terça-feira, 13 de novembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Homem é indiciado por dano e no dia seguinte preso por furto, em Volta Redonda

Homem é indiciado por dano e no dia seguinte preso por furto, em Volta Redonda

Matéria publicada em 17 de abril de 2017, 12:06 horas

 


Ele foi liberado no sábado por crime de dano e preso no dia seguinte por furto

homem e preso duas vezes

No Aterrado: Homem acabou quebrando a porta de blindex do estabelecimento, ele estava tentando arrombar a fechadura com uma chave de fenda
(Foto: Cedida cedidas pela Polícia Civil)

Volta Redonda- Um homem, de 45 anos, abusou da sorte praticando dois crimes no fim de semana. No sábado (15), ele foi preso quando tentou entrar no Edifício José de Alencar, na Avenida 17 de Julho, no bairro Aterrado.

A intenção do suspeito era arrombar a fechadura com uma chave de fenda, mas acabou quebrando a porta de blindex do estabelecimento. O homem foi detido por um policial civil da 93ª DP (Volta Redonda), que passava pelo local no momento e o conduziu para a delegacia. Onde se apurou que ele teve sete passagens pela polícia por furto e uma anotação criminal por uso de entorpecente.

Os policiais apuraram ainda que o suspeito tinha saído no dia 8 de fevereiro deste ano, do presídio Contrin Neto.  O suspeito foi indiciado por dano, crime considerado de pequeno potencial ofensivo e, por isso, não ficou detido.

Porém, no domingo (16), o homem foi preso novamente por policiais militares, após furtar um aparelho de TV, de uma casa na Rua Manoel dos Santos Gonçalves, no bairro Jardim Amália, aproveitando que não tinha ninguém no imóvel.

Segundo os PMs, o suspeito foi abordado quando carregava o aparelho pela BR-393 (Rodovia Lúcio Meira), próximo ao bairro Água Limpa. Ainda de acordo com os agentes, em princípio, o ex-presidiário alegou que o aparelho pertencia a sua mulher, mas depois, acabou confessando e levando os policiais até o local onde praticou o crime.

Em seguida, o homem foi levado novamente para a 93ª DP (Volta Redonda) só que desta vez ficou preso por furto.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

15 comentários

  1. NO DIA 17 -04-2017 , OU SEJA, NESTA SEMANA NO PONTO DA IGREJA NO SENHORA DAS GRAÇAS; no aterrado, ou melhor no Jardim Paraíba; às 19:35 minutos com o ponto lotado dois bandidos com muita ignorância com arma de fogo nas mãos assaltaram todos que estavam ali, ficaram de cinco a dez minutos roubando e colocando terror num professor que esta conosco, isto é, em pleno centro de volta redonda os alunos da faculdade foram todos assaltados um absurdo, e ontem vi um dos bandidos passando perto do beco do mercado e liguei para 190 eles me responderam que 190 é para flagrante delito. Estou muito decepcionado com nossas autoridades policiais que nem as câmeras de volta redonda não estão funcionando só algumas, por isso peço a todos homens e mulheres de bem que não se cale; e muito cuidado com celulares no ponto de ônibus desta cidade.

  2. A frouxidão do código penal desse país é o que alimenta a vida de pústulas como o retratado nessa reportagem… prende esse cidadão em uma penitenciária agrícola e deixe ele lá trabalhando, produzindo alguma coisa por alguns anos; assim quem sabe ele reflete um pouquinho sobre a vida em sociedade.

  3. Tinha que colocar a foto do candango, um amigo meu foi roubado na Av 7 de Setembro e o cara é tão ousado que trocou o perfil do meu amigo e colocou a foto dele no whatsapp.

  4. A polícia faz o trabalho dela e a justiça vem e solta, como podemos querer um país mais seguro ?

  5. Um chato,isso que ele é,kkkkk

  6. Tem q mostrar a cara do vagabundo pra gente saber pq daqui a pouco tá de novo na rua.e enxugar gelo tem q matar

  7. Tem que matar uma praga dessas, reincidente tem que virar adubo.

  8. Existem três tipos de azarado:o azarado,o muito azarado e o homem de 45 anos! Espero que ele tenha pago o blindex que quebrou e devolvido a tv,parece piada.

  9. Alô, DV, “não tinha ninguém no imóvel”, embora comum no falar coloquial, não me parece uma construção frasal muito aceitável na linguagem jornalística. Um “havia” ficaria melhor. 🙂

Untitled Document