sexta-feira, 3 de dezembro de 2021 - 04:07 h

TEMPO REAL

 

Capa / Pergunte ao candidato / ‘Pergunte ao Candidato’: Baltazar responde a perguntas de internautas sobre planos para Volta Redonda

‘Pergunte ao Candidato’: Baltazar responde a perguntas de internautas sobre planos para Volta Redonda

Matéria publicada em 26 de setembro de 2016, 15:07 horas

 


baltazar-6

Volta Redonda – Na disputa pela prefeitura de Volta Redonda, Paulo Baltazar, do PRB,  foi entrevistado na tarde desta segunda-feira (26), na redação do DIÁRIO DO VALE. Baltazar respondeu em transmissão ao vivo,  pelo Facebook, às perguntas enviadas previamente pelos internautas, através do “Pergunte ao Candidato”.

Nesta terça-feira (27), o entrevistado será Nelson Gonçalves, que também disputa o cargo de prefeito em Volta Redonda, pelo PSD. As perguntas devem ser enviadas antes da entrevista por inbox http://m.me/diariodovale. Confira as regras para participar e acompanhe o cronograma de entrevistas: goo.gl/gwfkW9.

A íntegra da entrevista

Internauta – Existe certa perseguição da CSN aos movimentos sociais e ambientais na cidade. O que o senhor entende sobre a atuação destes grupos em Volta Redonda?
Paulo Baltazar – Esses grupos sociais e ambientais em Volta Redonda têm um papel extremamente importante na construção da democracia participativa. O Brasil vive um momento de mudanças muito importante, quando a participação popular, a participação da cidadania, se gera em todos os ângulos. Em 2013, o grande movimento do Brasil foi nas ruas. Esses movimentos ambientais e sociais de Volta Redonda antecedem a isso. É por isso que é importante pra alertar, pra ajudar a fiscalizar e pra ajudar a construir um futuro melhor do ponto de vista social e ambiental. Volta Redonda tem umas situações importantes. Imagine a questão da Cicuta, que nós queremos dialogar com a Companhia Siderúrgica nacional e reabrir para a população. Um dado importante: Volta Redonda é uma cidade com uma empresa siderúrgica poluidora. Ela tem que ter uma visão ambiental e social bastante aguçada, porque em contrapartida ela tem um problema ambiental que acaba dificultando a vida das pessoas. Portanto, os movimentos sociais ajudam o governo e ajudam a própria CSN a ter um olhar mais generoso com as questões ambiental e social. Os clubes de serviço que existem em Volta Redonda há quase quarenta ou cinquenta anos devem ser preservados. A Companhia, na minha avaliação, deve ficar focada na produção do aço – essa é a função principal dela – mas deve ter um olhar generoso para as questões ambiental e social. A gente quer, por exemplo, que ela reserve um espaço aqui na região do Aero Clube, que é uma região que a CSN comprou, ou de alguma forma, no processo de privatização, para se construir um espaço verde aqui em Volta Redonda. Os movimentos sociais e ambientais têm buscado isso. Eu defendo os movimentos sociais e ambientais porque isso é bom para Volta Redonda e eu quero dizer mais, é bom para a própria CSN, porque, se ela está instalada numa cidade que se sente acolhida do ponto de vista ambiental e social, ela vai ter frutos nos seus próprios produtos, já que ela é uma multinacional. Portanto, esse selo de qualidade, esse selo de ser uma empresa que tem um compromisso social e um compromisso ambiental ela deve buscar nos movimentos sociais terem ajudado ela a ter essa visão.

