Irã proíbe entrada de bens de consumo 'simbólicos' dos Estados Unidos - Diário do Vale
segunda-feira, 27 de setembro de 2021 - 04:30 h

TEMPO REAL

 

Capa / Internacional / Irã proíbe entrada de bens de consumo ‘simbólicos’ dos Estados Unidos

Irã proíbe entrada de bens de consumo ‘simbólicos’ dos Estados Unidos

Matéria publicada em 6 de novembro de 2015, 09:04 horas

 


Teerã – O Irã proibiu a entrada e a exibição pública de bens de consumo que possam representar “presença simbólica” dos Estados Unidos no país, como marcas de cigarros ou cadeias de fast food, informa hoje (6) a imprensa local. As informações são da Agência Brasil.

O ministro da Indústria e do Comércio, Mohammad Reza Nematzadeh, determinou o bloqueio à importação desses bens e pediu a todas as instituições envolvidas que evitem que produtos procedentes dos Estados Unidos ou com carga simbólica norte-americana muito forte sejam vendidos ao público.

A medida surge no âmbito da iminente aplicação do Plano Integral de Ação Conjunta (JCPOA, na sigla em inglês), o acordo nuclear entre o Irã e as potências do Grupo 5+1. que acabará com o isolamento econômico iraniano.

Embora apoie o acordo, o guia supremo iraniano Ali Khamenei advertiu que o governo deveria ser cuidadoso com a sua aplicação e evitar qualquer tipo de “infiltração” dos Estados Unidos no país, principalmente que afete as áreas social e cultural. Para Khamenei, a abertura econômica deve ser feita sem prejudicar a produção iraniana, que deve ser protegida com controles de importação.

A decisão do Ministério da Indústria também surge no momento de forte polêmica, após o encerramento de um restaurante de comida rápida em Teerã, que utilizava o logotipo e a imagem da cadeia KFC.

O restaurante foi fechado pela polícia apenas um dia após a sua inauguração, por “violar a lei”, ao apresentar-se como um local oficial da cadeia norte-americana para aumentar as vendas, disse à imprensa o presidente da Câmara das Indústrias do Irã, Ali Fazeli.

O estabelecimento comercial não tinha nenhuma relação com a KFC, conforme fontes iranianas e própria empresa norte-americana que, em comunicado, disse que não tem nenhum interesse em entrar no mercado iraniano.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Excelente para o MEU BRasil se agisse como o Irã. Talvez não teríamos tantos amebas ou zumbis.

    Amebas aqueles que nada fazem para mudar as coisas
    Zumbis aqueles que fazem sem pensar tudo o que lhes é mandado.

    Os verdadeiros brasileiros doutrinados e americanizados.

Untitled Document