sábado, 24 de outubro de 2020 - 02:50 h

TEMPO REAL

 

Capa / Destaque / Governo do Estado estabelece normas para a retomada das aulas

Governo do Estado estabelece normas para a retomada das aulas

Matéria publicada em 20 de agosto de 2020, 07:47 horas

 


Conselho tenta apresentar fórmula para volta às aulas

Rio de Janeiro – As aulas presenciais na rede de ensino privada poderão ser retomadas a partir do dia 14 de setembro, e na pública, inclusive nas unidades de ensino superior, no dia 05 de outubro. É o que determina o novo decreto publicado em edição extra do Diário Oficial desta quarta-feira (19). A medida vale apenas para regiões que permaneçam em baixo risco de contaminação pela Covid-19 por, no mínimo, duas semanas seguidas antes da data prevista para a abertura.

Ainda de acordo com o decreto, estão autorizados, a partir desta quinta-feira (20), o funcionamento e a reabertura de estabelecimentos culturais somente para as regiões da Baía da Ilha Grande, Baixada Litorânea, Metropolitana I, Metropolitana II, Noroeste, Norte e Serrana (bandeira amarela).

Para as salas de cinema, está prevista a retomada parcial com 40% das ocupações ou 2 metros de distanciamento, além do cumprimento de todos os protocolos sanitários desenvolvidos pela Federação Nacional Das Empresas Exibidoras Cinematográficas (FENEEC), e aprovado pela Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e Secretaria de Estado de Saúde.

Já as salas de teatro, de concertos e centros culturais poderão abrir com 1/3 das ocupações dos espaços, desde que respeitadas as orientações e as normativas segundo o Protocolo de Segurança Sanitária elaborado pela Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (FUNARJ).

Transporte de detentos

O decreto também prevê que, a partir de 1° de setembro, o transporte de detentos para audiências estará liberado, de forma gradativa e observando os protocolos definidos pelas autoridades sanitárias.

Restrições mantidas

Até o dia 4 de setembro seguem suspensas a realização de eventos com a presença de público, como evento desportivo com público, show, feira, evento científico, comício, passeata, além da permanência, pela população, nas praias, lagoas, rios e piscinas públicas.

Também é obrigatório o uso de máscaras de proteção respiratória em espaços públicos, transportes públicos, estabelecimentos comerciais e repartições públicas estaduais.

Funcionamentos mantidos

O decreto mantém a recomendação às prefeituras fluminenses de reabertura gradual de setores do comércio e da indústria, de acordo com as especificidades de cada cidade, em horários específicos para evitar aglomerações. Os municípios têm autonomia para manter suas determinações e regras.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

12 comentários

  1. Avatar

    Vocês gostam de perder tempo
    Aposto o que for que chegando em setembro, passa pra outubro. Depois novembro, dezembro. Isso aí é pra desviar foco. Até às pedras da calçada sabem que não vai ter aula esse ano.

  2. Avatar

    Isso é um total e completo absurdo. Que pais em sã consciencia manda um filho pra escola numa situaçao dessas? Que escola pode garantir 100% de segurança? Isso nao existe. Chega a ser maldade até. Colocando crianças, funcionários, familiares em risco por algo que nem faz sentido mais. Aprender o que desse jeito, nessa altura do campeonato? Ah fala serio. Esse país é uma grande piada de mau gosto.

  3. Avatar

    O interessante é o seguinte, existe uma pressão absurda para a volta as aulas presenciais, por parte dos donos de escolas particulares, mas quero ver o pai que não mandar o filho pra escola, se vai ter desconto. Sou prof. da rede pública estadual e afirmo: duvido que os alunos vão querer ir pra escola com a quantidade de protocolos que terão que ser seguidos. O certo é fechar esse ano remoto e já pensar em estratégias pedagogicas de ensino pro ano que vem, readequar conteúdos, mas isso eles não quererm! Se os pais tiverem juízo não mandem seus filhos sem que haja segurança mínima

    • Avatar
      Não para a volta as aulas!

      Concordo plenamente!

      Crianças mal lavam a mão , escovam os dentes e tomam banho, conheço criança que come meleca, o que dirá cumprir protocolo.

      Já adolescentes sempre acham que com eles nunca vai acontecer nada, nem camisinha e anticoncepcional conseguem usar.

      Estamos em uma pandemia.

      Não tem como fingir que nada está acontecendo!

      Pandemia é como guerra , tem que se adaptar e tentar levar com menos perdas de vidas possíveis.

      Duvido que os donos das escolas vão ficar com crianças em escolas!

      Minha galerinha segue em casa desde março, sem sair pra nada, estão estudando remotamente, pode não ser o melhor, mas é o que dá pro momento, sigo pagando a escola particular para ter acesso ao estudo remoto, mas presencial, só ano que vem, se as coisas melhorarem.

      Quem já passou dos 40 anos , sabe que um ano a mais ou a menos não fará diferença alguma no futuro.

      Aos donos de escola particulares vai um recado pais mortos não pagam escola e crianças e adolescentes são ótimos vetores de covid e como são assintomáticas nem sabem que estão com Covid.

      Deus proteja os professores que em sua maioria já não são nenhum brotinho e muitos devido ao estress e sedentarismo da profissão tem pressão alta, má circulação, diabetes, etc.

  4. Avatar

    Eu gostaria de saber o motivo da pressa para voltarem as aulas.. O ano já se perdeu.. acabou.. Façamos como a Bolívia que deu como encerrado o ano letivo e aprovou todo mundo. Ano que vem da se um jeito de recuperar os conteúdos..

    • Avatar

      A pressa é o dinheiro!

      Pessoal das séries menores da pré escola tirando pois estão cuidando dos filhos e ensino remoto na pré escola não dá certo.

      Já quem tem que trabalhar está tirndo da
      Pré escola e pagando alguém para ficar com a criança, pois é menos perigoso .

  5. Avatar

    Meu filho não vai. Perde o ano letivo mas não perde a vida!

  6. Avatar

    Absurdo.
    Muito egoísmo.
    Ábsurdo

  7. Avatar
    Mãe de aluno do 8º ano

    Macedo Soares, se reabrirem, eu tiro meu filho deste colégio.

    Se eu ver funcionários e professores do grupo de risco, podem ter certeza que o Ministério Público será acionado.

Untitled Document