quinta-feira, 6 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Fernando Jordão defende obras de Angra 3 para aquecer a economia

Fernando Jordão defende obras de Angra 3 para aquecer a economia

Matéria publicada em 1 de julho de 2020, 15:57 horas

 


Prefeito de Angra dos Reis enviou ofício ao presidente da república, Jair Bolsonaro

Angra dos Reis – O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, tem buscado soluções para a crise econômica causada pela pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Uma das ações foi solicitar a retomada das obras de Angra 3, a fim de gerar empregos e aquecer a economia do município, ao presidente Jair Bolsonaro.

Segundo o prefeito, um ofício foi enviado ao presidente no dia 22 de junho, solicitando cooperação de esforços para a retomada da construção da usina Angra 3.

– A pandemia do novo coronavírus está causando um estrago econômico sem precedentes no mundo inteiro e no Brasil não é diferente. No documento, frisei as obras que serão capazes de gerar cinco mil empregos diretos e mais 20 mil indiretos – explica, lembrando que, no início do ano, Angra dos Reis estava em uma situação ascendente em relação ao número de empregos, quadro que mudou a partir do mês de março, por conta da pandemia.

Obras

As obras em Angra 3 estão suspensas desde os escândalos de corrupção, em 2015. De acordo com o prefeito, a nova diretoria da Eletronuclear construiu um programa em parceria com técnicos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) capaz de justificar os investimentos necessários que serão amortizados com a venda da geração de energia elétrica produzida pela Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto.

– A entrada de operação de Angra 3 dará segurança energética para a retomada do crescimento econômico do Brasil – defendeu Fernando Jordão.

Ofício

O ofício enviado pelo prefeito foi encaminhado ao Ministério de Minas e Energia, à Casa Civil e também à Secretaria de Governo da Presidência da República.

A Eletrobrás aprovou novas medidas que resultarão em uma nova injeção de pouco mais de R$ 1 bilhão de recursos na Eletronuclear, visando as obras da usina de Angra 3. Segundo a empresa, R$ 850 milhões serão convertidos de contratos de adiantamento para futuro aumento de capital em novas ações na Eletronuclear e R$ 1,035 bilhão será capitalizado de contratos de financiamento.

As duas ações anunciadas somam um pouco mais de R$ 1,8 bilhão em investimentos. Como cerca de R$ 800 milhões já foram aplicados na obra, a parcela restante de pouco mais de R$ 1 bilhão será empregada no plano de aceleração da linha crítica das obras da usina.

– O prefeito vem pedindo constantemente a retomada das obras de Angra 3, para aquecer a economia do país e de Angra dos Reis, e isso está bem encaminhado. As obras serão viabilizadas por meio de PPP com empresas estrangeiras e, no dia 9 de julho, haverá uma reunião no Conselho Administrativo da Eletrobras para a discussão deste processo. Estamos otimistas que a retomada dos trabalhos ocorra entre o final deste ano e o início do ano que vem – comentou o secretário de Desenvolvimento Econômico de Angra dos Reis, João Carlos Rabello.

Energia

A terceira unidade nuclear terá potência de 1.405 megawatts, capaz de gerar mais de 12 milhões de megawatts-hora por ano, energia suficiente para abastecer as cidades de Brasília e Belo Horizonte durante o mesmo período. Com Angra 3, a energia nuclear passará a gerar o equivalente a 50% do consumo do Estado do Rio de Janeiro.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document