Internauta – Volta Redonda possui uma das maiores frotas de veículos automotivos do Estado. O Candidato tem alguma alternativa para a mobilidade urbana (ciclovias, faixas exclusiva para ônibus)?
Baltazar – Certamente. Volta Redonda vive um gargalo, sobre tudo nos horários de rush, quando tem mais movimentos das pessoas indo e voltando do serviço, mas falta a ela um plano de mobilidade urbana discutido com toda a sociedade de Volta Redonda. Essa proposta já foi levantada, mas a Justiça não permitiu que o atual governo fizesse, porque o atual governo não quis conversar com a população. Não há possibilidade de fazer um plano de mobilidade urbana, que mexe com toda a vida de todas as pessoas da cidade, sem conversar com elas. Foi isso que a Justiça disse. Mas Volta Redonda precisa sim, e eu defendo, de um Plano de Mobilidade Urbana que já está até encaminhado, para que a gente possa ter ciclovias, para que as bicicletas e outros transportes alternativos possam ser implantados em Volta Redonda, e a nossa proposta, que está dentro desse plano de mobilidade urbana, que a gente consiga construir cerca de 100 quilômetros de ciclovias. É preciso tirar o carro. O carro não tem que ser a prioridade de uma cidade. Além disso, os corredores de pedestres: os pedestres têm que ser privilegiados, não só em Volta Redonda, como em qualquer cidade, arrumando as calçadas para que o pedestre possa passar, com rampas para que as pessoas que têm deficiência possam se utilizar das calçadas. Então, esse corredor de pedestres, as ciclovias, os corredores de ônibus, que é outra prioridade. O carro tem que ficar em último lugar. Não se deve priorizar, estimular cada vez mais carros. Volta Redonda tem a maior frota do Estado do Rio de Janeiro, percentualmente, e uma das maiores do Brasil. É preciso inverter essas prioridades, mas isso é dentro de um plano de mobilidade urbana, discutido exaustivamente com a população de Volta Redonda, de maneira que ela aceite, compreenda e pule para esse patamar de mobilidade urbana que leva em consideração o pedestre, a ciclovia, o trajeto dos ônibus urbanos, com faixas específicas para ônibus e depois, então, o carro, em último lugar.

Internauta – Baltazar quais são os seus projetos em relação à Saúde?
Baltazar – Ah, são muitos. Eu sou médico há quase quarenta anos, e de saúde eu entendo bem. O problema de Volta Redonda é que ela tem bastante estruturas para tratar da saúde, mas falta um sistema de saúde, quer dizer, os órgãos não se comunicam, não formam um sistema. O Hospital São João Batista não fala bem com Hospital do Retiro, que não fala bem com a secretaria. Então: criar um sistema. Segunda coisa, e a questão é das mais importantes, é que faltam leitos em Volta Redonda. Com a desativação do Hospital Santa Margarida e do Hospital São José, mais os 75 leitos lá do Hospital do Retiro que têm dois anos prontos e não foram ativados, Volta Redonda perdeu cerca de 500 leitos, se somar todos eles. Nós precisamos recuperar esses leitos para a rede pública. Se você chegar ao Hospital São João Batista, você verifica lá que as pessoas estão no corredor porque não há espaço físico, fica uma situação deplorável. A reabertura, com discussão na Justiça do Hospital Santa Margarida e Hospital São José, são prioridades nossas. Não é fácil a discussão, depende da Justiça, há problemas. Por exemplo, o Santa Margarida, 50% da dívida é com a Prefeitura de Volta Redonda. Nós queremos propor um acordo e ver se a gente consegue implementar uma parceria público-privada em que alguém assuma o hospital, explore, pague esses 40 milhões que devem à prefeitura e vão retornar em forma de serviço ao longo do tempo. Nós temos por exemplo os funcionários públicos, que foram retirados seus planos de saúde, então plano de saúde pode ser feito pelo Santa Margarida. Nós pretendemos conversar com o governo do estado, os bombeiros, por exemplo, os policiais militares descontam para a saúde e não têm atendimento aqui no Sul do Estado. Queremos que eles façam. Então, existem várias formas para a gente implementar uma saída para reabilitar o Hospital Santa Margarida e recuperar os leitos. Há ainda a questão da hemodiálise. Volta Redonda, uma cidade desse tamanho, há quase quatro anos não faz hemodiálise aqui. As pessoas que têm problema renal são obrigadas a ir para Três Rios; algumas delas morrem no trajeto e é uma situação dramática para quem problemas de doença renal. Nós queremos que seja feito aqui. A população não aguenta mais promessa, então nós teremos propostas concretas. Uma outra questão é das pessoas que precisam fazer exames e consultas. Elas vão fazer isso em trinta dias.

