quinta-feira, 20 de setembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Polícia / Megaoperação contra o tráfico prende 56 pessoas, entre elas uma grávida

Megaoperação contra o tráfico prende 56 pessoas, entre elas uma grávida

Matéria publicada em 16 de agosto de 2018, 08:32 horas

 


Policiais civis fazem operação contra o tráfico na região onde 56 pessoas já forma presas (foto: Paulo Dimas)

Barra Mansa – O MPRJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e a Polícia Civil, comandado pelo delegado Ronaldo Aparecido, deflagaram na manhã desta quinta-feira, dia 16, a Operação Horse, para combater o tráfico na região. Foram presas 56 pessoas por suspeita de tráfico, entre elas uma mulher grávida.

Elas foram levadas para o Parque da Cidade, que fica perto da Delegacia de Barra Mansa,e serão encaminhadas até amanhã para sistemas penitenciários do Estado do Rio. Durante a operação, três pessoas foram autuadas em flagrante por tráfico de drogas, quando os policiais estavam num condomínio, no Roma, cumprindo os mandados de prisão e de busca e apreensão.

Segundo o delegado Ronaldo Aparecido, que comandou a operação, houve troca de tiros com os policiais no Roma e 12 pessoas conseguiram fugir para uma área de mata, carregando em suas mochilas armas e drogas.

Outras 22 pessoas com mandados de prisão já se encontravam dentro do sistema carcerário, presos em outras operações.

Os agentes tinham como objetivo cumprir 72 mandados de prisão preventiva e 122 mandados de busca e apreensão contra denunciados pelo MPRJ à Justiça por tráfico e associação para o tráfico. A operação está sendo realizada também em Volta Redonda, Pinheiral, Barra do Piraí e Valença,mas o principal alvo é Barra Mansa.

A ação conta com apoio da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ) do Ministério Público fluminense. Ao todo 60 agentes participam da operação e 258 policiais.

A operação

O monitoramento das comunicações telefônicas com autorização judicial permitiu evidenciar a estrutura de uma sólida associação dedicada ao tráfico de drogas. As denúncias – foram sete ao todo – narram os diferentes núcleos de atuação ligados a diversos bairros de Barra Mansa e em cidades da região como Valença, Volta Redonda e Pinheiral.

Por conta da complexa estrutura e elevado número de denunciados, a investigação foi dividida em três núcleos de denunciados: o primeiro relativo à origem da droga; o segundo tem por base os traficantes receptores de drogas; e a terceira investigação tratou do tráfico em algumas localidades específicas. Para se ter uma ideia da área abrangida, os denunciados dominavam o tráfico em pelo menos dez bairros de Barra Mansa (Ano Bom, Loteamento, São Luiz, Vila Delgado, Eduardo Junqueira, Jardim América, Nova Independência, Monte Cristo, Goiabal e Vila Brígida) e quatro em Volta Redonda (Candelária, Vila Rica, Belo Horizonte e Três Poços), além de localidades em Pinheiral e Valença.

No primeiro núcleo, apurou-se que Jean De Souza Mendes, vulgo Paulista, era o principal fornecedor de drogas para diversos traficantes de cidades do Sul Fluminense. Ele adquiria os entorpecentes em São Paulo junto à facção Primeiro Comando da Capital (PCC) e levava ao Rio, para traficantes como Gledson José Ribeiro Nunes, vulgo Chuchu, Sérgio Moreira Dos Reis, vulgo Alemão, Luis Fernando Xavier, vulgo Dadal, entre outros.

No segundo, a investigação verificou que Fabiano da Silva Melo, vulgo Mineiro, oriundo de Minas Gerais, era outro fornecedor de drogas para traficantes de Barra Mansa. Ele trazia as drogas de Juiz de Fora, onde residia. Entre os responsáveis por receber e intermediar as transações de droga de Fabiano aparece Rivaldo da Silva Barros. Outra denunciada importante é Maria Madalena de Carvalho Marques, que operava o tráfico sob a coordenação de seu irmão, Claudinei de Carvalho, já preso.

No terceiro núcleo de denunciados estão outros responsáveis pelo tráfico em bairros de Volta Redonda e Barra Mansa. Neste grupo aparecem Kelvinton Idalino Bernardes Paulo, vulgo Kekel, Regis Nunes Marques, vulgo Arroz, Moises Rocha, vulgo Boi, Luís Silva, vulgo Gianecchini, e Adriano Sebastião Dos Santos Prudêncio, vulgo Japa, entre outros.

Durante os 13 meses da investigação, em razão das interceptações telefônicas realizadas, houve a prisão de 22 pessoas, em 15 autos de prisão em flagrante, além de apreensão de grandes quantidades de droga. O trabalho também contribuiu para a elucidação da autoria de dois homicídios praticados em razão de disputas de território entre traficantes. O alto índice de mortalidade entre os envolvidos com o tráfico de drogas também revela-se no número de investigados mortos no curso da investigação: foram 12 pessoas antes da denúncia ser oferecida à Justiça.

A operação desta quinta-feira é um desmembramento da Operação Adren, que resultou na condenação de diversos criminosos nos Estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Além dos pedidos de prisão preventiva e busca e apreensão, o  MPRJ requisitou ainda o sequestro de bens e valores dos principais denunciados.

