‘Pergunte ao Candidato’: Luiz Antonio (PDT), na disputa pela reeleição em Piraí, responde internautas

by Diário do Vale
dsc00228

Foto: Franciele Bueno

Volta Redonda e Piraí – Nesta sexta-feira (9) foi a vez do candidato à reeleição em Piraí, Luiz Antonio Neves, do PDT, participar do “Pergunte ao Candidato” na redação do DIÁRIO DO VALE. A entrevista com perguntas enviadas previamente pelos internautas foi transmitida ao vivo pelo Facebook.

Confira a entrevista na íntegra:

Internauta – Prefeito Luiz Antonio, qual sua proposta para acessibilidade em Piraí?

Luiz Antonio – A acessibilidade é uma questão muito importante e a gente já vem lidando com ela junto com o Conselho de Portadores de Deficiência, todas as nossas novas obras sejam reformas ou obras novas já estão sendo adaptadas para a acessibilidade e a secretaria fez um plano para poder progressivamente a gente ir implantando acessibilidade em todos os locais da nossa cidade. Além disso, estamos dialogando com as empresas de ônibus para que elas também cumpram a legislação mesmo para a cidade de pequeno porte como a nossa para que a acessibilidade seja garantida também nos ônibus. Vamos fazer agora uma licitação para táxi e dentre eles um carro, uma vaga, ou mais de uma vaga, a possibilidade e a exigência da gente ter táxis também para que as pessoas que tenham dificuldade tenham acessibilidade de locomoção por esse tipo de transporte. Enfim, a gente quer junto com o conselho de pessoas com deficiência trabalhar por essa importante política pública de inclusão social.

Internauta – Quero saber do candidato Luiz Antonio se ele vai tomar uma providencia contra a Viação Cidade do Aço, por um melhor serviço aos moradores de Piraí (Centro, Jaqueira, Varjão, Arrozal), pois os ônibus estão velhos, sem o mínimo de conforto, sem cortinas, sem ar condicionado, nos dias de verão os usuários sofrem. Os ônibus estão sempre enguiçando e os trabalhadores e os alunos chegam atrasados. Se eles não querem melhorar, deixe que outra empresa ofereça seu serviço de transporte urbano.

Luiz Antonio – Com certeza, essa é uma questão importante que a gente vem já apertando essa empresa que tem a concessão do Governo do Estado, vamos lembrar que essa linha é intermunicipal que não é a prefeitura de Piraí que regula e sim o Detro RJ (Departamento Estadual de Transporte Rodoviários), o órgão do Governo do Estado. A gente já notificou o Detro, já notificou a empresa pra sempre que aconteça algum problema ela faça uma substituição imediata, ela já melhorou alguns carros dela pra essa função, precisamos ter conforto, o ar condicionado hoje não é luxo, ele é uma questão de conforto e deixam as pessoas mais tranquilas chegam ao seu trabalho, ao seu destino numa função muito melhor. Pode ter certeza que nós vamos continuar apertando a empresa até que dê uma solução. E pedimos até o Governo do Estado se for o caso faça uma nova licitação, já que vai haver uma licitação ampla prevista para 2017, para que a concorrência possa fazer com que as empresas disputem e melhorem cada vez mais os seus serviços.

Internauta – Quais são seus planos de valorização do funcionário público?

Luiz Antonio – Funcionário é uma questão primordial em todo serviço público e nós já estamos fazendo desde que assumimos à prefeitura, a gente fez um novo plano para a educação e foi o melhor plano da nossa região. Tinha uma série de problemas com insalubridade que não eram acertadas mandei corrigir todas as insalubridades conforme a lei e hoje todo mundo está garantido. Nós corrigimos as diárias que estavam defasadas, em 2013 demos um aumento acima do valor da inflação para recompor salário. Em 2014 conseguimos fazer uma diferenciação foi o maior aumento da história do município de Piraí para a maioria dos funcionários. Com a crise nos anos seguintes nós não conseguimos fazer essa recomposição salarial, mas está prevista para os anos seguintes. Além disso, nós estamos criando discutindo com os funcionários um setor especifico para cuidar do funcionário, inclusive com a participação deles. Não basta ter um setor de pessoal é necessário ter uma política pública que permanentemente valorize o funcionário e acompanhe suas necessidades, inclusive as necessidades pessoais que acabam interferindo no sue trabalho. A gente tem muito carinho com os funcionários e a gente vai fazer muito nessa área.