Internauta – Nos últimos anos, vimos cidades vizinhas receberem diversas novas empresas, ao contrário de Volta Redonda, o que o candidato tem de proposta para atrair novas empresas para a nossa cidade?
Baltazar – É verdade, eu fiz questão de listar aqui algumas empresas que vieram para a região e não vieram para Volta Redonda. Volta Redonda fez um condomínio industrial, o João Pessoa Fagundes, e não trouxe ninguém. Agora o governo está até vendendo o condomínio. Aqui em Piraí, tem a carta fabril, em processo de instalação numa área de 100 mil metros quadrados e vai gerar 500 empregos. Itatiaia trouxe 33 empresas. Três Rios trouxe 140 empresas. Temos aí o polo automotivo do Sul Fluminense, que reúne mais de 20 empresas naquela região de Itatiaia, Porto Real, perto de Quatis, o que mostra que é possível trazer empresas. O que falta em Volta Redonda, primeiro é diálogo. O setor produtivo, o setor que traz emprego, sofre da falta de diálogo com o governo municipal. Outra questão é o ambiente de negócio. Aqui em Volta Redonda, uma empresa pequena, que precisar tirar seu alvará, leva trinta dias, às vezes três meses. Se você pegar cidades em volta, inclusive Barra do Piraí e Barra Mansa, em 24 horas tira. Então, o ambiente de negócio é ruim. E a outra questão é que não há incentivo para se trazer empresa, e não é verdade que não se possa dar incentivo. O incentivo de ICMS, no município diretamente não pode, mas indiretamente se pode fazer, como Três Rios, como Atibaia, em São Paulo, fez, e como Itatiaia está fazendo. Portanto, nós temos que dar incentivo para atrair empresa e gerar emprego. E na outra ponta, a gente quer preparar a mão de obra. Volta Redonda é um celeiro, tem tanta universidade, faculdade, instituto federal, nós temos um potencial para preparar mão de obra que podemos exportar. Não só fazer aqui em Volta Redonda, mas exportar para toda a região, todo esse parque fabril a    qui da região pode se beneficiar de Volta Redonda também se beneficia quando a mão de obra daqui é muito bem qualificada e encaminhar para a região. Nós podemos, por exemplo, fazer incubadora de empresas. O Escritório Central da CSN seria ideal, por exemplo, para se tornar uma incubadora de empresas para jovens, as chamadas start-ups, que a gente tem um plano, através do diálogo, de trazer para Volta Redonda.

Internauta – Candidato Baltazar, se você for eleito, que providencias tomará quanto a situação dos motoristas de ônibus que acumulam função, sendo também cobradores? Essa prática é ilegal, além de ser perigosa, e também causa a demissão de dezenas de cobradores. E, então, o que o senhor fará, se eleito?
Baltazar – Esta é uma questão que está no bojo da discussão da diminuição da quantidade de passageiros. A prática sendo ilegal, tem que fazer cumprir a lei. Nós estivemos conversando, eu estive presente nas empresas, conversando com motoristas, e eles dizem que é uma situação dramática. Primeiro, que as viagens ficam muito mais longas. O motorista tem que parar, cobrar e dirigir. São duas coisas incompatíveis de fazer ao mesmo tempo. Não se pode dirigir e fazer cobrança, então tem que parar o ônibus. Atrasa todo o percurso. Essa é uma economia, na minha avaliação, meio burra. Trocador é trocador, motorista é motorista. É lógico que é preciso avaliar a questão das empresas, se isso vai ou não vai impactar o preço das passagens, e eu espero que não, porque senão eu não vou fazer, e na medida que eu não vou fazer a gente tem que achar uma alternativa para a gente racionalizar os trajetos de ônibus para que não precise nem tirar o cobrador, porque é preciso garantir o cobrador, ninguém pode deixar um ônibus só com motorista, mas também não queremos aumentar a passagem. Só tem uma solução: tem que otimizar os trajetos, para garantir que a passagem não aumente e que o motorista e o cobrador estejam dentro do ônibus.