 

 

20 comentários

  1. 3 poços era um bairro maravilhoso para se viver, saía e chegava a hora que quisesse. Depois que implementaram esse bendito conjunto habitacional no sub bairro “Colorado” aquilo se tornou terra de ninguem. Toda esquina do bairro 3 poços tem elemento fazendo a observacao de qualquer movimento suspeito. Bandidos de tudo quanto é lugar, vieram morar nesse condomino minha casa minha vida; vila brasili,belo horizonte,angra dos reis, barra mansa, roma. Infelizmente 3 poços acabou.

    • Apocalipse 12:17 vc é maluco ou o que? kkkkkkkkkkk 3 Poços sempre foi terra de ninguém desde a criação que se vê bagunça total nesse lugar, aí nunca foi essa tranquilidade que vc ta dizendo. Maluco vc né…

  2. SENHORES: SE ALGUÉM COMPRAR UM PRODUTO ILÍCITO VOCÊ VAI PRESO, PODERIAM PRENDER OS USUÁRIOS TAMBÉM ALÉM DE CORTAR SEUS BENEFÍCIOS DE CIDADÃO, PORQUE ESSA CORJA QUE SUSTENTA O TRÁFICO. AÍ SIM OS FDP NÃO TERIAM COMO FATURAR

  3. Antonio Carlos Peludo

    A opinião é livre,mas dizer que Bolsonaro é favoravel a violência , a debatedora deve viver na Noruega, pois aqui somos caçados feito gado e sem direito a revidar, se é contra o armamento tudo bem, agora tirar meu direito a defender a mim e a minha familia e o proximo é no minimo uma afronta a inteligencia . Lembre-se do enunciado de Sete Lagoas aquilo sim é um tapa na cara do Brasil acovardado.

  4. SENHORES BOA NOITE ! SABEM PORQUÊ DESSA OPERAÇÃO E COMO SURGIU, DE MORADORES HONESTOS QUE JÁ NÃO AGUENTAVAM MAIS A COVARDIA DESSES VERMES, LIGARAM PRA POLÍCIA CÍVIL E DENUNCIARAM TUDO, LOCAL O QUE FAZIAM QUEM SÃO OS FDP E COM A EFICIÊNCIA DA POLÍCIA CÍVIL E MINISTÉRIO PÚBLICO RESULTOU NA PRISÃO DESSES DEMÔNIOS

  5. É isso que precisa, de ação da polícia, investigação e inteligência.
    QUE O ESTADO INVISTA NA POLÍCIA. Pois a presença do exército no Rio só fez crescer a violência ainda mais.
    TOME ATITUDE INTELIGENTE POLÍTICOS. Usem o nosso dinheiro com responsabilidade, pois prestaram contas disto em algum momento!

  6. Parabéns ao Dr Ronaldo Aparecido e sua equipe! Parabéns ao MPRJ e GAECO! Mas por gentileza, estendam o trabalho para outros bairros também, Santa Inês, Siderlândia, Eucaliptal, Boa Vista, Paraíso, São Carlos de Barra Mansa e Volta Redonda, Nove de Abril, Metalúrgico, Vila Mury, Complexo da Vila Brasília, Vila Elmira, ou melhor por Volta Redonda e Barra Mansa inteira, o tráfico de instalou em todos os bairros. Nos últimos anos só a delegacia de polícia civil de Barra Mansa vem fazendo operações plausíveis, porque a de Volta Redonda não segue o mesmo exemplo. Porque um delegado se preocupar mais com a segurança da população, comparado a outros. A população faz sua parte, denuncia, agora a polícia tem que ouvir, senão só o Dr Ronaldo fica sobrecarregado. Gosto muito do trabalho do Dr Michel também, esse quando prende, fica ruim da justiça soltar, tamanha é fundamentação da prisão.

  7. Olha só isso! Diario do vale agora é vidente.. a policia chegou ao roma 9:30.. a publicacao é de 8:32..

  8. Parabéns Polícia Civil! Mas acho que vale lembrar a experiência do Roma: da próxima vez tem que cercar primeiro a área de mata, se não os vagabundos pulam o muro e vazam! E não adianta dizer que não sabia, pois todos os condomínios populares do Minha casa minha vida têm uma turminha vendendo um negocinho da moda que dá barato…

  9. Vila Mury?
    Vila Mury é bairro nobre, colocaria nessa lista açude, cajueiro, são carlos, são lucas, eucaliptal, Roma, 3 Poços, S. Sebastião, complexo vila brasilia, siderlandia, fazendinha, padre josimo

  10. Parabéns a polícia de Barra Mansa. Pra cima deles. Bolsonaro na cabeça.

  11. E a Delgado?principal boca de Barra Mansa

  12. Sera que acabou com a boca delgado ou vai continuar essa pouca vergonha aqui no ano Bom?

  13. em barra mansa faltou os bairros,colonia,siderlandia.vila ursulino,santa maria 2,piteiras,bocaininha.

  14. Em Volta Redonda faltou os bairros Santo Agostinho, Vila Americana, Retiro, Santa Cruz, Belmonte, Candelária, Vila Mury …

Untitled Document