Marketing de Oportunidade X Oportunismo: Dicas para marcas se posicionarem apoiando o Rio Grande do Sul

Como ajudar sem parecer oportunista? Especialista a destaca a importância da empatia e coerência na comunicação durante crises

by Agatha Amorim

Sul Fluminense – Nos últimos dias, muitas marcas têm se questionado: como contribuir para o Rio Grande do Sul sem parecer que estão aproveitando uma tragédia para fins comerciais? A preocupação é legítima e revela um desejo sincero de ajudar, mas a sensibilidade e coerência são essenciais para evitar a percepção de oportunismo. Quando uma tragédia impacta severamente uma comunidade, o marketing deve se basear em respeito e compaixão. Natália Fontenla, gerente de Comunicação e Marketing na Unimed Volta Redonda, destaca que o objetivo principal deve ser apoiar a reconstrução das vidas afetadas de maneira genuína. “O principal objetivo é apoiar as pessoas afetadas na reconstrução das suas vidas, oferecendo ajuda real e efetiva”, afirma Natália.

Infelizmente, algumas organizações adotam estratégias que podem ser interpretadas como tentativas de capitalizar sobre a dor alheia. “Há organizações e pessoas que abrem brecha para o questionamento, como: ‘Nunca vi essa marca adotando uma postura solidária em suas ações e agora está conectando suas estratégias comerciais às vítimas do Rio Grande do Sul'”, observa Natália. Isso pode prejudicar a imagem da marca, tornando-a vista como oportunista e antiética.

A chave para as marcas é agir com coerência, alinhando suas ações aos seus valores. “Em momentos de comoção como esse, as marcas devem se voltar para os seus valores. Marcas são como pessoas, têm sua identidade e visão de mundo”, explica Natália. Ela sugere que as marcas usem sua influência para promover apoio verdadeiro, seja através de doações, campanhas de arrecadação, compartilhamento de conteúdo útil ou combate a Fake News.

 

Apoie o comércio local

Além disso, Natália aconselha empresas que compram de marcas locais a manterem seus compromissos para apoiar a economia regional genuinamente. “Empresas que compram de marcas do Rio Grande do Sul podem exercer seu compromisso de continuar comprando para contribuir de forma genuína com a economia das áreas afetadas”, ela enfatiza.

Seguir essas diretrizes ajuda a fortalecer a imagem da marca e a distanciar qualquer percepção de oportunismo, mostrando um posicionamento ético, solidário e responsável.

 

 

Natália Fontenla é jornalista com MBA em Marketing Empresarial e 12 anos de experiência. Gerente de Comunicação e Marketing na Unimed Volta Redonda e sócia-fundadora da Protótipo – Laboratório de Marca e Experiência, é também membro da Comunidade de Branding Aplicado da LAJE.

You may also like

Leave a Comment

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996