>
domingo, 22 de maio de 2022 - 00:56 h

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Forte terremoto de 7.6 graus no Sul do Chile não deixa vítimas

Forte terremoto de 7.6 graus no Sul do Chile não deixa vítimas

Matéria publicada em 25 de dezembro de 2016, 18:00 horas

 


Santiago – O terremoto de 7.6 graus na escala Richter que atingiu neste domingo (25) o sul do Chile, nos arredores da ilha turística de Chiloé, não deixou vítimas, mas provocou danos em estradas e casas, informou o Escritório Nacional de Emergência (Onemi).

O terremoto ocorreu às 11h22 local (12h22 em Brasília) 67 quilômetros (km) a noroeste da cidade de Melinka, na Ilha de Chiloé, localizada em frente à costa da Região dos Lagos (1.021 km ao sul de Santiago), a uma profundidade de 20 km, segundo o Onemi, com base em dados do Centro Sismológico Nacional.

Inicialmente, as autoridades lançaram um alerta de tsunami que gerou a evacuação, para setores mais altos, de cerca de 4 mil pessoas nas áreas costeiras da Região dos Lagos, segundo a polícia. Três horas depois, o estado de precaução foi cancelado em todo o país. “O estado de precaução está cancelado em todo o Chile”, disse, em entrevista, Ricardo Toro, diretor da Onemi.

De acordo com a Onemi, “não há perda de vidas humanas” segundo os primeiros relatos.

Duas horas após o terremoto, em cidades como Ancud “vivia-se completa normalidade”, contou o prefeito da localidade, Carlos Gómez. Nos primeiros minutos após o terremoto, houve cortes de energia elétrica e de linhas telefônicas.Algumas casas sofreram danos com a queda de objetos, afirmou Gómez. A estrada que conecta a ilha ao continente sofreu danos consideráveis, que provocaram cortes parciais em vários trechos.

“Muita força e ânimo aos compatriotas afetados pelo sismo em Chiloé e outras zonas do sul. Protocolos de emergência já estão operando”, disse a presidente chilena, Michelle Bachelet, em sua conta no Twitter.

O terremoto preocupou a população, que publicou imediatamente vídeos nas redes sociais nos quais se via o forte movimento de lâmpadas e móveis, além da queda de produtos das prateleiras dos supermercados.

O Chile é um dos países mais sísmicos do mundo e tem implementado rigorosas regras para a construção civil resistente aos tremores.

Em setembro do ano passado, um terremoto de 8.4 graus na escala Richter,seguido de um tsunami, abalou a região de Coquimbo, matando 15 pessoas.

Em 2010, outro terremoto, de 8.8 graus, também seguido de tsunami, atingiu o Centro e o Sul do país, deixando mais de 500 mortos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document