domingo, 15 de setembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Homem dado como morto continua internado em hospital

Homem dado como morto continua internado em hospital

Matéria publicada em 30 de julho de 2019, 13:07 horas

 


Homem encontrado em apartamento permanece internado no HSJB
(Foto: Pollyanna Moura)

Volta Redonda– O estado de saúde de Mário Moraes Tanaka, de 46 anos, encontrado com sinais vitais fracos na segunda-feira (29), em seu apartamento no Aterrado, é estável. As informações são da Assessoria de imprensa da Prefeitura de Volta Redonda. Ele está internado desde segunda-feira, numa área isolada do Hospital São João Batista, onde um plantonista informou que o paciente está bem, mas ainda sem condições de prestar depoimentos sobre o ocorrido.

Mário foi encontrado próximo ao corpo da mãe dele, Neide Moraes Tanaka, de 73 anos, no apartamento onde moravam na Avenida Oscar de Almeida Gama, no bairro Aterrado. Segundo informações da equipe de socorro, o paciente estava lúcido e chegou ao hospital apresentando desidratação grave e perda de peso, além de atrofia muscular.

Segundo informações dos bombeiros, o paciente tremia muito, estava pálido e com a integridade da pele prejudicada, assim como a higiene pessoal estava comprometida. Ainda de acordo com a equipe de socorro, Mário apresentava estado letárgico (cansaço que envolve diminuição da energia e da capacidade mental e motivação). Ele chegou a ser dado como morto, até ter sinais vitais detectados.

O advogado Cláudio Antônio de Souza, vizinho de Mário, disse ter ouvido comentários de que o homem foi encontrado embaixo de várias cobertas. Outro morador, que não quis se identificar, disse que foi um perito que descobriu que Mário estava vivo.

– Como ele exalava mau cheiro como sua mãe, policiais, bombeiros e até mesmo vizinhos pensaram que Mário também estivesse morto – disse o advogado, acrescentando que Mário não consumava sair de casa.

Ainda de acordo com vizinhos o homem não era visto na rua há muitos anos. A mesma informação foi confirmada pela cabeleireira Carla Manso, proprietária de um salão de beleza localizado próximo ao prédio onde morava a mulher. Ela disse que Mário não saía do imóvel e que aparentava ter transtornos mentais. A vizinha disse ainda que Neide era uma pessoa reservada, que não costumava conversar com vizinhos.

– Ela (Neide) passou falar recentemente para algumas pessoas que ia morrer e que o mundo iria acabar – disse a cabeleireira.

Já o aposentado Jorge Santana, de 68 anos, que frequenta um bar em frente ao apartamento das vítimas, confirmou que Neide era reservada. “Só a conhecia de vista”, disse Jorge.

Investigação

O delegado titular da 93ª DP (Volta Redonda), Franquis Nepomuceno, instaurou procedimento para investigar a morte de Neide Moraes Tanaka, de 73 anos. O corpo da mulher foi encontrado nessa segunda-feira (29), num apartamento no Aterrado. A intenção do policial é verificar se a causa da morte foi natural ou criminosa.

O delegado também deverá apurar outras informações, colhidas por policiais que estiveram no local onde mãe e filho foram encontrados. Entre elas, que as vítimas viviam num local sem as mínimas condições de higiene e que aparentavam ter transtornos mentais.

O policial aguarda o resultado dos laudos da polícia técnica e do IML sobre a causa da morte da mulher. Os documentos serão anexados ao procedimento instaurado. Até por volta das 10h30 desta terça-feira (30), a Funerária Municipal de Volta Redonda informou que o corpo de Neide continuava no IML da cidade.

Untitled Document