>
sexta-feira, 24 de junho de 2022 - 20:03 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Família de Volta Redonda faz campanha online para ajudar jovem com perna amputada em acidente

Família de Volta Redonda faz campanha online para ajudar jovem com perna amputada em acidente

Matéria publicada em 1 de fevereiro de 2020, 12:59 horas

 


Guilherme da Silva Maia, de 20 anos, precisa de R$ 120 mil comprar uma prótese e realizar cirurgia, em São José dos Campos (SP)

Guilherme segue lutando pelos seus sonhos
(Foto: Redes Sociais)

Volta Redonda – Uma família do bairro Santa Cruz, em Volta Redonda, está se mobilizando nas redes sociais para conseguir fundos e ajudar um jovem, que teve a perna amputada após ser vítima de um acidente. Guilherme da Silva Maia, de 20 anos, tem o objetivo de comprar uma prótese e realizar a cirurgia que será no município de São José dos Campos (SP).

Para isso, Guilherme e sua família precisam de uma quantia equivalente a R$ 120 mil para pagar todos os custos: a viagem até o município em outro estado, a prótese e ao procedimento. Até o momento a família já conseguiu R$ 6,5 mil em doações.

Segundo Neuza Maia, mãe de Guilherme, ele e a família estão bem e querendo realizar os dois sonhos do jovem: adquirir a prótese e terminar a faculdade de Educação Física, a qual ele está no último ano.

Interessados em ajudar, podem acessar o site da vakinha online, onde está sendo aceita as doações, ou entrar em contato com a Neuza, mãe de Guilherme, pelo telefone 98819-8580.

Acidente deixou um morto, três feridos, sendo que dois tiveram uma das pernas amputadas
(Foto: Arquivo DV)

Acidente

Guilherme foi vitima de um acidente registrado em 8 de dezembro do ano passado, quando uma carreta bateu na traseira de uma viatura da Polícia Militar e um veículo de passeio, onde ele estava com mais quatro amigos.

Cabo Gonçalves era natural de Valença
(Foto: Arquivo DV)

O acidente aconteceu na altura do km 237, na Rodovia Presidente Dutra, em Piraí. Em consequência disso, um dos policiais que estavam no local, o cabo Renan da Silva Gonçalves, de 34 anos, foi atropelado pela carreta e morreu na hora; ele foi enterrado no dia 9, em Valença.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Guilherme teve fratura exposta na perna direita, o motorista que conduzia o veículo de passeio, Matheus Sodré, de 32 anos, e outro jovem, de 20 anos, tiveram lesões graves. Eles foram atendidos em hospitais em Volta Redonda e Piraí. Matheus foi outra vítima do acidente que teve uma das pernas amputadas.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Entre com o ressarcimento no seguro Dpvat.E direito de todos lesados no acidente, inclusive familiares do que perdeu a vida.

  2. Independente da vaquinha , aciona juridicamente o seguro obrigatório para veículos, ele como vítima tem direito a um valor , segundo aciona juridicamente o motorista da carreta e se a carreta for de empresa aciona a empresa na Justiça também.

    No caso do seguro obrigatório vá ao Detran se informar e no caso do motorista vai na defensoria pública .

    Ele faz educação física, nas faculdades ” costumam” cobrar um seguro obrigatório na mensalidade.

    Até escolas particulares fazem isso.

    Procura saber…

    E se ele estava indo ou vindo do trabalho pode conseguir como acidente de trabalho.

    Pensa sobre isso e vê o que vc tem direito.

    Vai na defensoria, leva suas dúvidas.

    • Wntao, o dpvat vai pagar uns 10 pau, e o seguro so cobre as mensalidadea, e so se ele for o reaponsavel financeoro. Reaumindo: ele tá na bosta

  3. Capeta da grota do Santa cruz

    Com certeza arrecadara o necessário para que seja revertido em prol do jovem citado no caput da matéria.

    • O cara q causou o acidente deveria pagar tudo pra esse rapaz.acho um absurdo isso ,ele sair ileso dessa situação

    • O estado tinha que pagar, não se faz abordagem em acostamento na Dutra, quando seu carro quebra a primeira coisa que a CCR faz e te tirar do acostamento! Esses policiais poderia ter seguido o veículo até uma área segura, ou até imposto de serviço que são mas de 150 em toda a extensão da rodovia!
      Eu vou ajudar a vaquinha pq a M já foi feita e a imprudência desses policiais já foi paga com a vida de um deles, lamentável! Mas o estado teria que ser responsável

Untitled Document