segunda-feira, 30 de março de 2020

TEMPO REAL

 

Capa / Política / Novas medidas contra o coronavírus afetam transporte público em todo estado

Novas medidas contra o coronavírus afetam transporte público em todo estado

Matéria publicada em 17 de março de 2020, 07:46 horas

 


Rio de Janeiro – O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, listou algumas das ações previstas no novo decreto que foi publicado nesta manhã, 17, que instaurou situação de emergência em todo estado em decorrência do avanço do novo coronavírus (Covid-19). Segundo o governador, o decreto orientará que ônibus e metrôs devem transportar apenas 50% da lotação máxima, com janelas abertas. Os passageiros devem permanecer sentados.

Outra orientação é que alguns tipos de estabelecimentos comerciais funcionem apenas com 30% da capacidade para receber o público, além de que a capital carioca terá dois hospitais, nomes ainda não divulgados, com 300 leitos para receber infectados do Covid-19.

– Não consigo imaginar o que deve estar acontecendo na Itália, que é um país tão religioso, que precisa discutir quantos mortos vão ser cremados, que nem tem fogo pra cremar os mortos. Isso é uma tragédia e não quero que isso aconteça com o estado do Rio de Janeiro, e é por isso que estou tomando essas medidas muito duras, de sairmos na frente porque estamos diariamente acompanhando isso. Eu peço a toda população, que nesse momento, tenha toda a solidariedade e fraternidade, e acredite, nós estamos trabalhando para encontrar a solução. Só saiam de casa para o estritamente necessário e preservar os idosos, serão tempos difíceis – declarou o governador Wilson Witzel.

O decreto veda ainda circulação de ônibus interestaduais com origem em estado com circulação do vírus confirmada ou situação de emergência decretada e recomenda a suspensão de voos originários de estados ou países com circulação confirmada do Covid-19 ou em situação de emergência decretada. O texto recomenda ainda o fechamento de academias e sugere que a população não frequente praias, lagoas e piscinas públicas.

Ainda segundo Witzel, o Governo do Estado vai liberar uma linha de crédito de financiamento no valor de R$ 320 milhões para micro, pequenas e médias empresas fluminenses, com carência de 12 meses. O objetivo da iniciativa é compensar os eventuais prejuízos em virtude da diminuição da atividade econômica no Rio de Janeiro por causa das medidas de contenção ao Covid-19.

– Para não agravar ainda mais a situação do Estado do Rio de Janeiro, vamos disponibilizar R$ 320 milhões para ajudar micro e pequenas empresas e empreendedores, que são os que mais sofrem. O financiamento terá carência de 12 meses. Acreditamos que esta crise não durará, se trabalharmos bem, mais de seis meses. O período de três meses é o pior até adequarmos os serviços para receber os pacientes graves – completou Witzel.

Determina também determina a suspensão total ou parcial do gozo de férias dos servidores das secretarias de Saúde, de Policia Civil e Policia Militar, de Defesa Civil e de Administração Penitenciária para não comprometer as medidas de prevenção.

Solicitação de mais recursos ao Governo Federal

Na ocasião, o governador anunciou que, juntamente com outros governadores, enviará uma proposta ao Governo Federal para a liberação de mais recursos financeiros aos estados que estão enfrentando a epidemia do novo coronavírus.

– Os governadores se reuniram virtualmente e levarão uma proposta ao Governo Federal para liberar aos estados, pelo menos, R$ 50 bilhões. Não há como suportar a crise econômica de arrecadação dos estados sem que a União venha socorrer. Também os governadores levarão propostas para os recursos da saúde serem imediatamente liberados, além dos R$ 5 bi já anunciados. Para o Rio de Janeiro, são R$ 36 milhões. Isso é muito pouco para o Estado do Rio, porque estamos estimando um custo da ordem de R$ 1 bilhão. Com os recursos que temos neste momento, dois hospitais serão ativados com 300 leitos, podendo chegar até 600 leitos nos próximos 60 dias – anunciou Wilson Witzel.

Novo apelo à população

O governador e o secretário de estado de Saúde, Edmar Santos, enfatizaram o apelo para que a população siga as recomendações das autoridades e se desloquem o menos possível pelas ruas, permanecendo em casa.

– Este é um momento de união e de pensar nos mais velhos, porque eles vão sofrer primeiro. Esta é uma questão humanitária. Por isso, peço ao povo fluminense que se conscientize. Quem pode morrer são os mais velhos, são nossos pais, nossos avós. Por isso, sigam as nossas recomendações e fiquem em casa – solicitou Witzel.

O secretário de Saúde completou:

– Hoje, estamos com 31 casos confirmados no Rio de Janeiro, sendo um paciente em estado grave. Ele já apresentou uma pequena melhora das últimas horas, mas ainda segue muito grave no CTI. Mas o problema não é esse hoje. Há um mês, a Itália estava na situação que estamos hoje e, um mês depois, está nesta tragédia humanitária. As ruas do país estão vazias, mas só estão assim após a morte de mais de 1.800 pessoas. É preciso que a gente consiga fazer que as ruas do Rio de Janeiro fiquem vazias hoje enquanto não morreu ninguém. Este é o nosso desafio – finalizou Edmar.

