quarta-feira, 21 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Justiça decreta prisão preventiva de suspeitos de integrar milícia

Justiça decreta prisão preventiva de suspeitos de integrar milícia

Matéria publicada em 15 de outubro de 2018, 10:46 horas

 


A quadrilha agia no Rio e no Sul Fluminense

Milícia: Suspeitos quando foram presos em maio, em Piraí (Foto: arquivo)

Rio e Sul Fluminense – O juiz Alexandre Abrahão Dias Teixeira, da 3ª Vara Criminal da Capital, decretou no último dia 11 deste mês, a prisão preventiva de 15 integrantes de uma milícia que, segundo denúncia do Ministério Público, atua na Zona Oeste do Rio. A quadrilha atuou na Baixada e no Sul Fluminense. De acordo com as investigações, um dos acusados – Horácio Souza Carvalho – lidera o grupo conhecido “Milícia do Bateau” ou “Bonde do Horácio”.

Neste processo, os réus respondem pelo crime de homicídio doloso – quando existe intenção de matar. Segundo os autos, em dezembro de 2017, a quadrilha assassinou Alexandro de Lemos Esteves Braz, conhecido como “Corujinha”, integrante de outra facção. Cumprindo ordens de Horácio, o grupo foi até uma área dominada pela milícia rival, desembarcou de cinco veículos (todos roubados) e, portando fuzis, começaram a revistar quem circulava pelo local. Ao avistarem “Corujinha” numa moto, o renderam. De acordo com a decisão, um dos réus – Rodrigo Batos Morais, conhecido como “Digão” – atirou contra Alexandro.

“O perfil violento dos denunciados e seus passados criminosos, todos retratados nas diversas anotações, apontam, de forma incontinenti, quão necessária é a prisão dos denunciados. Tal se dá como tentativa de pôr termo a guerra sangrenta e ilimitada na zona oeste carioca”, assinala o magistrado, na decisão.

Tiveram a prisão preventiva decretada: Rodrigo Bastos Morais, vulgo “Digão”; Horácio Souza Carvalho; Wagner Beserra de Araújo; Raphael da Silva Nascimento, vulgo “Pezão”; Wagner Evaristo da Silva Junior, vulgo “Playboy”; Anderson Luiz dos Santos, vulgo “Dante”; Luiz Felipe Costa de Souza, vulgo “2p”; Thiago Amorim de Queiroz, vulgo “Ratão”; Alexandre Portugal da Cunha; Daniel Crichigno, vulgo “Buiú”; Edmilson Gomes Menezes, vulgo “Macaquinho”; Dhiogo de Oliveira Mingozzi; 13- Mauricio Alves Assis; 14- Jorge da Silva Santos Junior, Vulgo “Janjão” 15- Leonardo Luccas Pereira, Vulgo “Leleo“ ou “Leleco”.

No Sul Fluminense, o delegado titular da 94ª DP (Piraí), Michel Floroschk, prendeu no dia 18 de maio desde ano, quatro homens suspeitos de pertencer a quadrilha de milicianos liderada por Wellington da Silva Braga, o “Ecko”, que age em Campo Grande, na Região Metropolitana do Rio.

Armados com revólver e pistola, os quatro suspeitos tentaram empreender fuga em um veículo modelo Gol, que derrapou e parou na estrada durante a perseguição da equipe liderada pelo delegado. Floroschk disse que os suspeitos detidos na ocasião, pertenciam a organização criminosa que agia na Serra do Matoso, em Piraí, onde extorquia moradores e comerciantes da localidade.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar

    A carinha dos policiais bandidos são devidamente escondidas. Será q é pra preservar a impunidade ? Daqui a pouco quase todos de volta talvez até todos rs que piada.

  2. Avatar

    o novo satélite do governo é tão poderoso que se unido a um telescópio poderá ver perfeitamente uma formiga carregando um pedaço de graveto .

Untitled Document