Internauta – Qual seu projeto para transporte público na cidade? Pretende atender a população que mora em bairros mais afastados, já que este é um serviço que deve ser garantido a todos? Os ônibus que vão até o Bela Vista, por exemplo, são muito escassos.

Luiz Antonio – Essa é uma questão fundamental transporte e nós já fizemos muitas coisas porque a população mais afastada, sobretudo da área rural não tinha se quer o transporte público. Nós conseguimos negociando com a empresa, por exemplo, fazer com que a linha Varjão passasse pela estrada de chão chamada KM3 e beneficiamos dezenas de famílias nessa nova rota, o ônibus vem cheio sinal que tinha necessidade. Também na linha que liga Santanésia a Piraí, criamos uma linha via Fazendinha que era uma reinvindicação dos moradores, dezenas de famílias afastadas também foram atendidas. Melhoramos a linha da Serra do Matoso que muita gente não conhece porque é muito distante, mas bonito fica acima da região de Itaguaí dá pra ver o mar quando a gente vai lá. E estamos negociando outros circulares como esse para poder atender o Bela Vista, a população daquela região Fraternidade, Bela Vista e Arrozal cresceu muito é uma área de subida, as pessoas até pra carregar sua compra ou uma criança no colo tem dificuldade, nós já fizemos o projeto estamos negociando com a empresa pra poder colocar um circular e atender melhor essas necessidades.

Internauta – O que o prefeito já fez, se já fez, ou ainda fará, para melhorar a distribuição de renda no município? Visto que o IBGE detecta grande concentração de renda em Piraí.

Luiz Antonio – A questão da concentração de renda vista do IBGE depende da forma como a pessoa analisou, quando você olha o PIB, claro que ele é mais concentrado nas empresas, quando você olha o PIB pessoa física, ele é um pouco diferente, ele é um pouco melhor distribuído, mas distribuição de renda se faz com emprego, com geração de emprego, as pessoas terem salário e isso nós estamos fazendo já conseguimos atrair novas empresas para a cidade, as que estão instaladas nós conseguimos ajudá-las pra que elas pudessem mesmo na crise se manter. O fato de a prefeitura pagar seus salários em dia faz com que a moeda circule no comércio e o comércio mantenha sua atividade. Fizemos diversos treinamentos e cursos profissionalizantes para as pessoas poderem ter um emprego melhor e melhorar sua renda. Trouxemos o microcrédito pra Piraí que não existia, o pequeno empreendedor não conseguia crédito bancário, hoje ele consegue. E ajudamos na formalização desses pequenos empreendedores foram mais de 900 formalizações. E vamos continuar fazendo isso, agora mesmo uma grande empresa vai se instalar em Piraí gerando centenas de empregos, isso distribui renda e garante uma melhor qualidade de vida para as pessoas.

Internauta – Durante o seu governo, não foi feita nenhuma grande obra, apenas reformas e algumas obras sequer foram concluídas. A população pode acreditar que seu segundo mandato será diferente?

