quarta-feira, 12 de agosto de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Filho da funkeira Tati Quebra Barraco é morto a tiros no Rio de Janeiro

Filho da funkeira Tati Quebra Barraco é morto a tiros no Rio de Janeiro

Matéria publicada em 11 de dezembro de 2016, 15:35 horas

 


Rio de Janeiro- Um dos filhos da funkeira Tati Quebra Barraco foi morto na madrugada deste domingo (11), supostamente em troca de tiros com a polícia na Cidade de Deus, na zona oeste do Rio de Janeiro. A região viveu violentos conflitos entre traficantes e policiais a cerca de três semanas.

Yuri Lourenço da Silva, de 19 anos, estava em companhia de outro homem, identificado como sendo Jean Rodrigues de Jesus, de 22, quando ocorreu a troca de tiros com policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), da comunidade.

De acordo com os policiais da UPP, um grupo de PMs realizavam um patrulhamento de rotina nas ruas da comunidade quando teriam sido recebidos a bala por traficantes de drogas armados na altura da rua Quintanilha.

Os dois homens mortos, segundo versão da Unidade de Polícia Pacificadora, portavam pistolas e grande quantidade de maconha e cocaína. Os dois homens chegaram a ser levados para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca, também na zona oeste, mas morreram ao dar entrada na unidade hospitalar.

Familiares acusaram a PM de terem atirado contra os jovens. A funkeira, que estava fazendo um show em Minas Gerais no momento em que recebeu a notícia, se pronunciou nas redes sociais. “A PM tirou um pedaço de mim que jamais será preenchido. A PM matou o meu filho. Essa dor nunca irá se cicatrizar”, disse Tati Quebra através do Twitter.

Em seu perfil no Facebook, a cantora relatou o tamanho de sua dor: “Meu filho: tá sendo difícil de acreditar viu? Como deve ser pra você receber uma mensagem, ligação em meio ao show dizendo que seu filho está morto? Não queira passar nunca pelo o que estou passando. Não queira sentir nunca o que estou sentindo…Sei que só o senhor é capaz de preencher esse vazio que vou levar por muito tempo, talvez, para sempre. Sem palavras Yuri, mãe vai te amar para sempre!”


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

10 comentários

  1. Avatar

    Se ela realmente se importasse, ele nem na favela estaria.
    Até que se prove o contrário, não é justo culpar a PM por isso.
    Agora é tarde para sentir a dor que poderia ser evitada.

  2. Avatar

    se é criminoso, trocando tiros com a polícia, pode ser filho até do presidente da República, se morrer, vai ser um vagabundo a menos.

    parabéns aos policiais pela baixa em mais dois marginais.

    continuem assim, trocou tiro, manda pra vala.

    quanto à tristeza da mãe e demais familiares, é normal quando se perde alguém, mas a dor é só deles e dos amigos, não da sociedade que não tem nada com isso.

    a nossa sociedade precisa é se ver livre de gente desse tipo, preso de verdade ou em último caso, morto e enterrado.

  3. Avatar

    Como que as pessoas são ruins hoje !basta ver estes comentários! Mãe nenhuma merece Passar por isso não seus ordinários

  4. Avatar

    São sempre coitadinhos!!!
    Graças a Deus a sociedade está acordando e apoiando cada vez mais as ações da PM!!
    Parabéns Polícia Militar, msm sem salários estão nas ruas combatendo a criminalidade!!!

  5. Avatar

    Oito passagem pela policia !!!!!!!!!!!!!
    E a culpa ainda e da policia ???????

  6. Avatar

    Parabéns a PM. Menos um vagaba na área.

  7. Avatar

    SERA QUE ELA SE IMPORTA MESMO COM O FILHO ?

  8. Avatar

    Meu filhinho que a PM matou… ainda bem, menos um bandido.

Untitled Document