O Megatubarão domina o circuito cinematográfico - Diário do Vale
quinta-feira, 16 de agosto de 2018

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / O Megatubarão domina o circuito cinematográfico

O Megatubarão domina o circuito cinematográfico

Matéria publicada em 9 de agosto de 2018, 08:01 horas

 


Jason Statham enfrenta Tubarão pré-histórico de 20 metros de comprimento

Enorme: A mulher e a boca do Megalodon

* Este texto contém spoiler  – Os tubarões voltam a tomar conta das telas de cinema, e desta vez o bicho ficou anabolizado. Esqueça aquele tubarão branco de sete metros do filme do Spielberg, o Megatubarão é uma fera pré-histórica com 21 metros de comprimento. Ele vai bater de frente com o astro de filmes de ação Jason Statham, que se afasta um pouco dos papéis que o consagraram em filmes como “Os Mercenários”. “Megatubarão” é uma co-produção EUA-China o que explica o fato da atriz principal atender pelo nome de Bingbing Li.

O tubarão gigante do filme não é uma invenção dos roteiristas, ele existiu mesmo e viveu há 2,6 milhões de anos, no final do período Plioceno. O nome científico é Carcharocles Megalodon, e o registro fóssil sugere que ele podia atingir 18 metros de comprimento. O que parece não ser suficiente para Hollywood, que esticou o bicho até os 21 metros. Assim ele pode engolir a moça do cartaz aí ao lado com uma bocada só.

Filme de tubarão é como novela de televisão, segue uma fórmula bem estabelecida. Tem sempre um herói, desacreditado, que percebe a ameaça e tenta avisar as autoridades. Ninguém acredita nele, o tubarão faz um estrago e nosso herói é convocado para eliminar o bicho. Foi assim com o “Tubarão” do Spielberg, em 1975 e outros filmes de monstros atuais ou pré-históricos. O que muda é o tamanho da ameaça e os efeitos digitais modernos.

Em Megatubarão, Jason Statham é Jonas Taylor, um capitão da marinha que sobreviveu a um ataque do Megalodon no Abismo das Marianas. Metade dos homens que estavam com ele morreu e a Marinha não acredita em sua afirmação de que o desastre foi provocado por um tubarão gigante.  Taylor é expulso da Marinha e seu casamento desmorona. Sua esposa não aceita viver com um homem que acredita em tubarões gigantes.

Mas é claro que Taylor vai dar a volta por cima. Cinco anos depois do primeiro ataque ele é recrutado pela equipe internacional do laboratório submarino Mana Um. Eles também tiveram problemas com submarinos sendo destruídos por uma criatura gigantesca. Taylor deixa seu retiro na Tailândia e se une a equipe que inclui chineses, japoneses e técnicos ocidentais. Logo suas suspeitas se confirmam com o Megalodon saindo das profundezas para causar o pânico nos resorts do sul da Ásia. Todas as tentativas de matar o bicho fracassam, o tubarão come até um helicóptero e parece indestrutível.

Curiosamente, Megatubarão quase foi produzido pela Disney. O livro, que serviu de base para o filme foi escrito em 1997 e o estúdio do Mickey chegou a pagar um milhão de dólares pelos direitos de filmagem. Mas o projeto foi cancelado quando a Warner lançou, em 1999, o filme “Do fundo do mar”, com o Samuel L. Jackson. Trata-se daquele filme sobre tubarões super-inteligentes, criados por engenharia genética. A Disney achou que o filme tinha esgotado o assunto e cancelou seu Megatubarão.

Mas o monstro se recusou a cair no esquecimento. O autor do livro, Steve Alten, levou o roteiro para o cineasta Guilermo del Toro que se encarregou de conseguir uma nova produtora. Originalmente o filme seria dirigido por Eli Roth, que deixou o projeto por não concordar com a redução do orçamento e da classificação do filme. Roth queria um filme R-Rated, com cenas sangrentas e um orçamento de 150 milhões de dólares. Foi substituído por Jon Turteltaub que concordou em fazer um filme mais brando, que as crianças pudessem assistir (Elas adoram dinossauros e tubarões) e um orçamento mais “modesto” de cem milhões de dólares.

Para quem gosta de aventuras submarinas, com um toque de ficção científica, “Megatubarão” não vai decepcionar. As cenas submarinas estão espetaculares e o elenco inclui uma lula gigante e outros bichos assustadores.

 

Um comentário

  1. Meu nome é Zé Pequeno!

    Agora que a propaganda foi feita quando é que ele estreara nas telas da região?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Untitled Document