco, também foi atingido por bala perdida.  O local ficou sem energia elétrica.

O delegado titular da 166ª DP (Angra dos Reis), Celso Castelo aguarda ainda o laudo de perícia de local, e o resultado do exame de necropsia do Instituto Médico Legal  de Angra. Os documentos serão anexados ao inquérito instaurado pelo policial, para investigar o crime.

O corpo de Wallison foi  sepultado nesse sábado (9), no cemitério municipal de Pinheiral.  Ele morava em Arrozal, distrito de Piraí.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Avatar

    E aí Dr Delegado, vai ter que ir lá no Camorim Grande fazer a balística nas armas dos vagabundos também tá. Ferrar os Pm é fácil, quero ver ir la pegar os bandidos do Camorim Grande.

  2. Avatar

    E isso importa ? Se o tiro partiu dos policiais ou dos bandidos, a culpa é dos bandidos sempre, é claro que o policial não atirou de propósito nos inocentes, e quem estava errado ali são os bandidos. Os policiais só atiraram porque havia dezenas de bandidos fortemente armados atirando neles. Que delegado idiota, imbecil, bandido. Estas atitudes e mentalidade fará com que os policiais evitem o combate, e assim os bandidos atuem tranquilamente na cidade. Sr Delegado, se você quer fazer alguma coisa de útil para a cidade, vá ao Camorim Grande e Lambicada prender o vidigal o nazaré, e ali na sapinhatuba 1 fica o Juninho corta cabeça, e lá no belém o helder está na rua agora tirando onda, e todo mundo sabe disso e eles andam livremente nessas comunidades, é só ter coragem de ir lá, o que vc não tem, e a PM tem, mas quando um tiro deles acerta alguém você quer ferrá-los.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document