Internauta – O que o senhor vai fazer para combater o alto índice de tráfico de drogas em Volta Redonda?
Baltazar – Olha, essa questão eu entendo bastante. Primeiro que eu sou médico e acabei trabalhando na outra ponta, que o tratamento das pessoas, sobretudo dos jovens, que estão envolvidos com as drogas. Então, eu acabei entrando nesse mundo para verificar porque é que as pessoas acabam ficando doentes de tanto consumir drogas, e aí o tráfico aparece. Eu fui relator da CPI do Narcotráfico, quando fui deputado federal e fui sub-relator para o Estado do Rio de Janeiro. Aí eu consegui ver por dentro como funciona a engrenagem da droga no Brasil, porque existe um primeiro andar, das pessoas que usam, das bocas de fumo, é tudo o patamar de baixo. O patamar de cima, infelizmente, tem muita gente graúda: políticos, do Poder Executivo, do Poder Judiciário, então nossa proposta primeiro é uma proposta preventiva: é preciso evitar que o jovem, sobretudo o jovem, caia na malha do tráfico. Aí, é preciso de trabalho social, de investimento social, pra que tenha educação, lazer, cultura, sobretudo a partir da escola, da criança do adolescente, preparando isso com atividades que mostrem na própria escola a formação para que ele não entre na droga. Então: ações sociais, políticas, esportivas, mas também palestras, informação, orientação à família – nós queremos implantar a Secretaria da Família, porque é na família que isso adoece, não só o menino, mas toda a família adoece. Agente quer trabalhar preventivamente. Isso não é uma questão apenas policial. Se fosse policial, nos Estados Unidos que são o maior consumidor de drogas, não haveria droga. Polícia só não resolve. A polícia até atua em algum momento, mas atua na consequência, e nós queremos atuar na causa, para que a criança, o jovem o adolescente, não se jogue nem no tráfico nem no uso de drogas.

Internauta – Quero saber do candidato Baltazar quais serão as suas primeiras ações se for eleito.
Baltazar – Saber a real situação da prefeitura. O Tribunal de Contas aponta que em 2012 Volta Redonda tinha um rombo financeiro de R$ 218 milhões. Segundo as últimas informações, isso gira em torno de 350 milhões de reais. Quer dizer, a prefeitura está numa situação muito difícil. Soma-se a isso que o Estado também está numa situação muito difícil, não está pagando nem o aposentado. E o Brasil também está numa situação difícil, então é preciso olhar e verificar quais são as prioridades. Em primeiro lugar, pra mim, a Saúde, e Educação, Segurança, naquilo que o município puder fazer para garantir a mínima qualidade de vida á população de Volta Redonda. E sobretudo ao funcionário público: garantir o salário do funcionário público, porque é ele quem faz a máquina funcionar.  Não é o prefeito que atende no posto, não é o prefeito que dá aula. É o professor, é o médico, é a enfermeira, a atendente de enfermagem, é o que limpa a rua, então esse pessoal tem que ter prioridade para a cidade continuar funcionando. A minha primeira medida é fazer um levantamento de custo e priorizar. O que é prioridade, nós vamos fazer.

