domingo, 8 de dezembro de 2019

TEMPO REAL

 

Capa / Plantão da redação / Passageiro de transporte por app pode ser ressarcido se corrida for cancelada

Passageiro de transporte por app pode ser ressarcido se corrida for cancelada

Matéria publicada em 13 de outubro de 2019, 09:40 horas

 


 

Passageiros ganham mais direitos na relação com motoristas que atendem por aplicativo
(Foto: Paulo Dimas)

Estado do Rio- Foi sancionada nesta semana pelo governador Wilson Witzel (PSC), a lei que determina que o passageiro de transporte por aplicativo – 99 e Uber – poderá ter o ressarcimento da corrida, quando ela for cancelada por duas ou mais vezes. O projeto de autoria do deputado André Ceciliano (PT) foi apresentado este ano na Assembleia Legislativa (ALERJ), sendo aprovado pela casa.
De acordo com o texto, “sempre que o usuário tiver a sua corrida cancelada por duas vezes ou mais deverá ser ressarcido pelo aplicativo no mesmo valor cobrado, com base na política de cancelamento aplicada ao usuário”.
O valor do ressarcimento deverá ser convertido em crédito na conta do usuário do aplicativo. Ainda segundo o texto da lei, “as empresas de transporte particular de passageiros por aplicativo ficam obrigadas a disponibilizarem, no seu sítio eletrônico, um sistema de consulta de placas dos veículos que são ou que tenham sido cadastrados nos respectivos serviços de transporte de passageiros”.
Além disso, as empresas durante todo o percurso contratado deverão disponibilizar link direto de reclamação e/ou sugestão sobre qualquer comportamento adverso do motorista conveniado. O atendimento telefônico, de que trata o caput deste artigo, deverá ser disponibilizado 24 (vinte e quatro) horas por dia.
Em Volta Redonda, o serviço de transporte por app teve início em março de 2017, após a revogação de uma lei municipal que proibia a atuação das empresas. Houve resistência por parte dos motoristas e usuários até o serviço ser implantado a exemplo de outras cidades no Estado que já usufruíam do transporte.
Com esta nova regra, na opinião de um motorista de aplicativo do município, que preferiu não se identificar, muitos motoristas às vezes cancelam a corrida por causa da localidade oferecer risco a sua segurança.
– A lei não especifica, pelo menos não notei, se a empresa deverá pagar após o motorista cancelar a mesma corrida duas vezes ou se pode ser com motoristas diferentes. O que é complicado. Existem diversos motivos para o motorista cancelar, desde babaquice e irresponsabilidade até ser área de risco. A 99 avisa quando é área de risco, imagina se um passageiro fica pedindo corrida do alto da Vila Brasília ou do Morro da Conquista, dois dos lugares mais temidos de Volta Redonda, e tem 20 corridas negadas – disse, acrescentando que: “Concordo que o motorista sofra sanções devido a múltiplos cancelamentos, mas eu não acho que essa lei seja a saída. Afinal as empresas não vão pagar essa taxa do bolso delas, então quem será descontado por isso? Se a lei obrigar a empresa a ressarcir o passageiro se o motorista efetuar cancelamento após um período (exemplo 5 minutos) eu até acho justo, porque realmente nesse caso o passageiro teria uma perda, mas de outra forma fica muito complicado”, finalizou.

Passageiros comemoram a decisão

O professor de Volta Redonda Bruno Brettas utiliza os serviços dos dois aplicativos Uber e 99, ele comemorou a sanção da lei.
– Boa a decisão. Acontece muito de o motorista insistir para saber o destino e se você não responde ele cancela a corrida. Isso pelo menos vai fazer com que ajam menos cancelamentos e evite que o motorista fique escolhendo corrida – falou.
O auxiliar de logística Carlos Vitorino também classificou a lei como benéfica para os usuários.
– Muito bom, inclusive já aconteceu comigo do motorista ter cancelado e eu ter que pagar uma taxa. Mas eu recorri e me devolveram em créditos para a próxima corrida – comentou.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

6 comentários

  1. Avatar
    Edson Balbino da Silva

    Sou motorista de aplicativos e hoje mesmo o passageiro cancelou a corrida comigo no local de embarque e não fui ressarcido pelo meu deslocamento pq a passageira tem 5 minutos pra poder cancelar né , mas já imaginou o quanto de distância faço com 5 minutos ? Não né , então isso me geral gasto no deslocamento . E já o cancelamento pelo motorista o passageiro não tem gasto algum , e em caso de cancelamento por área de risco , o passageiro vai garantir a segurança do motorista nas áreas de risco não né , assim eu já vou em qualquer lugar mas nem todos tem essa coragem.de subir os morros . Sou a favor do cancelamento sim se o motorista não se sente seguro a ir nesses locais

  2. Avatar

    Se cercar a alerj, em letras minúsculas, temos uma nova cadeia. O que de bom pode vir de um merd4 estilo andré ceciliano? Explique as movimentações atípicas na sua conta bancária primeiramente, canalha.

    Os motoristas têm direito de saber aonde vão a fim de não virarem estatísticas.

  3. Avatar

    Bruno Bretas vc é um idiota egoísta. O que custa dizer pra onde vai pela segurança do motorista? Vai de taxi então!E os políticos sempre envolvidos com taxistas sempre criando barreira para prejudicar os aplicativos. Vergonhzesse Brasil!.

  4. Avatar

    Em relação ao professor deveria ter a mente aberta se vc liga é pergunta existe um motivo .certo agora vou deixar de dirigir é vou ficar numa das áreas mas violenta fazendo chamas pra uber pra vê todo mundo cancelar melhor do q dirigir q lei burra

  5. Avatar

    essa lei p os motorista vai ser ruim
    vão obrigar ele ir em lugares q está dominado pelo tráfico,e são lugares q o propio trafico não deixam ir
    por isso há muito cancelamento nestes locais
    e o tal de Bruno aí da reportagem,os motorista perguntam seu destino por medo de cair em lugar onde onde pode tomar um tiro,então quando motorista perguntar trata de responder seu destino
    porque motorista tem uma família p sustentar e teme não voltar p casa como aconteceu c a mulher no santacruz

  6. Avatar

    Vindo do PT já não era de se esperar coisa boa, até porque como comunistas não deveriam se meter em uma empresa capitalista como Uber e 99 e sim na vida dos taxistas e seus sindicatos. Quanto aos que comemoram como o “professor entrevistado”, perguntamos sim o destino para não virar estatística no IML e ao não informar 99% são para irem em bocas de fumo ou locais dominados pelo tráfico “professor” afinal quem não deve informa sem problemas para onde está indo. Comemorem bastante, vão voltar a pagar o dobro nos taxis pois eu mesmo sou um que estou saindo fora dessa roubada. Receber mixaria e ainda pagar para levar gente má intencionada em lugares perigosos tô fora… Boa PT acabou com o Uber no RJ…

Untitled Document