segunda-feira, 28 de setembro de 2020 - 10:24 h

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / Luizinho Vieira preza pela tranquilidade e pé no chão

Luizinho Vieira preza pela tranquilidade e pé no chão

Matéria publicada em 25 de janeiro de 2020, 12:50 horas

 


Técnico aproveirou a oportunidade e lembrou do gol que fez no Maracanã em 2001 – Foto: André Moreira

Volta Redonda – 100% de aproveitamento e liderança do grupo B da Taça Guanabara, esse é o Voltaço deste início de temporada que encara o Flamengo logo mais. Em entrevista exclusiva ao DIÁRIO DO VALE, o técnico Luizinho Vieira falou do momento que vive a equipe e como tem sido a troca com os jogadores neste início de temporada.

DV: Você esperava este início de temporada?
Luizinho Vieira: Na pré-temporada a gente procura trabalhar bem e isso a gente fez, uma pré-temporada com excelência. Nos preparamos não só para o Carioca, mas colocamos todas as ideias em evidência para fazer o ano de 2020. Para então culminar com um bom campeonato carioca, uma boa Copa do Brasil e já entrar no Campeonato Brasileiro, com sete meses de preparação, estaremos muito mais próximos de conquistar pontos e ter um conjunto maior para tentar levar a equipe para a série B. Feito que seria fantástico não só para o clube, mas também para o futebol carioca. E começar bem assim é excepcional para termos uma perspectiva boa do que vem pela frente.

DV: Dá pra projetar algo ou é hora de manter os pés no chão?
Luizinho Vieira: É o momento de ter equilíbrio e tranquilidade na competição. A gente começou bem, mas é só o início. Tem mais espaço de evolução e é sempre bom você corrigir seu time, para ter mais tranquilidade. Não é porque a gente venceu que a gente não cometeu erros e cabe a mim, que sou o comandante, ter esse equilíbrio e estudar o que a gente vem fazendo e no dia a dia corrigir pra evoluir.

DV: Algo te surpreendeu positivamente no grupo ou no campeonato?
Luizinho Vieira: Um dos pontos foi o convite, que me interessou e me fez vir comandar a equipe é que o Volta Redonda faz um trabalho de manutenção de algumas peças, trabalhando em cima de um conjunto maior e é justamente o que funciona no futebol. A renovação de contrato é a melhor contratação que você pode fazer dentro do futebol.

DV: Mesmo sem os titulares, o Flamengo é um time de grande expressão. Como o Voltaço vai entrar para esse primeiro jogo fora de casa?
Luizinho Vieira: Não vamos mudar nada, vamos fazer o jogo como temos feito. Não interessa se o jogo é fora ou em casa, a equipe tem que pensar dessa maneira para poder continuar rendendo tanto na parte defensiva, como chegando com qualidade na frente. O futebol tem dois momentos, o que você vai ficar sem a posse de bola, e daí você tem que ficar perto e agrupado para fazer a marcação, e quando você está com a posse da bola e os jogadores tem que fazer transições e colocar o jogo pra fluir. Dessa forma você consegue ter seu time equilibrado dentro do jogo, é o que a gente tem feito e é assim que vamos para o confronto.

DV: Sobre os adversários, o Volta Redonda tem uma seuqencia de dois jogos fora de casa. Como tem sido acompanhar essas equipes, o que tem visto deles e se o fator mando de campo será determinante, já que o Voltaço jogou muito bem nas duas primeiras partidas em casa?
Luizinho Vieira: Temos assistido os jogos sempre que possível, inclusive na quinta-feira estivemos lá no Estádio do Trabalhador, embaixo de chuva o jogo inteiro já que lá não tem cobertura, para acompanhar o jogo do Resende contra o Bangu, que é nosso adversário após o Flamengo. Fomos lá justamente pra estudar o adversário, as ações do jogo e entender melhor o que a gente vai enfrentar, para depois passar para os atletas e deixa-los mais próximo da realidade. Isso é importante para pegarmos essas informações e colocarmos no treino, para poder posicionar bem o time e continuar evoluindo na competição.

DV: Agora uma curiosidade: Você já atuou no Maracanã, quais as lembranças que você tem desse palco?
Luizinho Vieira: O Maracanã é um templo, não foram muitas as oportunidades de estar atuando lá, mas a melhor recordação foi um Fluminense e Santa Cruz, do Recife, pelo campeonato brasileiro de 2001, o jogo foi 3 a 2 e eu fiz um gol de falta. Foi uma situação de bola parada, que eu treinava muito, e no Maracanã tem uma atmosfera diferente. Agora a gente espera passar toda essa emoção para os atletas, para que a gente consiga trilhar num caminho que a gente começou bem e fazer um bom carioca.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar

    Só esqueceu de falar ,para o Bruno Barra ,não prender a bola ,ser mais rápido . E o desastrado do Douglas ,não soltar as bolas e não catar adiantado . Luisinho de uma oportunidade para outro goleiro , torcida já vem sofrendo a muito tempo . Com este goleiro .. troca o preparador . De goleiro também . péssimo

  2. Avatar

    Temos que jogar unido ,até o final . Um time se mede pela força de vontade vencer , a humilde é segredo de poucos , nem todos estão preparando para ter este presente , . Vamos fazer nossa parte ,bem feito . Uma equipe ,joga junto até os 90 minutos.

  3. Avatar

    O time que tirou o VOLTA REDONDA da copinha são Paulo num jogo polêmico com um pênalti duvidoso nos acréscimos foi campeão da copinha na disputa de pênaltis é mole

  4. Avatar

    “Não é porque a gente venceu que a gente não cometeu erros e cabe a mim, que sou o comandante, ter esse equilíbrio e estudar…”

    É isso aí! Sem salto alto. Que bom o reconhecimento. Sem mais

  5. Avatar

    se o voltaco ganhar eu tiro meu chapel mas eu sou voltaredondense mas irei torcer pro voltaco

Untitled Document