>
sábado, 2 de julho de 2022 - 07:19 h

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / No limite, hospitais da capital intensificam envio de pacientes para Hospital Regional

No limite, hospitais da capital intensificam envio de pacientes para Hospital Regional

Matéria publicada em 22 de abril de 2020, 11:05 horas

 


Sul Fluminense – Operando no limite da capacidade por causa da pandemia do novo coronavírus, hospitais do Rio já têm dificuldades para realizar novas internações. Dezenas de pacientes estão sendo transferidos diariamente para unidades do interior – algumas a mais de cem quilômetros da capital. A ocupação das UTIs disponíveis beira os 80%. Um dos principais destinos dos pacientes da capital continua sendo o Hospital Regional.

Até 30 pacientes chegam a ser levados ao Hospital Zilda Arns, uma das unidades de referência no combate à covid-19 no Estado, todos os dias. A unidade fica em Volta Redonda, a 120 quilômetros da capital.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou na manhã desta quarta-feira, 22, que a taxa de ocupação na rede estadual é de 66% em leitos de enfermaria e 78% em leitos de UTI. Declarou ainda que nos últimos 45 dias abriu 548 novos leitos exclusivos para tratamento de pacientes infectados pelo coronavírus em todo o Estado do Rio de Janeiro.

Ao todo, a SES planeja oferecer na capital, na região metropolitana e no interior 3.414 leitos. O número inclui dois mil leitos em hospitais de campanha que ainda estão sendo construídos.

A SES declarou por nota que “transferências entre unidades fazem parte do protocolo estabelecido para não sobrecarregar as equipes das unidades e o atendimento prestado”. A pasta também afirmou que faz transferências “de forma alternada para as diferentes unidades espalhadas pelo território”.

Rede privada

A prefeitura do Rio quer contratar mil leitos na rede particular dedicados a cuidados intensivos. O edital de contratação deverá ser publicado ainda esta semana.

Hospital é referência para tratamento do coronavírus


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

2 comentários

  1. Cadê os leitores que criticam sem saber o que falam. Vão continuar criticando o que? Se uma unidade hospitalar vira referência e sinal que está preparada para efetuar as intervenções necessárias.

    • Que referência, vc quem nao sabe de nada, vc nao convive com o que esta acontecendo aqui, nenhum paciente do cti se recuperou, se chega 30 pct por dia, cinco a seis morre em 24 horas, falta profissionais, falta material, o regional ta longe de ser referencia, e so um lugar pra aglomera pacientes e corpos

Untitled Document