sábado, 22 de fevereiro de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Mosaico / Minério de ferro

Minério de ferro

Matéria publicada em 2 de junho de 2019, 07:00 horas

 


A CSN deve concluir a primeira etapa do projeto de processamento a seco do minério de ferro na mina Casa de Pedra, em Congonhas (MG), no fim do primeiro semestre, segundo informou o jornal “Valor Econômico”.
*
Hoje, 45% do beneficiamento já é feito assim e, até o final de junho, a meta é chegar a 50%.
*
Novos equipamentos estão em instalação para segunda fase e o  compromisso da empresa é ter 100% no início de 2020.
*
Casa de Pedra é a principal mina de ferro da CSN e tem capacidade instalada para produzir mais de 30 milhões de toneladas da commodity por ano.
*

A barragem, que foi construída pelo método de alteamento a jusante, entrará em processo de descomissionamento ao fim do recebimento de rejeitos.
O plano, de acordo com uma fonte com conhecimento no assunto, é que em 10 anos ela esteja toda seca.
*
Doações
Sensibilizada com a situação ocasionada pelas chuvas em Barra Mansa, a mulher do governador do Rio de Janeiro, Helena Witzel, presidente de honra da Ong Rio Solidário, de Laranjeiras, enviou uma equipe ao município para entregar uma van repleta de doações a serem entregues às famílias que foram atingidas pela última tempestade.
A entrega aconteceu na terça-feira (28), na sede da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos.

De perto
O prefeito de Barra Mansa, Rodrigo Drable, fez questão de acompanhar a doação dos 501 kg de alimentos não perecíveis, 10,5 kg de alimentos perecíveis, 300 kg alimentos perecíveis em unidades e 353,1 litros de água, suco e leite.

Arrecadação
Rodrigo Drable ressaltou a importância da prefeitura em poder contribuir com esse momento e afirmou que o trabalho de arrecadação e reestruturação do município será mantido.
O prefeito ainda aproveitou a oportunidade para uma novidade.
“Recebemos a equipe da Companhia de Habitação do Estado para darmos inicio ao processo de construção das casas a fim de remover aquelas famílias que anualmente são afetadas pelas chuvas. Com fé e muito trabalho, as coisas vão dar certo”, completou Drable.

Ajuda às famílias
A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos, Ruth Coutinho, destacou a importância em poder ajudar as famílias com essas doações e, ainda frisou a satisfação em receber o grupo.

Doações
A coordenadora do Programa de Doação da Ong Rio Solidário, Mônica Miranda, esteve representando a mulher do governador e explicou que uma das ações da ONG é o programa de doações. “Trabalhamos com campanhas de arrecadação durante o ano todo, porém quando acontece algum tipo de urgência como esta, nos mobilizamos para ajudar. Nós cobrimos os 92 municípios do Rio de Janeiro, atuando em todo estado. No caso específico de Barra Mansa, a demanda surgiu da própria primeira dama do Estado”, concluiu.

Distribuição de gás
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Alerj que investiga a distribuição de gás no Estado do Rio de Janeiro,foi instalada esta semana.
O presidente da comissão, deputado Max Lemos (MDB), informou durante a reunião que 52% do gás nacional é produzido no Rio de Janeiro, no entanto, a tarifa paga pelo consumidor carioca é uma das mais altas do país, afirmou o parlamentar.

Reunião com os pais
Escolas públicas e privadas podem ser obrigadas a realizar pelos menos duas reuniões pedagógicas por semestre com os pais ou responsáveis dos alunos e fazer o acompanhamento dos conselhos escolares.
É o que estabelece o projeto de lei 2.844/17, da deputada Martha Rocha (PDT), que foi aprovado pela Alerj, em segunda discussão, na quarta-feira (29).
O texto destaca que é direito dos responsáveis terem ciência do processo pedagógico e participarem da definição das propostas educacionais. A proposta seguirá para o governador Wilson Witzel, que tem até 15 dias úteis para sancionar ou vetar.

Comunicação
Segundo o projeto, a ausência frequente de pais ou responsáveis por estudantes com baixa frequência, baixo desempenho ou problemas comportamentais nas reuniões deverá ser comunicada pela direção da escola ao Conselho Tutelar, para que o órgão apure o caso.
A proposta também determina que as reuniões sejam realizadas no período noturno ou aos fins de semana e deverão ser convocadas por escrito, mediante comprovação de ciência pelos responsáveis.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar
    Isso é uma vergonha!

    Queremos que troquem os filtros !

    A poluição está demais.

    Moro no Belvedere há anos e antes não era assim.

    Se aqui está assim imagine na Vila.

    Tive leucopenia e anemia por metais pesados .

    Os casos de câncer só aumentam.

    E para aqueles que acham que sempre foi assim , não foi, fora que antes tínhamos muitas áreas verdes , coisa que o prefeito do partido cinza está ajudando a desmatar…

    Rodovia dos metalúrgicos que o diga…

Untitled Document