No fim da tarde, o governador Wilson Witzel esteve reunido com os prefeitos da Região Metropolitana para discutir a aplicação das mais recentes medidas de prevenção do novo coronavírus. A reunião ocorreu durante à tarde, no Palácio Guanabara, numa área aberta, seguindo as novas recomendações de convivência. Entre as medidas discutidas estavam as restrições ao varejo, como bares e restaurantes, disponibilidade de leitos na rede pública hospitalar e os desafios da mobilidade urbana a partir de agora. Muitos prefeitos estiveram acompanhados de seus secretários de Saúde.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

14 comentários

  1. Avatar
    Operário desespero

    INFELIZMENTE A CSN NAO ESTA TOMANDO NENHUMA PROVIDENCIA ,O PESSOA DO HORÁRIO ADMINISTRATIVO CONTINUA TRABALHANDO EM SALAS LOTADAS ,PARTICIPANDO DE REUNIÃO ,NAO TEM ÁLCOOL EM GEL E UM POUCO CASA COM OS FUNCIONÁRIOS QUE DEPOIS TEM QUE IR PARA CASA ENCONTRAR SUA FAMÍLIA ,A CSN PEDRO GUTEMBERG QUE E O DIRETOR MA UPV ,ESTA PREOCUPADO COM PRODUÇÃO ,QUE OS FUNCIONÁRIOS MORRAM AQUI DENTRO E LEVE PARA CASA O VIRUS QUE DISTRIBUA O VIRUS DENTRO DA CODADE DE BARRA MANSA E CIDADE VIZINHA , REFEITÓRIO LOTADOS ,E WUE MEDIA A CSN TOMOU NADA ,FICO COM MEDO TENHO FAMILIA ,TEMHO PAI ,MAE,FILHOS ,OS GERENTES E SUPERVISORES NAO ESTAO NEM AI NEM COMENTAM SOBRE O ASSUNTO ,VAI DEIXAR MORRER ALASTRA O VORUS PARA COMEÇAR TOMAR ALGUMA PROVIDÊNCIA, BENJAMIN STEINBRUCH SO PENSA DINHEIRO . Diário do vale ajude o nosso povo a nossa cidade vá atrás da csn cobrar explicação

  2. Avatar

    O que mais vejo é idoso por aí batendo perna. Não estão nem aí, são dias como outro qualquer, até que entupam os corredores de hospitais e Upas. Daí vão querer culpar o governo!… O brasileiro vitimiza o culpado quando julga que ele é pobre coitado, que não tem discernimento e é prejudicado no seu dia a dia. Mentalidade tosca…

  3. Avatar

    Estou muito preocupado. Sou autônomo também. Se não tenho clientes não tenho renda. Moro de aluguel. Não sei onde vou morar se não puder pagar…

    • Avatar

      TUDO DEDORGANIZADO O POVO QUER SABER “QUAIS OS SINTOMAS DESSE VÍRUS ? DIZEM SER DOR DE CABEÇA, FEBRE, VÔMITO TUDO APARECE DE UMA VEZ NO INFECTADO, OU PODE SER UM SÓ DESSA RELAÇÃO ?”

  4. Avatar

    Eu particularmente não gosto deste governador, mas é inegável que tem tomado medidas acertadas contra a propagação do vírus

    Só falta população mal educada se conscientizar e abraçar a causa

    Mas aqui as pessoas infelizmente só acordam quando começam a morrer pessoas, mesmo

  5. Avatar

    Gorvenador que tal isolar os grupos de risco?

    Isolar pessoas acima de 60 anos em casa.

    Grande parte desse grupo se aposentou…

    E outros que formam o grupo de risco com doencas cronicas recebem atestado medico.

    O restante da populacao segue estudando, trabalhando e se cuidando.

    Afinal todo mundo tem contas para pagar e no final todo mundo vai pegar o corona mesmo, mas quem precisa de atendimento é o grupo de mais de 60 anos e doentes cronicos.

  6. Avatar

    A recomendação é não saia de casa e tal.. mas e quem trabalha ? E lá no trabalho? lá Tem aglomeração de pessoas tbm.. como vai funcionar ? Tinha que parar temporariamente tbm..

    • Avatar

      Morrer de fome ou pegar corona, eis a question?

      Temps que isolar, proibir de sair na rua, colocar grupo de risco em quarentena.

      Na rua ta cheio de idosos passeando!

  7. Avatar

    quero saber quem vai pagar minhas contas final do mês., sou vendedor e dependo de vendas,

    • Avatar

      Quem trabalha com vendas ou é autonomo vai morrer de fine.
      Pois se pessoas não saem, não gastam, se não gastam as lojas demitem e fecham.

    • Avatar

      Correcao, fome.

    • Avatar

      igual a você tem um monte meu amigo
      não só em volta redonda, não só no estado do rio, e não só no brasil

    • Avatar

      Ainda que não te impeçam de vender, pode acontecer de não ter para quem vender… Mas a situação de quem trabalha por conta própria ou por comissão é complicada, o governo tem que pensar numa forma de amparo a essas pessoas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document