segunda-feira, 22 de outubro de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Esporte / No Botafogo, Zé Ricardo lamenta empate, mas elogia time

No Botafogo, Zé Ricardo lamenta empate, mas elogia time

Matéria publicada em 12 de agosto de 2018, 19:43 horas

 


Curitiba(PR)  – O técnico Zé Ricardo não escondeu a decepção com o resultado obtido pelo Botafogo no duelo com o Paraná. O gol marcado pelo adversário no final da partida deixou o treinador frustrado, mas, na entrevista coletiva, Zé Ricardo fez questão de elogiar a atuação da sua equipe,
– Da forma como aconteceu, fica um sentimento de frustração, mas acredito que poderíamos ter saído com os três pontos.
O técnico alvinegro afirmou que a equipe do Botafogo se comportou bem durante o jogo e até chances de liquidar a partida no primeiro tempo, quando desperdiçou chances claras de gol.
– A gente teve a oportunidade de fazer o segundo, mas acabou tomando o gol no final. A gente sabia que seria um jogo difícil, mas fica um gostinho de decepção pela forma como aconteceu.
Para Zé Ricardo, o grupo treinou forte durante a semana, mas ainda não foi suficiente para mudar a forma como a equipe se acostumou a jogar. O treinador acredita que, com a sequência de treino, o desenvolvimento seja melhor.
O técnico do Botafogo disse que o objetivo principal da equipe no Campeonato Brasileiro é pontuar sempre para poder ambicionar melhores posições no desenrolar da competição. Zé Ricardo disse que o foco da equipe vai mudar porque o próximo compromisso será contra o Nacional, do Paraguai, pela Copa Sul-Americana.
Em relação ao retorno do goleiro Gatito Fernández que ainda não atuou no Campeonato Brasileiro por causa de uma grave lesão, Zé Ricardo disse que a previsão da comissão técnica é de que ele retorne contra o Palmeiras na abertura do returno, apesar de estar mostrando grande evolução nos treinamentos. O técnico disse que Saulo tem se comportado bem o que vai permitir que Gatito volte com total segurança.

O jogo
O Paraná começou no ataque e antes do primeiro minuto, Rafael Grampola tocou para a conclusão de Alex Santana, mas a bola passou longe do gol defendido por Saulo. O time da casa mostrava mais disposição ofensiva enquanto o Botafogo adotava uma postura mais cautelosa, preferindo bloquear as investidas do adversário e mantendo apenas Aguirre na frente.
Aos oito minutos, a equipe de Curitiba chegou novamente. Silvinho tocou para Rafael Grampola que chutou forte, mas encobriu o travessão. O time dirigido por Zé Ricardo mostrava grande dificuldade em se organizar dentro de campo e sofria pressão da equipe da casa, armado com três atacantes e que não dava liberdade ao adversário para sair jogando com tranquilidade.
Só aos 13 minutos é que o Botafogo chegou, pela primeira vez, com perigo na área paranaense. Leo Valencia foi lançado por Aguirre, driblou o goleiro Richard, mas perdeu o ângulo e acabou chutando na rede pelo lado de fora.
O Paraná respondeu aos 18 minutos quando Maicosuel cruzou, a defesa não conseguiu afastar e Torito completou. A bola passou perto do gol defendido por Saulo.
O jogo ficou mais equilibrado e, aos 21 minutos, foi a vez de Luis Fernando exigir boa defesa de Richard, depois de receber ótimo passe de Matheus Fernandes.
Aos 25 minutos, Maicosuel, Silvinho e Matheus Fernandes se desentenderam após dividida na lateral e os jogadores e reservas dos dois times se envolveram numa grande confusão. Depois que os ânimos foram serenados, o árbitro mostrou cartão vermelho para o zagueiro Cléber Reis,do Paraná, e para o volante Matheus Fernandes, do Botafogo. Para recompor a defesa, o técnico Rogério Micale trocou o atacante Rafael Grampola pelo lateral Baez, deslocando Igor para formar a dupla de zaga com Renê.
Quando a partida recomeçou a equipe curitibana voltou com maior agressividade e ameaçou o Botafogo aos 35 e 36 minutos, em chutes de Alex Santana e Carlos.
O Alvinegro de General Severiano voltou a dominar a partir dos 40 minutos. Após cruzamento na área, Aguirre cabeceou para o chão e Richard fez grande defesa, evitando o gol da equipe carioca. Três minutos depois foi a vez de Rodrigo Pimpão desperdiçar uma grande chance, ao cabecear para fora depois de receber lançamento de Marcinho. No último lance da etapa inicial, Pimpão tentou uma bicicleta, mas a bola foi em cima do Richard.
O segundo tempo começou com mais uma oportunidade desperdiçada pelo Botafogo, logo aos três minutos. O lateral-esquerdo Moisés fez ótimo lançamento para Luiz Fernando que, livre na pequena área, bateu para fora, levando o técnico Zé Ricardo a colocar as mãos na cabeça.
O Paraná respondeu no minuto seguinte. Após cruzamento, a zaga alvinegra se atrapalhou e Silvinho, desatento, deixou a bola passar quando estava livre diante do goleiro Saulo.
A partida caiu de ritmo e os dois times pareciam mais preocupados em não sofrer gols do que tentar marcá-los. A entrada do meia João Pedro no lugar de Rodrigo Pimpão deixou Aguirre mais isolado no ataque.
Aos 24 minutos, Luiz Fernando invadiu a área e foi derrubado por Renê. O árbitro marcou pênalti que Rodrigo Lindoso converteu aos 28 minutos, depois de muita reclamação dos jogadores do Paraná.
Rogério Micale tentou aumentar a agressividade do time paranista, trocando o apagado Silvinho por Caio Henrique. Sem outra alternativa, o time da casa aumentou a pressão e, aos 36 minutos, Alex Santana arriscou, da intermediária, e Saulo defendeu com alguma dificuldade.
Para tentar segurar o resultado, o técnico Zé Ricardo colocou o volante Jean no lugar do meia-atacante Luiz Fernando. Aos 45 minutos, novamente Alex Santana assustou Saulo com um chute perigoso, mas a bola saiu.
Nos minutos finais, o Botafogo recuou para defender a vantagem e o Paraná se lançou todo ao ataque e acabou alcançando o gol do empate aos 50 minutos. Alex Santana recebeu na entrada da área e chutou. A bola desviou em Igor Rabello e enganou o goleiro Saulo, decretando a igualdade no placar.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document