Luiz Antonio – Sem dúvida alguma fizemos grandes obras, a que estamos concluindo agora a reforma de todas as unidades de saúde, porque saúde é uma prioridade apontada pelo morador e também pelo senso comum, é preciso ter saúde. Quando você soma o valor de todas as reformas e ampliações e melhorias que fizemos em todas as unidades ela é maior que uma grande obra e atingiu todos os bairros e beneficiou todas as pessoas. Não temos obras paradas, nós tínhamos obras paradas do governo anterior, todas as obras paradas do governo anterior foram retomadas e serão concluídas, a exemplo da creche de Arrozal, da quadra de Rosa Machado, da Escola na Ponte das Laranjeiras e agora por último o posto de saúde de Santanésia. Vamos continuar andando e fazendo mais obras, claro com o pé no chão. Fizemos dezenas de muros de contenção para proteger as pessoas, inclusive em parceria com o Governo do Estado, obras que foram na casa de milhões de reais, portanto considero que foram obras importantes para proteger a cidade, mas vamos fazer muito mais. Já temos emendas parlamentares negociadas com parlamentares que estão ajudando o município e com certeza em 2017 nós vamos poder avançar ainda mais.

Internauta – O que está sendo feito para trazer uma agência bancária para Arrozal?

Luiz Antonio – Agência bancária é um problema e um problema que deveria ser de fácil solução. Porque nunca os bancos lucraram tanto nesse país ao longo da sua história, mas querem cada vez lucrar mais. Nós temos em Arrozal um posto de atendimento bancário do Itaú que funciona basicamente em função do contrato que tem com a prefeitura, que sede gratuitamente o espaço pela conta dos funcionários serem lá. Nós estamos apertando eles para que se transforme em uma agência bancária, já discutimos com o Banco do Brasil, Caixa Econômica, Bradesco que já tem agências na nossa cidade, mas ficam sempre postergando embora Arrozal tenha comércio, tem indústria, tem capacidade financeira. Nós já fizemos requerimento ao Banco Central para que ele nos ajude apertar os bancos a terem uma agência lá e estamos em plena negociação com outra rede é praticamente certo em 2017 nós vamos constituir uma agência bancária porque Arrozal precisa, merece e tenho certeza que mesmo o banqueiro que visa só o lucro não vai se arrepender, porque o movimento econômico de Arrozal é muito crescente.

Internauta – Falta muito médico especialista nos postos de saúde, mas o que a gente mais precisa é de pediatra todos os dias. A gente às vezes passa sufoco com as crianças e não dá para esperar uma semana para uma consulta e um atendimento na emergência não resolve. Já ouvi dizer que os médicos não ficam no município pelo baixo salário. Quero saber do prefeito o porquê desses atendimentos não estarem entre as prioridades, ainda mais por ele ser um pediatra.

Luiz Antonio – Saúde é uma prioridade do município e é a política mais bem avaliada pela maioria da população, disparo. Segundo, a questão de concepção que talvez não haja conhecimento da pessoa que perguntou. A nossa rede é 100% de PSFs (Programa de Saúde da Família), temos lá uma médico generalista que resolve até quase 90% de todas as necessidades da população e tudo isso nós temos anotado. Quando ele precisa do especialista para auxiliar o tratamento daquela pessoa, a própria unidade de saúde faz a marcação ou para o Hospital de Piraí ou para o nosso Centro de Especialidade e eventualmente até para fora da cidade, cujo transporte nós garantimos. Pegamos em casa levamos ao especialista e trouxemos de volta, quando é o caso de fora da cidade. Pediatra hoje, como eu sou, se tornou uma especialidade então ele também tem marcação tanto em Arrozal, quando em Piraí, posso te dizer que em alguns desses lugares sobra vaga na rotina. E não há uma dificuldade grande em sua marcação, uma semana de demora de uma consulta eletiva, não é um grande problema nem na rede particular. E se precisa de emergência tem pediatra 24h por dia. Quanto à questão do salário, eu acho que nós pagamos um bom salário. O salário de um médico no PSF é de 11 mil e 800 reais é o maior da região equiparado a Porto Real. Creio que não seja essa questão salarial, a gente tem uma boa fixação de partos médicos, mas muitos médicos são de outras cidades, e a medida que eles arrumam emprego em outra cidade preferem sair para poder ficar perto da família. Não temos um grande problema com isso e estamos atentos para sempre avançar e melhorar as especialidades e o Hospital Regional vai nos ajudar muito, porque ele é um hospital voltado para as especialidades. Ele também pertence a Piraí está há 15 minutos do Centro da nossa cidade, mais pertinho ainda quando a gente fala de Arrozal. Vai ter lá também 90 leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) esse sim é uma necessidade da nossa região muito grande e eu tenho certeza que nós vamos conseguir avançar muito mais.
Internauta – Constantemente ficamos sabendo de médicos ou enfermeiros que são transferidos de uma unidade para outra. Como uma médica que atendia em Arrozal, Dra. Rosana, que era bem aceita pela população e saiu de lá sem explicação aparente. Como isso acontece com frequência, qual são os critérios para essas transferências?
Luiz Antonio – Primeiro a gente tenta sempre fixar a equipe o máximo possível para ela lidar direto com a população. Agora a prioridade no serviço de saúde é a própria população, a necessidade que nós olhamos é da população. Claro que olhamos o profissional com muito carinho também, afinal de contas, ele faz parte dessa rede de interação, mas a necessidade da população é que dita se a gente precisa remover um profissional de uma unidade para outra seja enfermeiro, médico ou dentista que é um dos que acaba sendo removidos um pouco mais. Já o caso da Dra. Rosana, ela foi cobrir uma licença médica de outro médico que ficou doente sem desfalcar a unidade que tinham outros dois médicos, estamos falando da unidade de Arrozal. A Dra. Rosana depois disso, por outras razões pediu demissão e foi para outro município. Não foi o município que tirou a médica, e se o internauta quiser saber todos os detalhes que eu não tenho todas as informações aqui, está aberta a Secretaria de Saúde para conversar, o que a gente quer garantir é uma melhor qualidade atendimento para todos.

