sexta-feira, 14 de maio de 2021 - 00:29 h

TEMPO REAL

 

Capa / Olimpíadas 2016 / Isaquias é bronze nos 200m e leva segunda medalha nos Jogos

Isaquias é bronze nos 200m e leva segunda medalha nos Jogos

Matéria publicada em 18 de agosto de 2016, 14:59 horas

 


Isaquias já fez história nos Jogos Olímpicos

Isaquias já fez história nos Jogos Olímpicos

Rio – Na manhã desta terça-feira, o canoísta Isaquias Queiroz entrou para a história do esporte olímpico brasileiro. Após a medalha de prata nos 1000 metros da C1,o baiano de Ubaitaba conquistou o bronze na prova de 200m e entrou para um grupo seleto de atletas com duas premiações em uma mesma edição dos Jogos Olímpicos.

Após ficar na última colocação durante toda a prova, Isaquias fez um ótimo final de prova e conseguiu ultrapassar Zaza Nadiradze (Geórgia) e Alfonso Benavides (Espanha) chutando sua canoa. O tempo do brasileiro foi de 39s628.

Logo após a prova, insatisfeito, Isaquias bateu com o remo em sua canoa e se jogou na Lagoa Rodrigo de Freitas. Depois do anúncio de sua medalha, o atleta não conteve a felicidade e comemorou socando a água.

Medalhista de ouro em Londres 2012, Iurii Cheban, da Ucrânia, conquistou o bicampeonato e bateu o recorde olímpico com tempo de 39s279. Valentin Demyanenko, do Azerbaijão, foi medalhista de prata (39s493)

Nesta terça-feira, Isaquias conquistou a prata na categoria 1000m da canoa velocidade individual (C1), perdendo para o alemão Sebastian Brendel. O brasileiro tem três títulos mundiais na carreira (500m C1 em 2013 e 2014 e 1000m C2 em 2015) e dois ouros Pan-Americanos (1000m e 200m C1 em 2015).

Além do jovem de 22 anos, Guilherme Paraense (ouro e bronze) e Afrânio da Costa (prata e bronze), nas provas de tiro esportivo nos Jogos de 1920, e Gustavo Borges (prata e bronze) e Cesar Cielo (ouro e bronze, na natação, em Atlanta 1966 e Pequim 2008, respectivamente, conquistaram duas medalhas em uma mesma edição de Olimpíadas.
Brasileiros terminam na décima colocação nos 200m da K2

Na final B dos 200m do K2, canoa com dois remadores, Gilvan Bitencourt e Edson Isaias terminaram na segunda colocação com tempo de 33s992 e terminaram a competição na décima posição. Os sul-coreanos Minkyuu Choi e Gwanghee Cho fizeram 33s812 e ficaram com a nona colocação.

TERCEIRO PÓDIO – Tendo conquistado sua segunda medalha na canoagem velocidade, Isaquias Queiroz não quer parar por aí.

“Estou entrando para o álbum dos melhores atletas do Brasil em Jogos Olímpicos, mas minha luta não acaba, quero as três medalhas, treinei para isso. Todo o Brasil acreditou que eu tinha possibilidade de ganhar três medalhas”, comentou o remador de 22 anos.

Além da prata nos 1000m e do bronze nos 200m da C1, canoa individual, Isaquias também irá competir nos 1000m da K2, prova com dois remadores.

“Ontem quando saí na rua não podia nem andar. O pessoal me reconhecia e queria tirar foto. Agora vai ser mais complicado ainda, espero ganhar a terceira medalha e deixar o Brasil feliz”, acrescentou.

Grande esperança de medalhas para o Brasil, o atleta não decepcionou e conquistou a simpatia do público brasileiro.

“Ontem vi os torcedores felizes e hoje queria dar mais felicidade a eles. Queria ganhar o ouro, saiu um pouco errado, mas consegui o bronze e fui agradecer a torcida pela homenagem, por ter vindo prestigiar a canoagem”, completou.

As preliminares da prova dos 1000m K2 acontecerão nesta sexta-feira a partir das 9h (de Brasília). Isaquias irá formar dupla com um conterrâneo, Erlon Silva, de Ubatã (BA), canoísta de 25 anos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document