quarta-feira, 21 de outubro de 2020 - 15:52 h

TEMPO REAL

 

Capa / Região / Ministério Público realiza operação contra milícia em expansão no Sul Fluminense

Ministério Público realiza operação contra milícia em expansão no Sul Fluminense

Matéria publicada em 2 de agosto de 2018, 13:11 horas

 


Sul Fluminense – O Mistério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), e a Polícia Civil realizaram, na manhã desta quinta-feira (02), a operação Freedom, com objetivo de cumprir 42 mandados de prisão e 90 mandados de busca e apreensão. Os alvos são integrantes de uma milícia que atua no município de Itaguaí e está em expansão para a Costa Verde e Piraí.

A operação resultou na prisão de 13 pessoas suspeitas de compor a quadrilha. Um dos detidos é o subtenente do Exército Marco Antônio Cosme, responsável por dar ordens para a organização criminosa e por receber o dinheiro que vinha das extorsões e dos serviços oferecidos pela milícia. A Operação Freedom também tem como alvo o policial ativo Antônio Carlos de Lima, afastado da corporação por licença médica, e o ex-sargento da Polícia Militar (PM), Carlos Eduardo Benevides. Lima é apontado como o braço-direito do chefe da quadrilha, Wellignton da Silva Braga, o Ecko – preso há um mês e meio durante as investigações.

A polícia encontrou armas, uma espada e um porrete na casa de Lima e uma camisa da Liga da Justiça – nome do grupo enquanto atuava em Campo Grande, zona oeste do Rio – na casa de Benevides. Ambos estão foragidos.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Moisés Santana, o grupo é audacioso, violento e agia, inclusive, se apropriando de terrenos e casas para alugar para terceiros ou vender. “Tem alguns conjuntos habitacionais, espécie Minha Casa Minha Vida, em que eles entraram e expulsaram os moradores e colocaram novos moradores que pagam taxas a eles”, disse.

A investigação, que já dura cerca de três meses e meio, iniciou-se após denúncias de moradores da região que relataram as constantes extorsões que sofriam pelo grupo.

Segundo a Polícia Civil, o grupo movimenta grandes montantes de dinheiro em razão dos diversos serviços que oferece, como rede de internet e TV a cabo, botijão de gás, galões de água e cestas básicas, e também pelas taxas que cobravam dos moradores e comerciantes da região.

As taxas variavam de R$30 a R$1 mil, dependendo das condições econômicas de cada um. Os valores eram cobrados em troca de uma suposta segurança que seria oferecida pela quadrilha.

A operação tem o objetivo de cumprir 42 mandados de prisão e 87 mandados de busca e apreensão. Os procurados são acusados de integrar a quadrilha que atua nos bairros de Campo Grande, Cosmos, Santa Cruz, Paciência e na cidade de Itaguaí, Região Metropolitana do Rio. Os criminosos são investigados por diversos crimes, como homicídios, adulteração de veículos, receptação, porte de armas, roubos e tráfico de drogas.

Em nota, o Comando Militar do Leste (CML) informou que colaborou com as investigações e que o subtenente está preso e à disposição da Justiça Comum.

Wellington da Silva Braga, o Ecko, é procurado pela polícia (foto: Reprodução)

Sub-tenente do Exército é preso durante operação (foto: Reprodução)

 

 

 

 

 


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

7 comentários

  1. Avatar

    O que cresce na nossa região é a milícia de chineses nas principais avenidas das nossas cidades.só eles é que tem salgados e bijuterias.e só nós brasileiros que assiste o crescimento dos outros por formar a milícia do se dar bem em tudo.

    • Avatar

      Eles TRABALHAM DURO, pagam em dia seus funcionários e recolhem seus impostos normalmente. Vc dificilmente vê um chinês no banco dos réus em qualquer tribunal… O brasileiro, que é metido a esperto, acha que o chinês é um mané exótico que só vive de trabalho e é subserviente, mas quando vê o cara prosperar já começa a invejar…

    • Avatar

      Brasil acabou. Ninguem faz nada por ninguém. País onde a lei do Gerson prevalece. O brasileiro precisa aprender a ser gente. Só pensa em fazer coisa errada.

    • Avatar

      Que comentário nada a ver com a matéria!

    • Avatar

      deixe os chinas trabalharem

  2. Avatar

    Poder paralelo se beneficiando da falta de ação do poder público para com a população. Lamentável

  3. Avatar

    Mata tudo, daí não volta mais !!

Untitled Document