sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / Guia de Leitura: Livro explora curiosidades do universo geek

Guia de Leitura: Livro explora curiosidades do universo geek

Matéria publicada em 25 de fevereiro de 2019, 10:00 horas

 


“Luke Skywalker não sabe ler” saiu no Brasil pela editora Pandorga

Divertido: O universo da cultura pop dos quadrinhos aos filmes

O termo “geek” foi criado pelos americanos para classificar aqueles jovens que adoram histórias em quadrinhos e cultura pop, o tipo de gente que vai a convenções de Star Wars e sabe tudo sobre a vida do Batman e do Homem Aranha. Antigamente esses jovens eram discriminados, vistos como esquisitos pelos colegas, mas a indústria cultural descobriu que os “geeks” são consumidores importantes e passou a criar produtos e atrações para eles. Até no Brasil, onde convenções de quadrinhos e Star Wars, que atraiam um público pequeno, no século passado, passaram a mobilizar multidões. Vide a Comicom em São Paulo.
Uma olhada nesse universo está no livro “Luke Skywalker não sabe ler e outras verdades geeks” do americano Ryan Britt, que está saindo no Brasil pela editora Pandorga. Sinal dos tempos, já que, antigamente, esse tipo de livro só era encontrado em lojas de importados. O autor diz que descobriu que “ser geek estava na moda”, quando uma grande loja de departamentos passou a vender camisetas de Star Trek. De minha parte tomei conhecimento da expansão desta tribo quando visitei uma convenção de Star Wars, no Planetário da Gávea em 2015. As filas dobravam o quarteirão, o que seria impensável em outros tempos.
Como diz o release da editora, o livro foi feito para todos aqueles que já fingiram que uma lanterna era um sabre de luz, enfrentaram filas para assistir a uma pré-estreia de um filme a meia noite ou sonharam em ser abduzidos por alienígenas. Os geeks adoram histórias em quadrinhos e filmes de ficção pop, como Barbarella e Guerra nas Estrelas. Sem falar nas sagas sobre vampiros, lobisomens e elfos.
Os nerds deliram quando o Batman pergunta ao Superhomem se ele é capaz de sangrar, e ficam imaginando quem venceria uma luta entre a Mulher Maravilha da DC Comics e a MissMarvel. Até Hollywood já percebeu o potencial deste novo público a anda produzindo filmes de super heróis em série. Como o filme da Capitã Marvel que estreia no mês que vem.

Por: Jorge Calife


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document