sexta-feira, 19 de julho de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Lazer / “O Pequeno Príncipe Preto”

“O Pequeno Príncipe Preto”

Matéria publicada em 7 de outubro de 2018, 09:00 horas

 


Espetáculo traz para Barra Mansa um personagem negro para auxiliar a quebra de paradigma e contribuir na reflexão acerca da hierarquia da cultura afro; Apresentação acontece no Dia das Crianças

Foto: Divulgação

Inspirado no clássico “O Pequeno Príncipe”, segundo livro mais vendido do mundo perdendo apenas para a Bíblia Sagrada. “O Pequeno Príncipe Preto” conta a história de um Príncipe que percorre vários planetas com a missão de plantar as sementes da empatia, amor, respeito, coletividade, generosidade e aprendizado familiar. Com diferentes linguagens, o infantojuvenil exalta a valorização da cultura negra e retrata o quanto é bonita a diversidade de cada povo.
– A ideia do livro surgiu a partir de uma história pessoal minha, quando eu era criança teve uma apresentação teatral na minha escola. Falei a professora da minha vontade de interpretar o príncipe, mas ela me disse que eu não poderia fazer, pois não era loiro dos olhos claros, ela disse que não existia príncipe preto e eu cresci com isso – lembra Junior Dantas, idealizador e ator do espetáculo.
O projeto surge de perguntas que ainda ecoam: Por que a maioria dos livros infantis só tem heróis e príncipes brancos e de olhos claros? Por que as bonecas e bonecos têm características físicas que não se assemelham com a maioria da população brasileira? Por que nas canções e contos infantis o branco é belo e puro e o preto não? As respostas para essas perguntas visam contribuir com o empoderamento, com a autoestima e com o imaginário formativo de crianças e adolescentes negros apresentando personagens de destaque que se assemelhem a eles e façam com que se sintam representados nas histórias que tem acesso.
– Eu sempre quis montar um espetáculo que falasse sobre essa falta de representatividade na infância, a falta de personagens positivos, heróis negros. Se a maioria da população brasileira é negra, porque não existem esses personagens? Na infância a gente aprende que tudo é ruim, o cabelo é ruim, que a cor é feia, que somos inferiores, enfim é quase um espetáculo de autoestima e empoderamento para as crianças – explica.
Com texto e direção do diretor e ator Rodrigo França, especialista em filosofia para crianças e pesquisas relacionadas à cultura negra, o solo tem performance de Junior Dantas, que integra há 9 anos a Cia. OmondÉ, iluminação de Ana Luzia Mollinari de Simoni e João Gioia, cenário de Mina Quental. As músicas originais foram compostas pelo musicista João Vinícius Barbosa, que também assina a direção musical e arranjos. A produção é de Douglas Resende, diretor da Pé de Vento Produções.
– Estreamos no Rio de Janeiro, em junho deste ano. Ficamos três meses em cartaz, sempre prorrogando a temporada e com apresentações extras. Mas antes de estrear, nós fizemos uma pré-estreia no Recife e em Campina Grande, dessa forma conseguimos chegar ao Rio mais maduros. É um espetáculo solo narrado pelo príncipe, com músicas ao vivo e composições feitas especialmente para a peça – conta.
A cultura afro-brasileira e africana sempre foi lembrada, exclusivamente, com a temática escravidão no Brasil, a encenação tem uma narrativa que ressignifica muitos fatos históricos. O espetáculo é quase todo embalado por percussão de tambores, somado com lundu (ritmos brasileiros), Kuduro (ritmo angolano) e jazz e soul (ritmos afro- americanos), com uma trilha musical feita especialmente para o espetáculo. A nossa brasilidade múltipla está em cena, através do respeito à diversidade de cores, características, sabores, texturas, sonoridades e sotaques.
– A receptividade do público é maravilhosa, eles amam! Estamos muito felizes com a repercussão, as redes sócias contribuem muito com essa resposta. Agora vamos recorrer diversas cidades do Rio e São Paulo, estamos com a agenda cheia. Em Barra Mansa será um espetáculo aberto, com entrada gratuita, para que as pessoas tenham acesso a cultura e a esse tema que é quase uma quebra de tabu – diz.

Serviço:
O espetáculo em Barra Mansa será realizado na próxima sexta-feira (12), Dia das Crianças, às 14h no Sesc, em uma tenda montada na área externa. A entrada é gratuita.

Sinopse:
O espetáculo infantojuvenil O Pequeno Príncipe Preto conta a história de um príncipe que percorre diferentes planetas em uma jornada de entendimento sobre a importância da valorização da sua cultura e descobre o quanto é bonita a diversidade de cada povo. Em suas viagens, o Príncipe tem como objetivo espalhar as sementes da Baobá, árvore milenar do seu planeta, que lhe ensinou o conceito de UBUNTU: eu sou porque nós somos. Em cada planeta que passa, o Príncipe transmite o UBUNTU à personagens que encontra, evidenciando a importância dessas sementes também para outros povos.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)
Untitled Document