terça-feira, 7 de dezembro de 2021 - 11:30 h

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Mais de R$ 80 milhões em salários atrasados já foram pagos pela prefeitura de VR

Mais de R$ 80 milhões em salários atrasados já foram pagos pela prefeitura de VR

Matéria publicada em 18 de junho de 2021, 10:01 horas

 


O prefeito e sua equipe trabalham para equalizar as dívidas referentes aos pagamentos dos servidores – Foto Divulgação PMVR.

Volta Redonda – Os servidores da ativa concursados receberam nesta quinta-feira, 17, da prefeitura municipal de Volta Redonda, R$7.757.000,00 correspondentes ao décimo terceiro salário, referente ao ano de 2020.

De acordo com o governo municipal, o pagamento significa o fim da dívida herdada da administração anterior com os funcionários de carreira, onde já foram pagos mais de R$ 80 milhões em salários atrasados para servidores ativos e inativos.

Quando assumiu em janeiro de 2021, o prefeito Antônio Francisco Neto sabia que, além do desafio de iniciar a gestão em meio a uma pandemia, teria de resolver entraves deixados na área das finanças, como dívidas a fornecedores e funcionários. Desde então, o prefeito e sua equipe trabalham para equalizar as dívidas referentes aos pagamentos dos servidores ativos e inativos.

“Em todos os meus mandatos sempre tive o zelo de deixar em dia a nossa folha de pagamento de pessoal. Tanto aqueles que estão na ativa, quanto os que por anos contribuíram com a nossa cidade. Sabemos das dificuldades que estamos passando nesse início de governo, mas não seria justo com quem está enfrentando a pandemia trabalhando pelo melhor da cidade e do nosso povo”, disse Neto.

A Secretaria Municipal de Fazenda (SMF) se organiza agora para quitar os débitos deixados com os cargos comissionados. Ainda faltam: metade do salário de novembro, pagamento de dezembro e 13º – todos referentes a 2020.

De acordo com o secretário de Fazenda do município, Erik de Souza Higino, duas frentes de recursos serviram para contribuir com o pagamento das dívidas. “Só está sendo possível devido à ajuda do Governo do Estado, que vem repassando os recursos para saúde. Desta forma, a secretaria consegue cumprir parte da folha de pagamento do pessoal da pasta e, a partir disso, desonerou o tesouro. Com isso, conseguimos complementar o restante da folha de pagamento de todos os funcionários”, explicou o secretário.

Ainda de acordo com Higino, o segundo motivo é o empenho da equipe e do próprio prefeito na redução de custos e ampliação de receita. “O prefeito tem revisitado todos os contratos, renegociado com os fornecedores, parcelado alguns débitos que são imprescindíveis para que os trabalhos continuem sendo executados e cobrando os devedores”, explicou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document