terça-feira, 11 de dezembro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Monitorar preços é o que garante a certeza de descontos durante a Black Friday

Monitorar preços é o que garante a certeza de descontos durante a Black Friday

Matéria publicada em 11 de novembro de 2018, 08:44 horas

 


Neste ano a ‘Sexta-feira Negra’ que promete grandes descontos no setor de varejo e de serviços acontece no dia 23 de novembro

Consumidores monitoram preços antes de acontecer a Black Friday, marcada para o dia 23 de novembro – Foto: Roze Martins

Barra Mansa – Diferente de outras edições, neste ano a rede varejista resolveu antecipar a Black Friday. Conhecida como a sexta-feira negra que promete grandes descontos no setor de serviços e varejo, o dia especial de vendas não será na última sexta-feira do ano, sendo antecipada em uma semana para o dia 23 novembro. Com isso muitos consumidores que pretendem aproveitar as promoções já estão, há algum tempo, monitorando os preços dos produtos que desejam comprar, como forma de terem a certeza de que realmente conseguirão os descontos durante a Black Friday. É o caso do publicitário Bruno Conrado, de 32 anos, que desde outubro está acompanhando pela internet as variações de preços do computador.

Segundo ele, no final de outubro o aparelho estava custando R$ 3,1 mil e no dia 6 de novembro já havia aumentado para R$ 3,6 mil. Ele, que nunca efetuou compras na famosa sexta-feira negra, disse que vai manter as pesquisas para não se deixar enganar pelas falsas promoções lançadas nesse período.

– Como faço muitos trabalhos estou querendo comprar um computador mais específico para me auxiliar. Mas, pelo o que estou observando, as lojas aumentar o valor do real do produto ás vésperas da Black Friday para que no dia esse mesmo produto seja vendido pelo preço normal. Vou manter as pesquisas diárias porque acho que, até dia 23, ele corre o risco de aumentar ainda mais – disse o publicitário.

A administradora Jussara Mello, de 37 anos, também vem acompanhando o preço do tablet que pretende comprar para auxiliá-la nos estudos. De acordo com ela, a pesquisa de preços vem sendo feita em cinco sites diferentes e que ela já está acostumada a realizar compras pela internet. Assim como Bruno, Jussara também notou um aumento no preço do produto, nessas duas primeiras semanas de novembro. O produto, que segundo ela custa em média R$ 1,4 mil, já chegou a R$ 1,9 mil nos últimos dias.

– Tem dois meses que estou pesquisando e o preço médio desse tablet é de R$ 1,4 mil. Porém, neste mês de novembro, ele subiu para R$ 1,9 mil, ou seja, parece que as lojas fazem uma jogada para que no dia da Black Friday ele seja vendido pelo preço normal como se estivesse com desconto. Eu já consegui comprar muitas coisas com bom preço na Black Friday, mas é justamente porque em setembro começo a monitorar o preço do produto que pretendo comprar – ressaltou a administradora.

Procon orienta consumidor a pesquisar

Para evitar que os consumidores da cidade sejam enganados pelos “falso” descontos, o Procon de Barra Mansa orienta par que façam pesquisas diárias sobre o preço do pretendem comprar. De acordo com o gerente do Procon esse monitoramento deve ser antecipado e não apenas na semana da Black Friday.
– Fazer pesquisa e comparar preços só na semana ou no dia da Black Friday não adianta. Infelizmente, principalmente no comércio de eletrônicos, é comum a loja jogar o preço de um produto lá em cima, na semana da promoção, e no dia colocar o preço normal como se já estivesse com desconto – alerta o gerente.
Segundo ele, esse é um tipo de caso que pode e deve ser denunciado no Procon, no entanto, para evitar tal situação o consumidor também pode utilizar os sites de consultas de preços, nos quais é possível encontrar o histórico de valores de determinados produtos, nos últimos meses.
Outro alerta do gerente é com relação a importância de, no ato da compra, o consumidor exigir a nota fiscal e o prazo para entrega do produto, por escrito. Fonseca explica que para compras físicas não existe prazo de desistência, porém, que as compras efetuadas pela internet garantem até sete dias para o cliente apresentar insatisfação e solicitar a troca.
Expectativa de bons resultados

Para o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Barra Mansa, Xisto Vieira Neto, a expectativa  dos empresários para a Black Friday deste ano é de bons resultados. Levando em conta que esta edição acontece na semana em que é liberada primeira do décimo terceiro,ele afirma que, de fato, a população com dinheiro na mão fica mais apta e animada a consumir

– E quando essa oportunidade oferece descontos e promoções vantajosas, o poder de compra é ainda maior e melhor para o comércio – destaca.

De acordo com ele, a CDL lançará sua campanha aos lojistas para essa data apostando no aumento das vendas no período de 19 a 24 de novembro. E a aposta, segundo o presidente, é que além de um faturamento maior nas vendas nesse período, comparado ao ano passado, é que a Black Friday seja um indicativo para vendas no Natal

– Acreditamos que os números devam superar 15% das vendas comparadas ao ano passado. Esse é o tipo de ação que Lojista e Consumidor precisam estar em bastante sintonia e transparência e sempre. orientamos o lojista para que pratique descontos reais, mostrando o preço normal e o preço Black Friday para orientar o cliente – comentou o presidente.
Sobre a segurança nas vendas e dúvidas que possam surgir nesse período, Xisto destacou ser importante que tanto a loja quanto o consumidor confiram a política de troca de mercadoria, prazo de entrega e demais esclarecimentos que possam ajudar a ter uma venda e compra seguras.
– Essa é uma data bacana para conquistar e fidelizar cliente, então o bom atendimento, bom senso, informação sobre regras e condutas da promoção ajudarão numa venda eficaz nessa época e para as próximas chances de vendas – finalizou Xisto.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Bom saber que será o dia 23 o dia de explorar os consumidores. Só entrarei em alguma loja depois desta data.

    Qual será o dia que o empresário brasileiro aprenderá a faturar mais lucrando pouco nos grandes volumes de vendas? Precisamos parar com a prática de vender apenas um produto com preço alto, ou seja, vender apenas uma unidade para ganhar o meu dia.

    Só lembrando: se o dono do whatsApp fosse um empresário brasileiro a assinatura seria uns mil reais por semana. kkkkkkkkkkk

Untitled Document