quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Familiares, amigos e igreja se despedem de padre Paulo Quiquita

Familiares, amigos e igreja se despedem de padre Paulo Quiquita

Matéria publicada em 28 de fevereiro de 2017, 08:19 horas

 


Sul Fluminense – Na tarde de segunda-feira, dia 27, fieis da diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, ao lado de amigos e familiares se reuniram para se despedir do padre Paulo Quiquita de Oliveira, falecido na madrugada desta segunda-feira (26), aos 64 anos, vítima do agravamento de uma pneumonia acentuada por uma leucemia da qual lutava há cerca de 15 anos. Padre Quiquita estava internado na Santa Casa de Barra Mansa há mais de 20 dias. O corpo foi velado na Igreja São Bendito, em Barra do Piraí, região Pastoral onde o padre exercia a função vigário paroquial no setor de Sagrada Família em Dorândia/Vargem Alegre.

A Missa de Corpo Presente foi presidida pelo bispo diocesano, dom Francisco Biasin, que destacou a atuação de padre Paulo Quiquita.

“O amor que o padre Quiquita tinha pela Palavra de Deus e pelo povo fez dele um padre com a marca de quem aprofunda a vida na Palavra de Deus interpretando, caminhando e aprendendo junto com o povo”, relembrou o bispo.

O presbítero atuou nas Regiões Pastorais de Volta Redonda, Barra Mansa e Barra do Piraí, destacando-se na luta operária, na animação bíblica e no processo de iniciação à vida cristã. Com posturas firmes e definidas, sempre esteve à frente do seu tempo, provocando as mudanças propostas pelo Vaticano II e exigidas pelo mundo contemporâneo.

Para Elisa Ferreira, que representou leigos e leigas durante a cerimônia, a lealdade era característica do sacerdote. “Em todos os momentos o padre Quiquita soube plantar, jogar uma semente. Foi companheiro, amigo, parceiro e leal a quem estava ao redor. Reconhecia as dores das pessoas, estava sempre presente. Valorizava o trabalho de mulheres, leigos e leigas”.

A missa contou com a presença dos amigos padres, religiosos, religiosas, diáconos da diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, o bispo emérito, dom João Maria Messi, o bispo emérito de Valença, dom Elias Manning e padres das dioceses de Valença, Nova Iguaçu e da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Missa de Corpo Presente foi presidida pelo bispo diocesano, dom Francisco Biasin, que destacou a atuação de padre Paulo Quiquita (Foto: Divulgação)

Missa de Corpo Presente foi presidida pelo bispo diocesano, dom Francisco Biasin, que destacou a atuação de padre Paulo Quiquita (Foto: Divulgação)

Mais sobre o padre Paulo Quiquita

Filho de Ibraim e Maria, nasceu numa família de onze irmãos no dia 23 de dezembro de 1952 na cidade de Pocrâne – MG. Viveu no estado do Espírito Santo antes de chegar, ainda jovem, na diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda. Foi ordenado no dia 07 de dezembro de 1980. Estudou na PUC – Rio e posteriormente especializou-se em Sagrada Escritura.

O irmão do padre, Luiz Quiquita, agradeceu por todos que se dedicaram a ele nesses anos de enfermidade.

“Apesar da emoção eu queria fazer um agradecimento a todos de Volta Redonda e Barra Mansa que o acolheram no início do seu ministério. E não podemos nos esquecer de Barra do Piraí por onde ele atuou por muito tempo. Hoje vendo a Igreja cheia entendo as vezes em que a gente falava para ele ir para o Espírito Santo se tratar e ele dizia que as raízes deles estavam ligadas ao Rio de Janeiro”, concluiu.

O corpo seguiu para ser sepultado em Vitória, no Espírito Santo, como desejado pela família. Padres da diocese acompanharam o sepultamento.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    Fiz minha primeira comunhao com Padre Quiquita em Barra do Pirai

  2. Avatar

    Após a morte, segue-se o juízo

  3. Avatar

    Que o Bondoso Senhor Deus acolha em seu Reino este Grande Homem de Fé e Defensor dos menos favorecidos. Obrigado Padre Quiquita por tudo. Lembro dos Encontros de Jovens na Comunidade Santa Cruz- Vila Nova e Arrozal. Saudades Eternas.

Untitled Document