>
segunda-feira, 4 de julho de 2022 - 08:30 h

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Governo do Estado publica decreto que flexibiliza o uso de máscara em lugares fechados

Governo do Estado publica decreto que flexibiliza o uso de máscara em lugares fechados

Matéria publicada em 3 de março de 2022, 14:58 horas

 


Caberá aos gestores municipais a decisão de liberar ou não o uso do equipamento de proteção individual

O texto faculta aos municípios a flexibilização do uso de máscara em lugares fechados – Foto: Divulgação Governo do Estado.

Rio- O Governo do Estado publica, nesta quinta-feira, dia 3, um decreto que estabelece novas medidas de prevenção e enfrentamento da propagação da Covid-19. O texto faculta aos municípios a flexibilização do uso de máscara em lugares fechados, diante do cenário heterogêneo atual da pandemia no estado do Rio de Janeiro. Em função da alta cobertura vacinal e de haver municípios com baixo risco para a doença e outros ainda saindo da quarta onda da Covid-19 provocada pela variante Ômicron, caberá aos gestores municipais a decisão de liberar ou não o uso do equipamento de proteção individual.

– Independentemente da decisão tomada por cada secretaria municipal, aquelas pessoas que desejarem continuar usando máscara em locais fechados ou abertos podem assim fazê-lo. Recomendamos que pessoas com sinais e sintomas respiratórios mantenham o uso da máscara se forem entrar em contato com outras pessoas. O ideal é que essas pessoas façam isolamento – diz o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) seguirá com o monitoramento dos indicadores e a atualização semanal dos Mapas de Risco por região e por município para subsidiar as decisões do poder executivo municipal.

Nos locais em que a Secretaria de Estado de Saúde determinar a permanência do uso obrigatório de máscara, permanecerá em vigor as penalidades dispostas no art. 5º da Lei Estadual N.º 8.859/2020.

Na hipótese de conflito, nos municípios em que já se encontrem em vigor  medidas de proteção a vida relativas à Covid-19, valerá a norma mais restritiva.

O decreto entra em vigor na data de sua publicação. As medidas poderão ser revistas caso haja mudança no cenário epidemiológico da Covid-19 no estado.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

4 comentários

  1. E as crianças com comorbidades que se lasquei...

    Vacina da Pfizer entre crianças foi objeto de estudo de Universidade de Nova York.

    Segundo a pesquisa, a eficávia da vacina infantil no mês de dezembro estava, em torno, de 68%, porém o número caiu bastante em janeiro: 12%. Já entre os adolescentes e jovens, a proteção teve uma queda menor, de 66% para 51%.
    “Esses resultados destacam a potencial necessidade de estudar a dosagem alternativa de vacinas para crianças e a importância contínua das proteções em camadas, incluindo o uso de máscaras, para prevenir infecções e transmissão”, enfatizam os pesquisadores.

  2. Pessoas vacinadas transmitem covid, pegam covid, pessoas assintomaticas transmitem covid…

    Estão procurando uma nova variante, só pode!

  3. A verdade está la fora

    Pessoas vacinadas pegam covid e transmitem covid.

    A vacina reduz os sintomas de quem está vacinado.

    Crianças com comorbidades tomaram apenas 1 dose de Pfizer infantil.

    2 doses de Pfizer infantil , depois de 1 mês cai para 12 % de proteção, ou seja uma 3 dose será necessária, pois não protege nada.

  4. Pra que a pressa ?

    De acordo com o Departamento de Saúde de Nova York, que realizou a análise, em crianças menores de 11 anos, a proteção gerada por doses da Pfizer cai de 68% para 12% após um mês. Em relação às hospitalizações, a eficácia cai de 100% para 48%.

    Segundo a pesquisa, os resultados realçam a necessidade de estudar e analisar novas dosagens para crianças com idades inferiores a 11 anos. A aplicação indicada é de 10 microgramas. 
    Atualmente, eles recebem uma dose três vezes menor que as pessoas mais velhas.

Untitled Document