sexta-feira, 23 de agosto de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / O mundo sombrio de Joseph Conrad

O mundo sombrio de Joseph Conrad

Matéria publicada em 17 de fevereiro de 2019, 10:38 horas

 


“Lord Jim” antecipou a trama e o cenário do Apocalipse do Coppola

Aventura: Enfrentando as trevas no Camboja

A década de 1960 foi marcada por grandes filmes de aventuras, com personagens humanos que não tinham superpoderes. “Lord Jim”, de 1965, foi a segunda adaptação para o cinema do romance de Joseph Conrad. No elenco Peter O´Toole, recém-saído do sucesso do “Lawrence da Arábia” e encarnando um personagem igualmente ambíguo. Um marinheiro que passa o filme inteiro tentando se redimir de um ato de covardia.

Apesar de ser um dos nomes mais famosos da literatura inglesa, Joseph Conrad era polonês e passou uma parte de sua vida trabalhando como marinheiro a bordo de navios mercantes franceses e ingleses no final do século IXX. Seus romances fazem uma reflexão sobre os efeitos do imperialismo e do colonialismo que as potências europeias praticavam na África e no Oriente. E muitos dos seus heróis são marinheiros que andam numa corda bamba entre a coragem e a covardia.

É o caso de Jim, o anti-herói interpretado pelo Peter O´Toole. Na primeira parte do filme Jim é um marujo promissor, que chega ao posto de imediato no navio do capitão Marlow (Jack Hawkins). Ele adoece e é deixado no porto de Java, onde se recupera. Procurando retomar sua carreira, o jovem Jim arruma emprego num velho cargueiro, o SS Patna que transporta centenas de peregrinos muçulmanos para Meca, na Arábia Saudita. No meio do caminho o Patna enfrenta uma violenta tempestade e tudo indica que as chapas de metal do casco vão ceder. Apavorados, Jim e os tripulantes abandonam o navio, deixando os muçulmanos no navio condenado.

Mas quando chegam em terra descobrem que o navio sobreviveu a tempestade. Jim assume a culpa e perde sua carta de marinheiro. Tentando se redimir, ele aceita levar uma carga de pólvora rio acima, para um vilarejo remoto do Camboja, cercado por bandidos. O filme foi rodado em cenários reais do Camboja, China e Malásia com um time de atores que dão o melhor de si. E acabou inspirando o “Apocalipse” aí ao lado, dez anos depois. A versão em DVD esta disponível em discos de região 1.

Por: Jorge Luiz Calife


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

Um comentário

  1. Avatar

    Calife, quem inspirou o Apocalypse Now foi o livro Coração das Trevas, do Joseph Conrad.
    Tenho os dois livros (Lord Jim e Coração das Trevas) e os acho particularmente chatos.

Untitled Document