Internauta – Para uma educação de qualidade, é preciso começar valorizando o professor. Quais são os projetos para a educação de Volta Redonda e o funcionalismo público?
Baltazar – Essa é uma questão dramática em Volta Redonda. Volta Redonda é uma cidade que até avançou, eu fui prefeito de 1993 a 1996, colocamos 250 quilômetros de água e esgoto, fizemos o primeiro CTI da rede pública, informatizamos a escola no nosso governo. Ajudamos a eleger o prefeito que está aí e ele avançou. Fez muita coisa boa, só que é preciso avançar mais. Uma das coisas que foram retiradas foi o plano de cargos e salários do funcionário público. Foi retirado dos professores e dos funcionários públicos. Foi retirada também a assistência à saúde dos funcionários públicos. Nós precisamos primeiro qualificar e garantir aos professores, criando um plano de cargo, carreira e salário para os professores, porque eles são fundamentais. Você vê, Volta Redonda foi a primeira cidade da região no Ideb, com 5,9 em 2015, mas isso graças aos funcionários, aos profissionais da educação, porque se dependesse do governo, ele retirou direitos, ele desmotivou na medida em que tirou plano de cargos e salários e tirou a assistência médica dos funcionários públicos, inclusive dos professores. Então, nós temos que retomar isso aí, eu penso que esse é um compromisso imediato que nós vamos fazer, garantir o salário em dia para o funcionário público da Fevre, do funcionário de um modo geral é a prioridade do nosso governo, então essas são as questões fundamentais que eu penso que o funcionário público pode ter certeza. Nós já fizemos no passado. Tenho experiência de fazer isso, e fiz. No primeiro mês de governo, nós fizemos a reposição de toda a perda salarial que tinha. Não sei se conseguirei fazer isso neste momento. Existem perdas salariais porque o governo atual não deu a reposição salarial por anos. É uma questão em aberto, eu vou fazer uma mesa permanente de discussão com os trabalhadores da prefeitura, inclusive das condições de trabalho, que eles reclamam muito, eu vou fazer e garantir a eles a qualidade do diálogo que vamos implantar com todos eles.

Internauta – O senhor tem projetos para melhorar o trânsito no trevo da Água Limpa? Pois ali sempre acontecem acidentes.
Baltazar – O trevo da água Limpa é uma área federal. A nossa expectativa é que a Rodovia do Contorno, que eu comecei e fiz oitenta por cento, fique pronta. E aí, a gente vai tirar o trânsito pesado de Volta Redonda e aquele pedaço    que é rodovia vai acabar passando para o município. Hoje, a responsabilidade é do governo federal, porque aquilo ali é a BR-393, que passa por dentro de Volta Redonda, tanto é que ela passa em frente à Rodoviária e quem fiscaliza ali é a Polícia Rodoviária Federal. Quem tem obrigação de fazer as obras na rodovia federal é o governo federal. Isso não quer dizer que nós não venhamos a fazer um esforço para que po governo federal cumpra o seu compromisso, de fazer um estudo de viabilidade. Ali tem muito acidente mesmo. Eu penso que um governo municipal mais ligado vai pressionar o governo federal para que ele faça um estudo para que aquilo ali fique menos perigoso do que é. E se passar para controle do município, que é o que eu espero que assim que nos sejamos eleitos tenhamos a Rodovia do Contorno pronta, e aí nós vamos fazer um estudo de reengenharia do local e aí resolver o problema porque é perigoso mesmo.

Internauta – Saiu um levantamento dizendo que o número de passageiros caiu e uma das medidas para reduzir os gastos seria mudança dos trajetos, mas o preço da passagem em Volta Redonda não condiz com os percursos. Então, candidato, o senhor tem propostas para rever a situação do transporte público?
Baltazar – O transporte público tem que ser revisto. O transporte público de Volta Redonda é uma concessão, portanto depende do município e depende também da ação da Justiça, porque toda vez que se tentou mudar o transporte em Volta Redonda, houve ação na Justiça que não permitiu que fosse feita a mudança. Eu vou insistir na mudança. Penso que o transporte público de Volta Redonda tem que ganhar qualidade. Pra isso, tem que ter, concomitantemente, o plano de mobilidade urbana. Se o trajeto for ruim, se não há um estudo que permita reduzir o trajeto, facilite o trajeto do ônibus, ninguém vai querer usar ônibus. Por exemplo, para a gente não impactar nada na tarifa de ônibus, a nossa proposta é que todo ônibus novo que vier pra frota tem que ser com ar condicionado. Se possível, com motor traseiro, que é mais confortável, isso no mundo inteiro é assim. Aí, ao longo de alguns anos, toda a frota vai ter ar condicionado, mas de nada adianta isso, se não houver um plano de mobilidade urbana que facilite o trânsito desses ônibus e que possa reduzir a quantidade de carros na rua, o que facilita o trânsito de ônibus, pedestres e ciclistas. Portanto, esse é um estudo que está muito acoplado com o plano de mobilidade urbana que nos queremos fazer. Mas o transporte coletivo em Volta Redonda é antiquado, é velho e precisa de mudança e eu não tenho nenhuma dúvida de que nós vamos fazer isso.


