terça-feira, 15 de junho de 2021 - 13:44 h

TEMPO REAL

 

Capa / Tempo Real / Menina de 6 anos era espancada e chicoteada com fio pela mãe e a companheira há três dias seguidos

Menina de 6 anos era espancada e chicoteada com fio pela mãe e a companheira há três dias seguidos

Matéria publicada em 20 de abril de 2021, 15:26 horas

 


Suspeitas participam nesta quarta-feira da audiência de custódia em Volta Redonda

Porto Real –  O delegado titular da 100ª DP (Porto Real), Marcelo Nunes Ribeiro, apreendeu o fio de TV a cabo que era usado para chicotear a menina de 6 anos, que se encontra internada desde segunda-feira, dia 19, em um hospital de Resende. Nunes explicou que a mãe da criança, uma mulher de 27 anos, e a companheira dela, de 25, dobravam o cabo para bater na vítima, além de darem socos e pontapés na menina. O policial disse ainda que o fio foi apreendido como prova do crime.

Os espancamentos e as sessões de tortura ocorriam na casa das suspeitas, no bairro Jardim das Acácias.

As duas estão presas e foram indiciados por crime de tortura. Segundo o delegado, elas confessaram as agressões, que eram praticadas por motivo torpe. Uma das agressões  ocorreu porque a menina tomou um copo de leite sem autorização.

–  As lesões na criança foram produzidas por um fio de TV a cabo, dobrado. Sem falar dos chutes e socos que a menina vinha sofrendo desde a última sexta-feira, dia 16.  Agressões que causavam intenso sofrimento físico e psicológico na vítima, que está internada em estado gravíssimo. Conseguimos a cópia do Boletim de Atendimento Médico (BAM), que comprovaram as lesões – explicou o delegado.

A menina está internada no CTI de um hospital particular, em Resende. Segundo o último boletim divulgado pela Prefeitura de Porto Real, a lesão neurológica constatada pelos médicos na criança é gravíssima, e o quadro da menina permanece inalterado, porém, estável.

Nunes disse que os maus-tratos começaram na sexta-feira, dia 16, e prosseguiram até a madrugada de segunda-feira (19), quando a criança ficou agonizando até amanhecer.

–  Foi só então que a mãe da criança resolveu chamar a equipe médica do Samu, que levou a menina para um hospital municipal de Porto Real, onde os médicos ao verificarem várias lesões chamaram os guardas municipais, que por sua vez solicitou apoio de policiais militares, que prenderam as duas mulheres – explicou o delegado.

O delegado justificou porque indiciou as duas mulheres por tortura. Ele explicou que, antes de elas serem presas na segunda-feira,  não prestaram socorro à menina, como forma de dar continuidade ao sofrimento físico e mental imposto à  vítima através das agressões perpetradas anteriormente. Já  a avó materna, de 50 anos, foi autuada por omissão e  responderá em liberdade.

O policial lembrou que a pena prevista para o crime de tortura é de dois a oito anos de reclusão.  Nunes também disse que a companheira da mãe da criança, tem antecedentes criminais pelos crimes de lesão corporal e dano ao patrimônio público .

Audiência de custódia

As duas mulheres presas participarão nesta quarta-feira, dia 21, da audiência de custódia, que ocorre em um prédio anexo a Cadeia Pública de Volta Redonda, no bairro Roma. Na ocasião, o juiz vai decidir se as suspeitas responderão pelo crime em liberdade ou se elas permanecem detidas. Caso isso ocorra, as duas serão transferidas para o sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça de Porto Real, que vai decidir sobre o destino da criança.

Dependendo da decisão do magistrado, a menina poderá ficar em um abrigo, ou dar a guarda provisória a um parente, por exemplo. O Conselho Tutelar de Porto Real acompanha o caso.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. NESSA HS VIZINHO NENHUM APARECE, PARA AJUDAR.
    AGORA PRA FAZER FOFOCA, SAI VIZINHO DA RUA DE CIMA, DEBAIXO, ATÉ DA TOMADA. NÃO É POSSIVEL QUE NINGUEM OUVIU ESSA CRIANÇA CHORANDO, GRITOS,BARULHOS ESTRANHOS NADA…

  2. Possivelmente irão ser soltas na audiência de custódia, com essa justiça, isso é que causa indignação. E o pai dessa menina não foi citado, isso está muito estranho.

  3. Se vasculhar direitinho, irão achar que são ” cidadãs de bem, de deus e da família, fechadas com Bolsonaro ” ass como aquele estrume que foi preso recentemente

  4. As vagab… undas vão receber tratamento vip na cadeia. Isso de certa forma conforta, visto que, se depender da “justiça”, as duas serão libertas em pouco tempo.

  5. Pobre menina. Que triste destino…

  6. Capeta da grota do Santa Cruz

    Moravam só no mundo? Porque os VIZINHOS não DENUNCIARAM?

  7. Nojo disso tudo. Tudo mesmo, correto?

Untitled Document