;
sexta-feira, 27 de novembro de 2020 - 10:23 h

TEMPO REAL

 

Capa / Economia / Motoboys confirmam aumento nos pedidos de entrega após quarentena

Motoboys confirmam aumento nos pedidos de entrega após quarentena

Matéria publicada em 29 de março de 2020, 11:33 horas

 


Com boa parte da população em casa, os serviços de entrega tendem a aumentar
(Foto: Redes Sociais)

Volta Redonda – A quarentena em toda região Sul Fluminense fez com que quase todo o comércio e serviços em geral fechassem as portas por tempo indeterminado, mas também trouxe maiores procuras pelos serviços de delivery. Segundo motoboys de Volta Redonda e Barra Mansa, as corridas a domicílio dobraram nas últimas semanas devido ao isolamento social proporcionado pelo novo coronavírus (Covid-19).

Além das corridas, os cuidados e medidas preventivas para evitar a proliferação da Covid-19 também aumentou entre os motoboys, que dia e noite entregam os mais diversos produtos para as casas de seus clientes. Apesar das entregas fazerem parte do cotidiano dos entregadores, o receio do ato da entrega é grande por conta do vírus que circula pelas cidades.

De acordo com Felipe Ferreira Costa, de 31 anos, as corridas aumentaram, porém não aprova serviços como taxa grátis para favorecer o cliente.

– Em tempo de pandemia aonde todos deveriam estar de quarentena, estamos andando de um lado para o outro, de casa em casa, sem saber quem está com o vírus. Mesmo assim não temos valor algum. Também temos família, crianças e idosos dentro de casa. Ficamos expostos, pois não sabemos quem está com o vírus ou não – destacou o motoboy.

Para Ítalo Vitória da Silva, de 21 anos, a quarentena foi benéfica para a lanchonete de seu tio, localizada no bairro Jardim Guanabara, em Barra Mansa. Segundo ele, dá para sentir a diferença das entregas antes e pós-crise da Covid-19.

– A lanchonete nova do meu tio, que abriu há pouco tempo, está fluindo muito bem. Ele abriu antes dessa crise do corona os pedidos estavam fracos, agora com essa crise de coronavírus aumentou bastante, pois entregamos em Volta Redonda e Barra Mansa – disse o motoboy.

Ele comentou que tanto os clientes quanto os entregadores ficam receosos em realizar os serviços em várias casas, mas que são necessários para levar o sustento para casa.

– Ouvi relato de um colega meu que fez entrega em Barra Mansa. Ele foi entregar a comida no apartamento de uma cliente aparentado de mascara, luva, como foi recomendado. A cliente atendeu a porta e pediu pro motoboy colocar a marmita dentro tabuleiro, mas na hora de entregar o dinheiro não queria ter contato físico com o motoboy e acabou jogando no chão e fechou a porta. A gente fica com receio de entregar os lanches nas casas dos clientes, mas não tem jeito, temos que trabalhar. Preciso pagar minha moto, comprar as coisas para minha filha que completa 11 meses na segunda-feira – completou Ítalo.

Ramon Silva, 27 anos, motoboy há nove anos, contou que a demanda duplicou desde o início da quarentena.

– O delivery aumentou bastante, creio que tenha duplicado os pedidos porque têm saído bastante. Na loja que trabalho tivemos que contratar mais motoboy para cumprirmos a demanda, que dependendo do dia ainda atrasa pelo tanto de pedido que tem. Nós somos em quatro e ficamos na correria – concluiu Ramon.

Motoboys Solidários

Ítalo, Felipe e Ramon fazem parte do grupo “Motoboys Solidários” com o objetivo de ajudar pessoas em situação de rua de Volta Redonda. O grupo conta com mais de 30 membros, que entregam alimentos e cobertores.

O grupo entrega cestas básicas, jantares e cobertores para moradores dos bairros: Vila, Laranjal, Centro , Aterrado, Retiro, Dom Bosco, e dependendo da quantidade de arrecadação, em Barra Mansa. As entregas começam por volta da meia noite e tem prévia de acabar às 4h.

Mais informações sobre o grupo, acessar a página do “Motoboys Solidários” no Facebook.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

3 comentários

  1. Avatar
    Capeta da grota do Santa cruz

    A cliente atendeu a porta e pediu pro motoboy colocar a marmita dentro tabuleiro, mas na hora de entregar o dinheiro não queria ter contato físico com o motoboy e acabou jogando no chão. POXA QUE CLIENTE MAIS SEM EDUCACAO. PODERIA PELO MENOS CITAR EM QUAL PREDIO FOI ESSE EVENTO PARA QUE OS DEMAIS MOTOBOYS SE PRECAVESSEM.

    Ítalo, Felipe e Ramon fazem parte do grupo “Motoboys Solidários” com o objetivo de ajudar pessoas em situação de rua de Volta Redonda. JA FUI ABORDADO POR ELES EM UM VELORIO A PRINCIPIO DOS SE ASSUSTARAM COM ELES CHEGANDO EM PLENA MADRUGADA MAS LOGO PERCEBEMOS QUE SE TRATAVA DE GENTE DO BEM. NOS OFERECERAM LANCHE E CAFEZINHO. PARABENS E MUITO OBRIGADO . BELA INICIATIVA

  2. Avatar

    Motoristas de Uber é hora de virarem “motoboys “.

  3. Avatar

    É no momento de crise que surge grandes oportunidades.
    Tem pessoas que na crise conseguem ver o que é necessário e não tem para com ela se erguer…
    O que é ruim para uns é oportuno para outros.

Untitled Document