segunda-feira, 25 de maio de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Famílias venezuelanas recebem apoio em Volta Redonda

Famílias venezuelanas recebem apoio em Volta Redonda

Matéria publicada em 8 de março de 2020, 07:57 horas

 


Projeto de igreja ajuda pessoas do país vizinho que fugiram da crise econômica e política

Família venezuelana foi acolhida após deixar o país de origem e agora vive em Volta Redonda-Foto: Arquivo Pessoal

Sul Fluminense- O último Censo Demográfico publicado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2006 a 2010, consta que o Brasil possui 161.250 imigrantes, sendo que entre 2015 e 2018, cerca de 30 mil venezuelanos deram entrada no país, com a intenção de buscarem melhores condições de vida. Muitos deles vieram parar em Volta Redonda.

A Venezuela enfrenta uma profunda crise econômica, que resultou principalmente na escassez de alimentos e de remédios. Entre 2013 e 2018, cerca de 13% das crianças venezuelanas apresentaram desnutrição, segundo dados do Unicef. Um em cada três venezuelanos tem dificuldade em obter comida suficiente, de acordo com o Programa Mundial de Alimentos. Esta realidade faz com que os venezuelanos tenham que sobreviver em situações precárias.

Diante da situação, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias criou um projeto para ajudar não só os venezuelanos, mas refugiados em geral que buscam pela imigração.

A igreja, que possui sede na Rua Coroados, nº 326, no bairro Aterrado, em Volta Redonda, através do Programa de Apoio aos Refugiados, já trouxe nove famílias da Venezuela e hoje em dia moram nos municípios de Itatiaia e Volta Redonda, na região Sul Fluminense.

Uma destas é a de Denis Ojeda, que atualmente reside nos bairros Água Limpa e Vila Americana, em Volta Redonda, junto com as outras famílias venezuelanas.

– Somos membros (eu e minha família) da igreja faz 14 anos e aí nos contaram sobre o projeto para ajudar as pessoas na Venezuela. Decidimos como família vir para o Brasil pela situação econômica. Saímos de lá e chegamos em Pacaraima – contou Denis.

Pacaraima é um município do estado de Roraima, no norte do Brasil, e é uma das principais fronteiras utilizadas pelos imigrantes, pois tem divisa com a Venezuela.

– Fizemos os documentos em Pacaraima, então pegamos um ônibus para Boa Vista (Roraima) e ficamos num refúgio por cinco dias enquanto os irmãos da igreja faziam o registro e nos atribuiriam para a cidade de Volta Redonda. Nos deram as passagens para os voos e após dias de viagens, de aeroporto em aeroporto, chegamos onde estamos – explicou Denis.

Ele e sua família estavam apreensivos por não conhecer nada da região Sul Fluminense, muito menos de onde iriam morar, em Volta Redonda. Hoje em dia, ele, sua esposa estão trabalhando e seus três filhos estão estudando, longe dos problemas de seu país de origem.

– Aqui estamos muito melhor em condições financeiras, mas estamos preocupados e com saudade da nossa família que ainda está na Venezuela. A população de Volta Redonda nos acolheu muito bem e graças a Deus está dando tudo certo – declarou Denis Ojeda.

Conheça o Programa

O Programa de Apoio aos Refugiados já auxiliou na vida de oito mil venezuelanos que pretendiam imigrar para o Brasil. O programa promovido pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias fica responsável por identificar uma oportunidade de emprego para o responsável pela família, definir uma moradia para acolhê-los e envolver membros e amigos da Igreja na doação de móveis e alimentos.

Quando estes três objetivos são atendidos, as famílias conseguem sair de seus países de origem e serem realocadas para municípios em que a Igreja atua, no Brasil. Endrigo Roriz, que é bispo da igreja e atua no programa, na região Sul Fluminense, sob supervisão da presidência da estaca Volta Redonda, explicou que as famílias recebem auxílio da igreja por três meses até se tornarem autossuficientes. Os membros da igreja se mobilizam para conseguir móveis, roupas e eletrodomésticos no intuito de mobiliar as casas.

– Buscamos parcerias com a comunidade e com empresas para levar esse programa adianta. Na nossa região temos ajuda de pessoas que trazem famílias para Barra Mansa, Itatiaia e Volta Redonda – disse Endrigo.