Comente com Facebook
(O Diário do Vale não se responsabiliza pelos comentários postados via Facebook)

27 comentários

  1. Pelo q me lembre, Baltazar começou a asfaltar a periferia de Volta Redonda, apoiou o Neto que, depois, virou as costas p ele e apoiou o Gotardo, que não fez praticamente nada. Aliás, fez uma reforma na Avenida Beira Rio, que agora está aos pedaços. Neto nunca apoiou os professores, e América Tereza também votou contra o PCCR dos professores. Na carteira, recebem 1 salário mínimo, e algumas gratificações por fora, mas quando aposentarem, será uma merreca. Adeus América Tereza, melhor ir para a América se juntar aos americanos.

  2. luiz carlos gonçalves

    bom dia candidato balbtazar não quero perguntar quero pedir para o futuro prefeito concluir as obras rodv do contorno hospital geral fazer aeroporto e mudar este termil de onibus que nos chamamos de rodv

  3. Eu estou pagando para ver as mudanças tão prometidas por todos os candidatos. Se fosse mesmo para haver uma mudança a maioria dos eleitores teriam que votar no SAMUCA. Pois esse filme ai eu já vi. Aff!!! esperar mais uma vez para ver a mesma história se repetir. O mal da Brasil como alguém já disse são os BRASILEIROS.

  4. ACABOU DE GANHAR O MEU VOTO E DA MINHA FAMÍLIA
    MOSTROU ESTAR PREPARADO PARA GOVERNAR ESTÁ CIDADE

  5. Estou com SAMUCA SILVA #43.

  6. Paulo Baltazar se depender de mim, dos meus amigos, dos meus familiares e de meus pacientes, você será eleito no primeiro turno. Minha mãe é 10, meu pai é 10, meu esposo é 10, meu filho é 10, minha filha é 10, minha sobrinha é 10, meu sobrinho é 10, minha prima é 10, meu primo é 10, minha vizinha é 10, minha amiga é 10, meu amigo é 10, minha avô é 10, meu avó é 10, minha bisavó é 10, meu paciente é 10, minha paciente é 10, meu vizinho é 10, minha nora é 10, minha sobra é 10, meu cunhado é 10, os funcionários e o povo Volta Redondense todos votarão no 10. Adeus Neto e Tchau “querida” América Tereza!

  7. Baltazar, pode contar com os votos daqui de casa. Você é 10.

  8. He HE HE Coitada de Volta Redonda. Acredita em promessas de campanha. Me lembro muito bem do Governo dele. Aliás, vou votar no MENOS RUIM, pois bom mesmo, não tem ninguém. Vou de Samuca, pois esse ainda não foi contaminado.

    • Concordo com EL CID, e acrescento que o Baltazar nem terminou seu mandato de dep. federal devido ao escândalo das ambulancias. Uma vergonha. E sem contar que conta com o apoio do PT, não precisa dizer mais nada. Volta Redonda precisa de renovação, gente nova com projeto para a cidade, eu voto no Samuca 43.

    • Camarada, que memoria boa! O Neto fica 20 anos no poder e vc bate palma mesmo ele nao fazendo nada. Agora vem o Baltazar com a experiecia e o conhecimento e vc ainda fica com essas insinuaçoes. Me ajuda aí…..

  9. O Baltazar consegue ver a cidade como um organismo vivo. Ele sabe que a falta de mobilidade urbana, falta de leitos, falta de áreas verdes etc tornam o ambiente urbano doente já todos os problemas convergem na saúde pública – seja na forma física ou mental (explicitada na intolerância no trânsito, brigas entre vizinhos, estudantes). Infelizmente o Neto sempre teve uma visão pontual do conceito de cidade sem se atentar as inter-relações causa/efeito. Por exemplo: o Neto sempre enxugou gelo fomentando a circulação dos carros e não foi capaz de melhorar o trânsito que a aumenta a poluição, que afeta na saúde, que demanda leito no hospita, que deixa o cidadão estressado, que faz o cidadão evitar sair de casa, que afeta o comércio e geração de empregos etc.

