sexta-feira, 15 de novembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Exposição “Diálogos Urbanos” promove interação com o público

Exposição “Diálogos Urbanos” promove interação com o público

Matéria publicada em 24 de julho de 2018, 08:21 horas

 


Mostra permite que os visitantes interfiram nas obras, dando asas à criatividade

A exposição esteve em cartaz no Palácio Tiradentes, no Rio de Janeiro, de fevereiro a abril deste ano, atingindo um público recorde de 2.000 visitantes  – Foto: Arquivo/PMR

Resende – O Museu de Arte Moderna de Resende abriu na semana passada, uma exposição inovadora, que interage com o público e permite que os visitantes interfiram em algumas obras expostas, dando asas à imaginação e à criatividade. É a mostra “Diálogos Urbanos”, do artista visual Anderson de Souza, de Volta Redonda. A exposição, que esteve em cartaz no Palácio Tiradentes, no Rio de Janeiro, de fevereiro a abril deste ano, atingindo um público recorde de 2.000 visitantes, é composta por 20 telas de grandes dimensões, além de peças garimpadas nas ruas, como sapatos, tênis, um manequim e restos de outdoors, todos grafitados pelo artista.
O grande diferencial da exposição, que poderá ser visitada até o dia 31 de agosto, são as obras interativas, que não só permitem como também incentivam a interferência do público sobre elas, alterando seu resultado final. Para isso, o visitante pode rabiscar ou escrever sobre as telas, utilizando giz. Em outra obra, o público pode pisar sobre ela. A exposição, que leva o visitante a experiências inusitadas, também traz para o museu um espelho especial, onde as pessoas podem fazer selfs, com resultados surpreendentes.
Para o autor, que estudou artes visuais na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e se dedica às artes plásticas há 20 anos, a interatividade é o ponto central da mostra, que foge do padrão que busca proteger a obra do público.
– Quando você vem para uma galeria fechada, há um certo mito em relação à obra, com a colocação de faixas amarelas para proteger o trabalho do artista. Nessa mostra, trabalhamos com a inversão, permitindo que os visitantes não sejam meros expectadores, e sim agentes participativos deste processo criativo. Acho que o público vai curtir essa participação, porque o bom hoje é você interagir e dialogar, e não só observar – explica Anderson de Souza, lembrando que alguns trabalhos ficam no chão, para que as pessoas possam pisar neles.
De acordo com a curadora da mostra, a professora Mariléa de Almeida, doutora em História Cultural pela Universidade Estadual de Campinas, a exposição Diálogos Urbanos traz para o interior do museu o cotidiano caótico e apressado das cidades, onde a sensação de vigilância não cessa. Na mira do voyeurismo, segundo ela, é preciso ser visto mais magro, mais bonito e mais inteligente do que acreditamos ser. Por isso, o artista traz em suas telas os olhos arregalados e os corações plastificados, que denunciam que a felicidade dura o tempo necessário apenas para se produzir o self fotográfico, que se destina à satisfação pessoal.

Sobre o artista

O grafite faz parte da trajetória artística de Anderson de Souza desde que ele, então aluno da Unicamp, apresentou em seu curso o projeto de especialização sobre arte urbana. Nos últimos cinco anos, Anderson, que também têm desenhos seus grafitados em um muro no bairro Jardim Jalisco, em Resende, expôs nas principais cidades da região, além da capital carioca. Em 2017, um de seus últimos trabalhos internacionais foi uma pintura em Merlo/Buenos Aires, na Argentina. O artista também já deixou sua marca pelas ruas de Nova Yorque e Lisboa.

Serviço

A Exposição Diálogos Urbanos, de Anderson de Souza está aberta até o dia 31 de agosto, com visitação de terça a sexta, das 10 às 18h, e aos sábados, das 14 às 18h, no Museu de Arte Moderna de Resende.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document