;
quinta-feira, 26 de novembro de 2020 - 10:07 h

TEMPO REAL

 

Capa / Nacional / Jair Bolsonaro diz que não cita PF em vídeo

Jair Bolsonaro diz que não cita PF em vídeo

Matéria publicada em 13 de maio de 2020, 08:29 horas

 


Brasília – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril não contém as palavras “Polícia Federal”, “investigação” nem “superintendência”. A reunião foi citada pelo ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública Sérgio Moro como prova de que Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal. De acordo com o presidente, as imagens da reunião foram captadas apenas para registro e a “fita” poderia ter sido destruída após a gravação.

“Vocês vão se surpreender quando esse vídeo aparecer”, disse o presidente ontem, na rampa do Palácio do Planalto. “Continuam desinformando a mídia. Esse informante, esse vazador, está prestando um desserviço. Não existe no vídeo a palavra ‘Polícia Federal’ e nem ‘superintendência”, disse. Bolsonaro afirmou, ainda, que a palavra “investigação” também não foi citada na reunião, ao contrário do que disse Moro em depoimento à PF.

“A preocupação minha sempre foi depois da facada, de forma bastante direcionada para a segurança minha e da minha família”, disse ele, quando questionado se citou a proteção de sua família ao abordar a mudança no comando da PF. “A Polícia Federal nunca investigou ninguém da minha família”, argumentou.

O presidente também afirmou que entregou a gravação para evitar comentários de que ele teria sumido com o vídeo, porque seria comprometedor. “Entreguei por dois motivos. Primeiro, porque acredito na verdade”, disse ele, sem citar o segundo motivo. “O vídeo é meu. O vídeo não é oficial, mas é meu”. Bolsonaro observou, ainda, que a gravação está “sob sigilo”, mas que a qualquer momento isso pode ser retirado.

Ainda de acordo com o presidente, a gravação poderia até ter sido destruída. “A fita deveria ser destruída (…) e poderia ter dito isso à Justiça. Mas jamais faria isso”, observou.

Bolsonaro voltou a minimizar o depoimento de Moro. “O depoimento do Moro, com todo respeito, quem leu e leu com isenção, viu que não tem acusação nenhuma. O do (Maurício) Valeixo, a mesma coisa Esse vídeo agora é a última cartada midiática usando da falácia e da mentira para tentar achar que eu tentei interferir na PF.”

O presidente também negou ter pressionado Valeixo, ex-diretor-geral da Polícia Federal, para sair do cargo e disse que, desde o ano passado, o delegado estava “cansado” e queria sair. A dispensa de Valeixo foi o pivô do desentendimento entre Moro e o presidente e o fator que desencadeou a saída do ex-juiz da Lava Jato do governo.

Reação

Após surgirem os primeiros relatos sobre o teor da reunião ministerial do dia 22 de abril, o tom dos comentários de ministros e outros aliados do presidente Jair Bolsonaro em grupos de WhatsApp mudou. Aqueles que antes se diziam tranquilos em relação à possibilidade de que o vídeo da reunião agregasse algo às denúncias feitas por Moro agora estão preocupados. Para alguns assessores, as falas do presidente durante a reunião sobre a troca do comando da Polícia Federal podem trazer complicações se forem “tiradas do contexto”.

Até a semana passada estes mesmos assessores diziam que o único risco da divulgação do vídeo era provocar uma crise entre os poderes devido à forma grosseira, com palavrões, com a qual participantes da reunião se referiram a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e parlamentares influentes.

Para eles, Moro tinha objetivo mais político do que jurídico ao falar do vídeo. A ordem é insistir na narrativa de que a preocupação de Bolsonaro, ao se referir à PF, era com a segurança de sua família e não com as investigações contra seus filhos.

O presidente Jair Bolsonaro fala à imprensa da rampa do Palácio do Planalto e cumprimenta apoiadores


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

9 comentários

  1. Avatar
    Eleitor arrependido

    Covid 19 matando quase MIL por dia e o presidente preocupado em livrar a cara dos filhos.

  2. Avatar

    No meio dessa confusão toda e o ex-capitão ainda arranjou tempo para voltar a ser o garoto-propaganda da cloroquina. O Trump seus sócios no laboratório do remédio devem pagar bem pela divulgação do produto.

  3. Avatar
    Nilson machado do pinho

    Bolsonaro mais forte em 2022,estamos juntos meu presidente,contra os esquerdopatas,globolixo,stf,maia,etc.

  4. Avatar

    Moro é aquele que prendeu o pai dos jegues?? Hahaha

  5. Avatar

    Já passou da hora dos militares sérios pularem fora desde desgoverno , estão comprometendo uma instituição chamada Exército Brasileiro!

  6. Avatar

    A foto acima mostra o momento exato em que o gado saúda o indivíduo mais ignorante e mau intencionado de todos os tempos.

  7. Avatar

    “O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI/PR) é o órgão do governo brasileiro responsável pela assistência direta e imediata ao Presidente da República no assessoramento pessoal em assuntos militares e de segurança.”

    Não é a Federal que faz a segurança se Bolsonaro e seu Parentes. Logo mais uma vez mente o presidente. Seria mais honrado assumir o que todos já sabem , Há interferência política sim com interesses pessoais, tanto é que a primeira coisa que foi feita após a nomeação do novo diretor Geral da PF foi a substituição do superintendente PF do Rio.

    • Avatar
      Cidadão de Volta Redonda

      Ele falou a verdade! Não cita não, ele “AFIRMA no vídeo”!
      Agora está se casando com o CENTRÃO que ele sempre acusou de bandidos corruptos! Está praticando o toma lá dá cá! Trocando apoio por cargos, igualzinho ao Michel Temer.
      O cara é bacana, né?

    • Avatar

      Com o apoio do centrão ele liquidou dois de uma vez: o Maia e o Alcolumbre.

Untitled Document