    • Se isso é argumento: “Ver a cidade como um organismo vivo” 80% da população, pode se candidatar.
      Reparou, que você está indo no amago dos problemas, com muita clareza? e sem dar conta, dando os créditos, p/ele. Porque?
      Não vai resolver nada. Sabe porque? Ele é um dos problemas(bla bla bla). Não sei, o que era você,(idade) há 25 anos atrás. Os problemas eram os mesmos. E aí? Ele prefeito, o que fez? Deixou a cidade um verdadeiro chiqueiro. Crítico. Fala da cidade, como estivéssemos (a população, não vivesse, e vivenciasse o dia dia). dá impressão que fala p/ um bando de(ausentes) idiotas. Ex: A saúde. Palavras dele: A saúde, é um caos. Pois bem, só por curiosidade, fui na portaria, do São João Batista como paciente. Na fila umas vinte pessoas, fazendo ficha p/ ser atendido. “Papo de fila”, e o que fui fazer ali, descobri, que pelo menos 8(oito), eram de outros municípios, e foram atendidos. Fui a postos, CAES do Aterrado, UPA do Conforto, Santo Agostinho, 249, sempre alguém reclama (coisa comum) são atendidos. Se for eleito, (espero que não), e se for; chega de “milagreiros”. estaremos aí para ver.

    • Neto é uma pessoa fria e pessoas frias não governam para as pessoas que o colocou lá, pelo contrário, não governam para as pessoas trabalhadoras , apenas para si e para os amigos, e lembre-se, pessoas frias sentem prazer no sofrimento do outro.

  10. É daqui pra melhor, todos deveriam votar no baltazar só pra ver o rombo da prefeitura, eu sei que tem

    • Eu também estou curiosa para ouvir Paulo Baltazar divulgando o rombo e toda safadeza escondida de Neto. Adeus Neto e Tchau “Querida” América Tereza.

  11. agafjgjjkWantuil fortes Silvério

    Baltazar ganhar no primeiro turno Eu pago prá ver !.. balela .sei que à disputa está acirrada .se o PMDB usar trunfo que tem . Vence à eleição no segundo turno. Caso contrário Baltazar vencerá .

  12. e os funcionarios com certeza vao ficar sem o plano de cargo e carreira, todos prometem mais na hora e sempre a mesma coisa nao tem dinheiro neto nao deu nada na data base em julho e mesmo um cara de pau.

  13. Baltazar por favor olha para linha 455 fazendinha x circular pessima linha atual empresa que presta serviço aqui 455 so cooaca onibus velhos quebrandq direto detalhe so temos um carro cadeirante domingo não roda sabia eu acho que empresa penssa que fim de semana não tem cadeirante para passear com familia fica ai meu alerta linha 455….

  14. To contigo Baltazar. Com certeza é o mais preparado.

  15. Estou com Baltazar também, ele é o mais preparado felizmente!! e vai acabar com esses cargos comissionados que existe dentro da PMVR, que não deixa a Cidade andar com suas próprias pernas, não temos incentivo, faltam Empresas, faltam concursos Públicos, faltam salários mais dignos aos professores e aos agentes de saúde!! A era Neto chegou ao fim…..temos que entender isso pessoal, agora é mudar pra melhor com BALTAZAR

  16. Acaba de ganhar o meu voto .Até o momento foi o que mais mostrou o conhecimento dos assuntos referente a nossa cidade

  17. BALTAZAR É O FUTURO PREFEITO DE VOLTA REDONDA
    VAI GANHAR NO PRIMEIRO TURNO, NOVENTA E CINCO PORCENTO DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS VÃO VOTAR
    NELE.

  18. Baltazar foi tipo assim: bla´blá blá vou dar dinheiro pro funcionário público blá blá blá vou dar dinheiro pro funcionário público bla bla bla vote em mim funcionários públicos.

    • E os funcionários públicos votarão nele com certeza.É a hora da vingança contra um prefeito déspota e sua patota.

  19. Tudo fuleiragen estou com Baltazar.

Untitled Document