– Isso tem sido uma experiência ímpar, eu vou buscar todos que vem para nossa região e é muito forte receber àquela família que passa dias em situação de extrema pobreza, fome, frio. O abraço que eles nos dão é indescritível. A gente não consegue imaginar a situação que eles passam por lá: de trabalhar de manhã, de tarde e de noite e não conseguir suprir suas necessidades. Eles vêm dispostos a trabalhar, a trazer uma vida melhor para suas famílias e isso é gratificante. Eles me consideram como um pai, pedem conselho, sempre me procuram, é um laço de amizade eterno – detalhou o membro da igreja, acrescentando que a história de Denis e sua família foi a mais emocionante para ele.

Apesar de o programa ser desenvolvido pela igreja, todos podem participar. Voluntários e interessados em ajudar a igreja a auxiliar os imigrantes a chegarem ao país, devem procurar Endrigo pelo telefone 99234-9660.

Publicada lista de venezuelanos com
condição de refugiados reconhecida

O Comitê Nacional para os Refugiados (Conare) reconheceu em fevereiro a condição de milhares de refugiados nacionais venezuelanos. A decisão de reconhecimento da condição de refugiado foi tomada durante a 145º Reunião Ordinária, realizada no dia 5 de dezembro do ano passado.

A partir de agora, o cidadão venezuelano, reconhecido como refugiado passa a ter direitos e obrigações perante o Estado brasileiro. Entre as obrigações e deveres estão a de seguir a Constituição do Brasil e não exercer atividades contrárias à ordem pública ou à segurança nacional, incluindo atividades criminais. Caso a pessoa decida viajar para o exterior, terá que pedir autorização ao Conare sob pena de perder a sua condição de refugiado.

O venezuelano, na condição de refugiado, terá direito a liberdades e de garantias previstos na Constituição brasileira; obtenção da Carteira de Registro Nacional Migratório; inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF); da Carteira de Trabalho e Previdência Social; e de documento de viagem, entre outros.

O refugiado cujo processo está referenciado na lista publicada no DOU deve procurar a Polícia Federal a partir do dia 2 de abril de 2020, para efetuar o seu registro.

Miguel da Silveira


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

8 comentários

  1. Avatar

    Parabéns pela iniciativa!

  2. Avatar

    Sou grato pela oportunidade de participar deste programa e fico feliz ao ver vidas tendo sua dignidade restabelecida. Me alegra mais ainda saber que o Brazil tem sido busca de um sonho.

  3. Avatar

    Eu fico muito grata e emocionada por essa iniciativa. Obrigada pela motivação em ajudar e pelo espirito de caridade, que é o mais importante que um cristão pode demonstrar. Torço para que as famílias possam construir uma vida e um futuro melhor por aqui, e também para que seu próprio país aos poucos se recupere da crise atual.

  4. Avatar

    Esse regime corrupto dictatorial criado na Venezuela teve apoio dos governos petistas de Lula e Dilma, que diziam que na Venezuela havia democracia em excesso!
    Lula e Dilma injetaram bilhoes de reais na Venezuela, mesmo sabendo que eles eram insolventes!
    Hoje, milhares de crianças morrem todo os dias na Venezuela pela fome! O Brasil deve ajudar mais esse povo, pois o regime dictatorial de Maduro teve ajuda de Lula e Dilma Roussef!
    Os canalhas Lula e Dilma ajudaram no fortalecimento do regime dictatorial!

  5. Avatar

    Cotados, vão ter um CPF para serem vigiados pela receita e de brinde uma CTPS. Isso é trocar 6 por meia dúzia, lamento!

  6. Avatar

    Não é fácil abandonar a terra natal, não é fácil, mas as vezes é preciso.
    Seja por guerras, problemas políticos ou segurança, um refugiado só quer um lugar no mundo para sobreviver.
    Essas famílias buscam um lugar para viver, tendo emprego, comida e liberdade.
    Viver em meio ao caos de uma guerra, a tristeza da fome, os abusos de um governo, faz com que as pessoas façam coisas impossíveis para chegarem a uma nova Pátria.

  7. Avatar

    Parabéns A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos últimos Dias e ao Diário do Vale pela excelente reportagem de informação e motivação para que mais pessoas se envolvam nestes tipos de serviços a quem mais precisa, Nada justifica o refugiu. como dizia Cabral o descobridor. ( ESCREVA AI O MANINHAS AO NOSSO QUERIDO REI QUE A TERRA É LINDA E GENEROSA DE GENTE MUITO BONDOSA. )

Untitled Document