Internauta – Dr. Luiz Antonio, é verdade que os postos de saúde do município de Piraí não estão fazendo coleta de sangue? Pois o outro candidato divulgou essa informação.

Luiz Antonio – É uma informação equivocada, nós fazemos coleta de sangue descentralizada em todo o município, porque isso facilita o paciente não ter que se deslocar para o nosso Laboratório Central que fica em Piraí, só em Piraí e na Casa Amarela, também próxima ao centro de Piraí, é que faz a coleta no próprio laboratório. As outras todas têm coletas descentralizadas e nós temos um carro que busca o sangue, urina, fezes nessas unidades. Em Arrozal que foi o caso citado, a coleta é diária, todos os dias de segunda a sexta, sendo que um dos dias, a nossa equipe se desloca até a casa daqueles pacientes que precisam fazer o exame de sangue, mas que tem dificuldade de locomoção. Veja a qualidade do atendimento, ao invés da pessoa se deslocar para a unidade e colher o sangue, nossos funcionários que deslocam até a casa e está funcionando muito bem. Outra unidade que não colhe sangue é da Serra do Matoso porque como é muito distante, o sangue não pode ir até nessa distância porque sofre alterações. Isso vai alterar o resultado, por uma questão de garantia, não colhe o sangue lá a gente traz os pacientes de carro colhe o sangue no laboratório e levamo-los de volta, portanto é 100% garantido e vai continuar sendo assim porque a saúde é de fato uma das prioridades que a população nos coloca.

No sábado, o candidato entrevistado será José Arimathéa, candidato à reeleição em Pinheiral, pelo PSB. Para participar, basta enviar a pergunta por inbox – http://m.me/diariodovale antes da entrevista. Confira as regras para participar e acompanhe o cronograma de entrevistas: goo.gl/gwfkW9.

You may also like

diário do vale

Rua Simão da Cunha Gago, n° 145
Edifício Maximum – Salas 713 e 714
Aterrado – Volta Redonda – RJ

 (24) 3212-1812 – Atendimento

(24) 99926-5051 – Jornalismo

(24) 99234-8846 – Comercial

(24) 99234-8846 – Assinaturas
.

Image partner – depositphotos

Canal diário do vale

colunas

© 2024 – DIARIO DO VALE. Todos os direitos reservados à Empresa Jornalística Vale do Aço Ltda. –  Jornal fundado em 5 de outubro de 1992 | Site: desde 1996